Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Em tempos de mercados bicudos…

Em tempos de mercados bicudos…

04/11/2015 Silvio Bianchi

É impressionante a capacidade de se reinventar do empresariado brasileiro.

Em qualquer outra economia do mundo, em vista das condições econômicas em que o país atravessa, grande parte do empresariado já estaria completamente desesperado com a situação atual.

Não que isso não ocorra mas o brasileiro aprendeu a lidar com a crise de uma forma com que os outros não suportariam como nós suportamos.

Ai eu destaco o jogo de cintura e a nossa criatividade. Temos uma enorme capacidade em estabelecer parcerias e alianças para identificar novas oportunidades, mesmo que os ganhos ocorram somente para não fazer a "bicicleta parar de pedalar" até a crise recuar.

Temos ainda dados suficientes que nos permitem acreditar que ainda existe oportunidade de crescimento no Brasil em muitas áreas. Sempre ouvimos falar que o Brasil é o país do futuro, hoje temos que nos esforçar para criar o Brasil do presente.

Temos vários fatores a considerar, temos um grande mercado interno, temos uma classe média muito robusta e sabemos que existem muitos tipos de negócios que crescem em tempos de crise, e se você estiver preparado, um ambiente econômico que pode parecer desfavorável, pode acabar lhe proporcionando ótimas opções de investimento.

Historicamente, os momentos de dificuldades econômicas tem sido o berço de ótimos negócios. Enquanto está todo mundo desanimado e se deixando levar pelo derrotismo, alguns empreendedores identificam oportunidades para começar seus negócios.

E ainda como pequenos empresários, temos que considerar que as empresas grandes não conseguem resolver alguns problemas que uma empresa pequena pode resolver. Em empresa menor, você tem muito mais flexibilidade, principalmente em termos de receita.

E podemos usar toda a nossa especialização para fazermos a diferença. Com a tecnologia de brasileiro sabemos que é possível pegar uma avenida com menos trânsito, procurando um mercado com um menor contingente de pessoas.

Com a crise as pessoas voltam a usufruir de serviços mais básicos. Por exemplo, o de reforma em geral, o de venda de carros usados, retomando hábitos antigos que nos últimos tempos foram perdendo utilizadores e negócios.

Este é o momento certo para criar um negócio numa destas áreas. Precisamos botar a imaginação para funcionar. A hora é de trabalho, muito trabalho. Olhe para seus parceiros, colaboradores, clientes, stakeholders e até mesmo concorrentes buscando oportunidades de gerar novas demandas que antes poderiam ser encaradas de baixa potencialidade.

Vejo que com crise ou sem ela o mercado vem sofrendo uma enorme mutação. Os empresários não mais se apegam ao governo aguardando as suas isenções como alguns anos atrás. A hora é de repensar e de propor novas atitudes.

Lembre-se que nada é definitivo. Um dia a crise vai embora e você estará mais forte e preparado para o novo mercado que esta surgindo.

Como disse Charles Darwin, “Não são as espécies mais fortes que sobrevivem nem as mais inteligentes, e sim as mais suscetíveis a mudanças.”

* Silvio Bianchi é publicitário, diretor presidente da Trilha Tecnologia, empresa especializada em negócios B2B.



Análise de dados e a saúde dos colaboradores nas empresas

Como a análise de dados está ajudando empresas a melhorar a saúde dos colaboradores.


16 senadores suplentes, sem votos, gozam das benesses no Senado

Quando o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pretende colocar em votação Emenda Constitucional para acabar com a figura de SENADOR SUPLENTE?


Há tempos são os jovens que adoecem

Há alguns anos o Netflix lançou uma série chamada “Thirteen Reasons Why”, ou, em tradução livre, “As Treze Razões”.


Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.