Portal O Debate
Grupo WhatsApp

E-commerce: um oceano de oportunidades

E-commerce: um oceano de oportunidades

22/12/2014 Marcio Eugênio

Empreender. Esta palavra está presente no desejo de três em cada quatro brasileiros, de acordo com uma pesquisa realizada pela Endeavor.

Muitas pessoas desejam ter seu negócio próprio e os motivos são diversos.. Porém, tirar a ideia do papel e executá-la, pode ser um pouco complicado. Apesar de possuirmos o desejo de empreender, não possuímos a cultura do empreendedorismo - que implica, consequentemente, na cultura do planejamento. Muitas pessoas acabam optando por começar seu primeiro negócio através do e-commerce, devido à simplicidade de colocar uma loja virtual no ar.

Entretanto, o que muita gente não sabe é que os riscos existentes em um negócio online são tão possíveis quanto no varejo tradicional. Enquanto a taxa de sobrevivência no micro e pequeno negócio num geral gira em torno dos 76% nos dois primeiros anos, um terço das lojas virtuais costumam fechar antes de completar dois anos no mercado. A mortalidade virtual é maior por dois motivos: além da alta competitividade com os grandes players, muitos empreendedores começam o negócio sem nenhum planejamento.

Ainda assim, investir no comércio digital é uma boa ideia. Os números no mercado do e-commerce são extremamente otimistas, com taxas de crescimento que, ano a ano, superam os dois dígitos no percentual. De acordo com o E-bit, o comércio eletrônico faturou no primeiro semestre deste ano R$ 16 bilhões — o que representa um crescimento de 26% em comparação ao mesmo período do ano passado. Para se ter uma ideia, o varejo tradicional cresceu apenas 4% neste mesmo período de tempo.

A previsão é de que o comércio eletrônico feche 2014 com um crescimento nominal de 21% em comparação a 2013. Em contrapartida, espera-se que o varejo tradicional feche o ano com o crescimento de 4,7%. Os números e projeções apresentados acima mostram o cenário de um mercado relativamente novo, mas que está cada vez mais consolidado no país. Na última década, os investimentos no e-commerce aumentaram 127%, de acordo com a Fundação Getúlio Vargas.

Espera-se, ainda, que este ano feche com 11,6 milhões de novos consumidores online, somando um total de 63 milhões de pessoas no Brasil que utilizam a internet para adquirir produtos como eletrodomésticos, vestuário, calçados e perfumaria. Sabendo que o cenário é próspero, é preciso tomar medidas para que a empresa seja saudável e vingue por muitos anos. Se existisse um médico para isso, a única receita que ele passaria seriam altas doses de planejamento.

Os motivos são vários. Primeiro porque evita que o empreendedor abra um negócio por impulso, outro porque um bom planejamento faz com que uma loja virtual consiga enfrentar a fortíssima concorrência vinda das gigantes do varejo eletrônico. Para quem quer entrar neste mercado, seja muito bem-vindo, porém planeje muito. O mercado é amplo, vindouro, e está para peixe. Cabe, porém, ser um bom pescador, pegar seus equipamentos e escolher que tipo de peixe você quer pescar.

*Marcio Eugênio é especialista em e-commerce e sócio fundador da D Loja Virtual, plataforma de e-commerce para PME.



O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa


O futuro da indústria 5.0 na sociedade

O conceito de Indústria 5.0 é definido como uma visão humanizada das transformações tecnológicas no setor, equilibrando as necessidades atuais e futuras dos trabalhadores e da sociedade com a otimização sustentável do consumo de energia, processamento de materiais e ciclos de vida dos produtos.

Autor: Pedro Okuhara


Em defesa do SUS: um chamado à ação coletiva

A escassez de recursos na saúde pública brasileira é um problema crônico.

Autor: Juliano Gasparetto


Impactos da proibição do fenol pela Anvisa no mercado de cosméticos e manipulação

Recentemente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tomou a decisão de proibir a venda e o uso de produtos à base de fenol em procedimentos de saúde e estéticos.

Autor: Claudia de Lucca Mano


A fantasia em torno da descriminalização da maconha

"As drogas pisoteiam a dignidade humana. A redução da dependência de drogas não é alcançada pela legalização do uso de drogas, como algumas pessoas têm proposto ou alguns países já implementaram. Isso é uma fantasia".

Autor: Wilson Pedroso


Ativismo judicial: o risco de um estado judicialesco

Um Estado policialesco pode ser definido como sendo um estado que utiliza da força, da vigilância e da coerção exacerbada contra a população, principalmente com seus opositores.

Autor: Bady Curi Neto


Abortada a importação do arroz

O governo desistiu de importar arroz para fazer frente à suposta escassez do produto e alta de preços decorrentes das cheias do Rio Grande do Sul, responsável por 70% do cereal consumido pelos brasileiros.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


2024, um ano de frustração anunciada

O povo brasileiro é otimista por natureza.

Autor: Samuel Hanan