Portal O Debate
Grupo WhatsApp


E agora, Brasil?

E agora, Brasil?

18/05/2017 Wellington Anselmo Martins

O certo (democrático e legítimo) é devolver o poder de decisão ao povo, convocando eleições diretas.

Porém, também existe o errado (não necessariamente ruim para a estratégia eleitoral e política da esquerda) que é Michel Temer renunciar agora e esse Congresso conservador colocar como presidente do Brasil alguém simpático ao PMDB-PSDB e que vá fazer avançar o programa anti-trabalhista que Temer já vinha promovendo.

Essa segunda opção é um absurdo! É imoral, golpista e acaba de destruir a democracia atual. Porém, esse aprofundamento do golpe e a violência com que ele está sendo imposto sobre o país irá gerar um movimento social de resposta. Tal reação popular se dará na medida da força do golpe, nunca menor.

Enfim, os golpistas escolheram o caminho do crime: eles derrubaram Dilma sob um pretexto desproporcional, promovem um governo impopular e ilegítimo, tentam prender Lula, o político mais aclamado do país, sem provas, e agora fecham o golpe de modo grosseiro, com a renúncia de Temer e empossamento de mais um golpista no seu lugar.

Ora, isso não ficará sem resposta! A maioria dos brasileiros reagirá, no voto ou na força (ou ambos), contra esse Congresso conservador e contra a usurpação da presidência da República. No fim, a esquerda voltará ao poder central.

* Wellington Anselmo Martins é Mestre em Comunicação (Unesp), graduado em Filosofia (USC).



Igualdade como requisito de existência

Na última cerimônia de entrega do EMMY, o prêmio da TV Norte Americana, um ator negro foi premiado, fruto de reconhecimento praticamente unânime de seu trabalho.


Liderança é comunicação, conexão e confiança

Cada dia que passa, percebo que uma boa comunicação e liderança têm total relação com conexão.


“A educação é a arma mais poderosa…” mas para quem?

Tudo o que se cria ou se ensina no mundo tem dois lados. Geralmente as intenções são boas e as pessoas as tornam ruins.


“Golpe do Delivery”

Entregadores usam máquina de cartão para enganar consumidor.


A inclusão educacional e o mês das crianças

O tema da inclusão está na ordem do dia, dominando as agendas no mês das crianças.


A velha forma de fazer política não tem fim

Ser político no Brasil é um grande negócio, uma dádiva caída do céu, visto as grandes recompensas de toda a ordem obtidas pelos políticos.


Procedimento de segurança

“Havendo despressurização…”, anuncia a comissária, em tom calmo, aos ouvidos dos senhores passageiros daquele voo atrasado, sob a umidade e a monocromia do céu de quase inverno.


Envelhecimento: o tempo passa para todos

Todos nós, em algum momento de nossas vidas, já ouvimos a frase: “o tempo passa para todos”.


Os passos para encontrar a si mesmo e a Deus

Mar da Galileia, Mar de Tiberíades ou Lago de Genesaré, um lugar significativo de tantos milagres e narrativas do Evangelho.


A babá e o beijo

Se eu tinha dúvidas, agora não tenho mais.


A despolitização do Supremo Tribunal Federal

Não pode funcionar bem e com total isenção uma corte ou tribunal de indicação e nomeação política.


E o cartão caminhoneiro?

O objetivo é proteger os caminhoneiros da oscilação diária no preço do diesel, durante um serviço de frete.