Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Educação x mudanças BNCC

Educação x mudanças BNCC

04/02/2018 Sérgio Freire

Educação desconstruída será capaz de formar os profissionais do futuro.

O maior risco que corremos atualmente é o de perder a oportunidade de formar de maneira ampla e completa os profissionais que, em poucos anos, estarão inseridos nas mais diversas atividades, pois os processos de seleção estão cada vez menos focados na formação técnica e cada vez mais no conjunto de habilidades que o candidato consegue desenvolver e aplicar dentro de uma organização.

Mesmo com as recentes reformas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o sistema dos principais vestibulares do País e do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) permanece com o mesmo escopo, exigindo dos participantes conhecimento amplo e profundo nas matérias tradicionais e horas e mais horas de estudo.

Ou seja, o modelo atual continua sendo uma barreira para que as escolas deem espaço para matérias não tradicionais, como a robótica e STEM – sigla em inglês para Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática -, ao invés de garantir apenas a entrada dos alunos nas universidades.

Segundo dados do último Fórum Econômico Mundial, até 2020, mais de 1/3 dos principais conjuntos de habilidades necessários para a maioria dos empregos incluirão aquelas que não são consideradas cruciais hoje. Em muito menos tempo do que imaginamos, precisaremos de profissionais capazes de identificar e compreender problemas, de questioná-los, e de pensar em diferentes cenários e nas respostas possíveis.

E, o maior diferencial será daquele profissional que conseguir desenvolver tudo isso com rapidez e resiliência, compreendendo que a mecânica de tentativa e erro faz parte do processo. Outro dado interessante aponta que 65% das crianças que entram na escola hoje acabarão trabalhando em empregos que ainda não existem – mais um indicativo de que elas devem ser educadas de maneira diferente.

O relatório ainda ressalta que tendências tecnológicas, como a Quarta Revolução Industrial, criarão diversos papéis novos e multifuncionais para os quais os funcionários precisarão de habilidades técnicas, sociais e analíticas. 

chave para moldar estudantes prontos para encarar o novo mercado de trabalho é ensinar aos alunos desde cedo a viver - e aprender - nas interseções. A habilidade mais importante é uma meta-habilidade: a capacidade de se adaptar às mudanças. Aqueles que se adaptarem melhor e mais rápido sairão na frente.

* Sérgio Freire é head comercial da MCassab, distribuidora da LEGO Education no Brasil.



As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa


O futuro da indústria 5.0 na sociedade

O conceito de Indústria 5.0 é definido como uma visão humanizada das transformações tecnológicas no setor, equilibrando as necessidades atuais e futuras dos trabalhadores e da sociedade com a otimização sustentável do consumo de energia, processamento de materiais e ciclos de vida dos produtos.

Autor: Pedro Okuhara


Em defesa do SUS: um chamado à ação coletiva

A escassez de recursos na saúde pública brasileira é um problema crônico.

Autor: Juliano Gasparetto


Impactos da proibição do fenol pela Anvisa no mercado de cosméticos e manipulação

Recentemente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tomou a decisão de proibir a venda e o uso de produtos à base de fenol em procedimentos de saúde e estéticos.

Autor: Claudia de Lucca Mano


A fantasia em torno da descriminalização da maconha

"As drogas pisoteiam a dignidade humana. A redução da dependência de drogas não é alcançada pela legalização do uso de drogas, como algumas pessoas têm proposto ou alguns países já implementaram. Isso é uma fantasia".

Autor: Wilson Pedroso


Ativismo judicial: o risco de um estado judicialesco

Um Estado policialesco pode ser definido como sendo um estado que utiliza da força, da vigilância e da coerção exacerbada contra a população, principalmente com seus opositores.

Autor: Bady Curi Neto


Abortada a importação do arroz

O governo desistiu de importar arroz para fazer frente à suposta escassez do produto e alta de preços decorrentes das cheias do Rio Grande do Sul, responsável por 70% do cereal consumido pelos brasileiros.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


2024, um ano de frustração anunciada

O povo brasileiro é otimista por natureza.

Autor: Samuel Hanan


Há algo de muito errado nas finanças do Governo Federal

O Brasil atingiu, segundo os jornais da semana passada, cifra superior a um trilhão de reais da dívida pública (R$ 1.000.000.000.000,00).

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O mal-estar da favelização

Ao olharmos a linha histórica das favelas no Brasil, uma série de fatores raciais, econômicos e sociais deve ser analisada.

Autor: Marcelo Barbosa