Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Desafios do consumo e varejo no pós-pandemia

Desafios do consumo e varejo no pós-pandemia

16/12/2021 Fernando Gambôa e Paulo Ferezin

Conforme o mundo emerge da pandemia da covid-19, empresas e consumidores percebem o aumento de preços de serviços e bens de consumo.

Este efeito é global e, assim como a crise financeira global, entre 2008 e 2009, desta vez, a doença e as restrições sociais causadas por ela levaram o crédito por esse efeito na economia atual, porque reduziram a demanda, o que, por sua vez, deprimiram os preços.

À medida que a campanha de vacinação avança, as empresas e a população geral conseguem perceber quais foram os efeitos concretos da pandemia que ainda não terminou.

Certos insumos para a produção e transporte de produtos vendidos estão registrando valores muito altos em relação aos apontados antes da crise sanitária.

Mas, muitas dessas altas podem não durar pelos próximos trimestres enquanto outras aparecem com um caráter mais permanente. Tal incerteza deixa as empresas de consumo e varejo em dúvida.

Manter os preços estáveis em uma tentativa de chamar clientes ou subir os valores das mercadorias para equilibrar as margens de gastos e lucros?

Diversos varejistas e empresários da indústria de consumo se deparam com processos inflexíveis de avaliação de preços e promoções e não conseguem responder adequadamente aos custos de insumos que aumentam rapidamente e à diminuição de estoques de produtos com alta demanda.

Levando em conta a realidade tão dinâmica e conectada que vivemos, com um comércio digital em amplo crescimento, as empresas do setor devem encontrar a melhor maneira de redesenhar processos de preços e promoções para atender à demanda do cliente e enfrentar custos crescentes dos insumos.

Os mais afetados são os serviços de alimentos, bebidas, bens de consumo, varejo e restaurantes - basicamente onde existe a necessidade do trabalho presencial e, consequentemente, da manutenção dos protocolos de segurança e distanciamento social.

Com toda a situação, profissionais do setor compreendem a incerteza quanto à temporariedade dos aumentos dos preços.

O caminho atual da economia está diretamente ligado à trajetória do vírus e aos efeitos dele na população e, por isso, as empresas precisam pensar em como lidar com os impactos na rentabilidade e nos caixas.

A escassez de mão de obra, restrições nas cadeias de suprimentos e inflação de preços não devem necessariamente levar à falência de empresas que gerenciam proativamente as próprias estruturas de custo e receita para proteger as margens.

Mas, é importante entender que a pandemia resultou na ativação de vários gatilhos comuns de melhoria de desempenho e em várias alavancas que podem ser acionadas para neutralizar o resultado financeiro negativo.

* Fernando Gambôa é sócio-líder de consumo e varejo da KPMG no Brasil e na América do Sul.

* Paulo Ferezin é sócio-líder do segmento de varejo da KPMG no Brasil.

Para mais informações sobre indústria de consumo clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Ricardo Viveiros & Associados - Oficina de Comunicação



O que a pandemia nos ensinou sobre fortalecer nossas parcerias

A pandemia da COVID-19 forçou mudanças significativas na operação de muitas empresas.


O barulho em torno do criado-mudo

Se você entrar agora no site da Amazon e escrever (ou digitar) “criado-mudo”, vai aparecer uma resposta automática dizendo que você não deve usar essa expressão porque ela é racista.


Reputação digital: é possível se proteger contra conteúdos negativos

O ano é 2022 e há quem pense que a internet ainda é uma terra sem lei. A verdade é que a sociedade avançou e o mundo virtual também.


Questão de saúde pública, hanseníase ainda é causa de preconceito e discriminação

Desde 2016, o Ministério da Saúde realiza a campanha Janeiro Roxo, de conscientização sobre a hanseníase.


Desafios para o Brasil retomar o rumo

A tragédia brasileira está em cartaz há décadas.


Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.


Geração millenials, distintas facetas

A crise mundial – econômica, social e política – produzida pela transformação sem precedentes da Economia 4.0 coloca, de forma dramática, a questão do emprego para os jovens que ascendem ao mercado de trabalho.


Por que ESG e LGPD são tão importantes para as empresas?

ESG e LGPD ganham cada vez mais espaço no mundo corporativo por definirem novos valores apresentados pelas empresas, que procuram melhor colocação no mercado, mais investimentos e consumidores satisfeitos.


O Paradoxo de Fermi e as pandemias

Em uma descontraída conversa entre amigos, o físico italiano Enrico Fermi (1901-1954) perguntou “Onde está todo mundo?” ao analisarem uma caricatura de revista que retratava alienígenas, em seus discos voadores, roubando o lixo de Nova Iorque.


Novo salário mínimo em 2022 e o impacto para os trabalhadores autônomos

O valor do salário mínimo em 2022 será de R$ 1.212,00.