Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Engajamento social e a manutenção da biodiversidade

Engajamento social e a manutenção da biodiversidade

04/02/2017 Daniel Sabará

A importância da conscientização da população, de forma que biodiversidade e sustentabilidade sejam valorizadas.

Um dos países com a maior riqueza em biodiversidade do mundo, o Brasil abriga, ao lado de outras 16 nações, 70% das espécies existentes.

No entanto, ao falar desse tema, uma questão que merece destaque é o engajamento da sociedade com ações relacionadas à preservação do meio ambiente.

Ao avaliar o cenário atual, por exemplo, podemos dizer que o país atravessa um momento crítico, pois ainda são registrados índices elevados de desmatamento e muitos utilizam as riquezas naturais de maneira indevida.

Uma das soluções para esse problema é a criação de estratégias que ajudem a conscientizar a população, de forma que biodiversidade e sustentabilidade sejam igualmente valorizadas. Afinal, a vida na Terra depende da existência dos biomas, e isso só será possível com a conservação do planeta e o uso sustentável dos recursos.

Nesse sentido, o extrativismo sustentável surge como uma solução eficiente. Em parceria com indústrias privadas e governos, as famílias que vivem em meio às florestas, em comunidades ribeirinhas e atuam em pequenos núcleos de agricultura aprendem, por meio de treinamentos e capacitações, a manter as árvores em pé, para que seus frutos e sementes sirvam como uma fonte de renda extra.

A ressalva é que não basta investir na conscientização. É preciso criar também mecanismos que proporcionem uma melhora na condição de vida, oferecendo uma alternativa sustentável de composição de renda. Do contrário, se houver apenas a preocupação com o meio ambiente e deixar a questão socioeconômica de lado, a necessidade pela sobrevivência, mais cedo ou mais tarde, fará com que a pessoa volte a atuar de maneira ilegal.

Outro ponto é o futuro das comunidades extrativistas, pois os jovens devem ser preparados para assumir o comando do trabalho nos próximos anos. O grande desafio é saber como lidar com uma geração que possui motivações diferentes, com uma dificuldade maior de se manter em suas raízes e que sempre busca o imediatismo nas ações, pois atividades ligadas à agricultura dependem de tempo para obter resultados expressivos.

No entanto, essa é também uma geração que tem muita força, com ideais que se assemelham à realidade daqueles que já atuam em prol da sustentabilidade. Podemos considerar que a grande vantagem para engajar esses jovens é o fato de muitos deles acreditarem no desenvolvimento sustentável, na mudança de realidade social e na quebra de paradigmas.

É essa filosofia de vida que pode fazer a diferença daqui a alguns anos. O mais importante disso tudo é enxergar que existem inúmeras possibilidades de transformar a realidade do planeta e contribuir de maneira efetiva com a sua conservação - o engajamento da sociedade é apenas uma delas.

Ao acreditar no ideal de que o importante é fazer algo que tenha um verdadeiro sentido, é possível contribuir para que o desenvolvimento econômico e a conservação de biomas naturais caminhem na mesma direção.

* Daniel Sabará é CEO da Beraca, líder global no fornecimento de ingredientes naturais provenientes da biodiversidade brasileira para as indústrias de cosméticos, produtos farmacêuticos e cuidados pessoais.



Como resolver problemas que parecem impossíveis?

Existe um ditado polinésio que diz o seguinte: você pode estar em cima de uma baleia, mas pescando carpas miúdas.


A queda de 93% no uso do cheque

Na infância e juventude - anos 50 e 60 do século passado - ouvi muitos comentários de que comerciantes, fazendeiros e endinheirados da época lucravam pagando seus compromissos com cheque de outras praças, que demoravam dias para ser liquidados.


Supervisionar ou treinar seu time?

Supervisionar atividades e resultados da equipe é um dos maiores desafios para inúmeros líderes.


Gestão empresarial e perspectivas para 2022

Após mais um ano de pandemia, a alta administração das empresas priorizou a sobrevivência enquanto teve de lidar com expectativas frustradas.


O que a pandemia nos ensinou sobre fortalecer nossas parcerias

A pandemia da COVID-19 forçou mudanças significativas na operação de muitas empresas.


O barulho em torno do criado-mudo

Se você entrar agora no site da Amazon e escrever (ou digitar) “criado-mudo”, vai aparecer uma resposta automática dizendo que você não deve usar essa expressão porque ela é racista.


Reputação digital: é possível se proteger contra conteúdos negativos

O ano é 2022 e há quem pense que a internet ainda é uma terra sem lei. A verdade é que a sociedade avançou e o mundo virtual também.


Questão de saúde pública, hanseníase ainda é causa de preconceito e discriminação

Desde 2016, o Ministério da Saúde realiza a campanha Janeiro Roxo, de conscientização sobre a hanseníase.


Desafios para o Brasil retomar o rumo

A tragédia brasileira está em cartaz há décadas.


Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.