Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Divorciados, mas juntos na mesma casa

Divorciados, mas juntos na mesma casa

17/12/2020 Gisela Gusmão

Você já viveu ou está passando pela experiência de compartilhar a mesma casa com o seu "ex" ou com a sua "ex"?

É possível que casais separados vivam em harmonia debaixo do mesmo teto? A separação/divórcio na quarentena está desconfortável?

Nas últimas décadas, o modelo tradicional de família deu lugar a novas configurações. Mudaram as formas de matrimônio e também de separação.

Em geral, o processo começava com o distanciamento físico de um dos pares, que deixava o lar; e os trâmites corriam por meses ou anos até que o divórcio fosse concluído.

Antigamente, quando o relacionamento terminava, cada um ia pro seu lado e pronto! Hoje em dia, não é bem assim que acontece. Não raro, casais separados continuam vivendo na mesma casa. No entanto, existem três situações distintas.

Na primeira, estão aqueles que decidem continuar "Juntos Por Opção". Geralmente porque querem economizar dinheiro para investir na educação dos filhos ou nos próprios estudos e carreira.

Como esses "ex" vão acertar os ponteiros depende de acordo. Normalmente, dividem as despesas, as tarefas da casa e o cuidado com os filhos.

Em outra situação estão aqueles "Unidos No Sufoco". São os que, em geral, gostariam de usufruir cada qual o seu espaço mas, por questões financeiras, não conseguem sobreviver sozinhos.

Muitas vezes precisam encarar dívidas e até mesmo desemprego. Sem uma situação estável, há dificuldades no cotidiano que vão demandar muitas conversas e paciência a fim de encontrarem harmonia no lar.

Já os "Reféns Do Medo" são casos geralmente graves. Um dos pares impõe uma relação de abuso ao outro, quer seja material, de violência física, psicológica, sexual, ou tudo isso junto, usando de manipulação, chantagem ou ameaça.

Apenas o algoz se beneficia. Não raro, a vítima se vê obrigada a deixar a casa, arcando com prejuízos materiais e emocionais. Se você vive uma relação assim, procure ajuda terapêutica e amparo legal!

Como tem sido o relacionamento com o/a "ex" nessa pandemia? Muitos achavam que seria um tormento. Imagine ficar isolado em casa com alguém que nos incomoda!

De fato, foram inúmeros os casos de pessoas no limite do estresse. Mas, surpreendentemente, houve casos positivos.

Uma mulher, por exemplo, contou que os dois trabalhavam muito e raramente conversavam. Com a pandemia, ela diminuiu as queixas que tinha do "ex" e havia até a possibilidade de tentarem novamente.

Há de tudo! Não existe experiência igual. Mas lembre-se, você não está sozinho! Boa sorte!

* Gisela Gusmão é colaboradora do site Idivorcei, Psicóloga, Psicanalista e Terapeuta de Casal e Família.

Fonte: Ex-Libris Comunicação Integrada



O efeito pandemia nas pessoas e nos ‘in-app games’

É fato que a Covid-19 balançou as estruturas de todo mundo, trazendo novos hábitos, novas formas de consumir conteúdo, fazer compras… E, claro, de se entreter.


A violência e o exemplo dos parlamentos

O péssimo exemplo que os políticos, em geral, dão nos parlamentos, insultando, ridicularizando os antagonistas, leva, por certo, a população a comportar-se de modo semelhante.


Brasileiro residente no exterior, por que fazer um planejamento previdenciário?

É muito comum no processo emigratório para o exterior ter empolgação e expectativas sobre tudo o que virá nessa nova fase da vida.


LGPD: é fundamental tratar do sincronismo de dados entre todas as aplicações

Se um cliente solicita alteração nos dados cadastrais ou pede a sua exclusão da base de dados que a empresa possui, o que fazer para garantir que isso ocorra em todos os sistemas e banco de dados que possuem os dados deste cliente ao mesmo tempo e com total segurança?


As gavetas que distorcem a vida política do país

Finalmente, está marcada para terça-feira (30/11), na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, a sabatina do jurista André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar a vaga decorrente da aposentadoria do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal.


O novo normal e a justiça!

Não restam dúvidas que o avanço tecnológico veio para melhorar e facilitar a vida das pessoas.


Repousar de fadigas, livrar-se de preocupações

O dicionário diz que descansar é repousar de fadigas, livrar-se de preocupações.


O fim da violência contra a mulher é causa de direitos humanos

O dia 25 de novembro marca a data internacional da não-violência contra as mulheres.


A primeira romaria do ano em Portugal

A 10 de Janeiro – ou domingo mais próximo dessa data, dia do falecimento de S. Gonçalo, realiza-se festa rija em Vila Nova de Gaia.


Medicina Preventiva x Medicina Curativa

A medicina curativa domina o setor de saúde e farmacêutico. Mas existe outro tipo de cuidado em crescimento, chamado de Medicina Personalizada.


A importância da inovação em programas de treinamento e desenvolvimento

O desenvolvimento de pessoas em um ambiente corporativo é um grande desafio para gestores de recursos humanos, principalmente para os que buscam o melhor aproveitamento das habilidades de um time através do autoconhecimento.


Por que o 13º salário gera “confiança” nos brasileiros?

O fim do ano está chegando, mas antes de pensar no Natal as pessoas já estão de olho no 13º salário.