Portal O Debate
Grupo WhatsApp


E você, onde quer chegar?

E você, onde quer chegar?

23/08/2017 André Apasse

A falta de foco e de vontade têm atrapalhado a vida de muitas pessoas e empresas.

A falência corporativa é uma realidade e tem acontecido pela falta de vontade de diretores, gestores e colaboradores em trabalhar com amor. Percebo diariamente um massacre das empresas em relação aos seus colaboradores em virtude de uma busca por resultados a qualquer preço, de qualquer forma, dia após dia.

Não existe um propósito, não há uma missão clara, falta sabedoria em lidar com pessoas, suas dores e seus sonhos. Sendo assim pergunto: onde sua empresa quer chegar? Antes disso, onde você quer chegar? E no papel de gestor, líder, gerente até onde você quer ir? E a reposta para todas essas questões, na maioria das vezes, é: “Não sei”.

As pessoas não sonham mais, elas vivem felicidades e realizações digitais, que estão longe de sua realidade diária, cheia de falhas e sonhos interrompidos. Existe uma nítida impotência na criação de vínculos e relações interpessoais, olho no olho, isso porque o mundo se tornou digital e a ausência de vontade está instalada na maioria dos seres humanos, o mundo agora é instantâneo e as pessoas descartáveis.

Independentemente do tamanho da sua empresa, do seu mercado e se ela é uma “startup” ou uma empresa centenária, faça com que as pessoas saibam onde querem chegar, incentive seus colaboradores a sonharem, estimule-os a viverem as suas causas de verdade, permita que eles possam ser verdadeiros, lidere pelo exemplo, pois o exemplo leva as pessoas a realizações nunca imaginadas.

Faz algum tempo, em um dos meus workshops de empoderamento pessoal, perguntei a um dos participantes, um profissional de alta performance, qual era sua maior vontade. Em poucas e sinceras palavras, ele respondeu: “minha maior vontade, todos os dias, é colher altos frutos financeiros todos os meses, através de atendimento excelente aos meus clientes, pois minha mãe tem uma doença rara e necessita viajar ao exterior a cada dois meses para se tratar e sobreviver, então é isso que me move”.

Então, o que te move? Quais são suas expectativas? Tenha claramente dentro de você a resposta para essas perguntas. Saiba onde você quer realmente chegar, desenhe o seu cenário dos sonhos e visualize-o diariamente. Procure nutrir seu cérebro com informações relevantes que te possibilitem obter um posicionamento diferenciado no mercado. Procure hábitos e ações diárias que te proporcionem um diferencial.

Seja um estrategista focado em resultados, mas de forma humana e verdadeira. O que te move e as suas expectativas devem estar alinhados ao que move e as expectativas dos seus clientes, dos seus parceiros, dos seus colaboradores. Entenda de pessoas e aprimore sua relação com elas. Pessoas engajadas realizam um mundo com mais propósito.

* André Apasse é administrador de empresas, um treinador de pessoas, equipes.



Poderes em conflito – Judiciário x Executivo

Os Poderes da união que deveriam ser independentes e harmônicos entre si, cada qual com suas funções e atribuições previstas na Constituição, nos últimos dias, não têm se mostrado tão harmônicos.


A Fita Branca

Em março de 1963, um ano antes do golpe que defenestrou o governo populista de João Goulart, houve um episódio que já anunciava, sem ranhuras, o que estava por vir.


Como ficarão as aulas?

O primeiro semestre do ano letivo de 2020 está comprometido, com as crianças, adolescentes e jovens em casa, nem todos entendendo bem o que está acontecendo, principalmente as crianças menores.


Dizer o que não se disse

A 3 de Janeiro de 1998, Fernando Gomes, então Presidente da Câmara Municipal do Porto, apresentou o livro de Carlos Magno: “O Poder Visto do Porto - e o Porto Visto do Poder”.


Pegando o ônibus errado

Certo dia, o cidadão embarca tranquilamente na sua costumeira condução e, quadras depois da partida, em direção ao destino, percebe que está dentro do ônibus errado.


Resiliência em tempos de distanciamento social

Em meio à experiência que o mundo todo está vivendo, ainda não é possível mensurar o impacto do distanciamento social em nossas vidas, dada a complexidade desse fenômeno e a incerteza do que nos aguarda.


Nasce a organização do século 21

Todos sabemos que a vida a partir de agora – pós-epidemia ou período de pandemia, até termos uma vacina – não será a mesma.


Luto e perdas na pandemia: o que estamos vivendo?

Temos presenciado uma batalha dolorosa em todo o mundo com o novo coronavírus (COVID-19).


Encare a realidade da forma correta

Em algum momento todos nós vamos precisar dessa mensagem.


Contraponto a manifestação do Jornalista Lucas Lanna

Inicialmente gostaria de parabenizar o jovem e competente jornalista Lucas Lanna Resende, agradecendo a forma respeitosa que diverge da matéria por mim assinada e intitulada “O Brasil deve um almoço a Roberto Jefferson”.


O Brasil deve um almoço a Roberto Jefferson?

Nos últimos dias, um artigo intitulado O Brasil deve um almoço a Roberto Jefferson, do advogado e ex-juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), Bady Curi, foi publicado neste espaço


O Brasil deve um almoço a Roberto Jefferson

A esquerda diz temer pela Democracia em razão de alguns pronunciamentos do Presidente Bolsonaro.