Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Escrita e interpretação pela interatividade

Escrita e interpretação pela interatividade

12/03/2018 Pedro Panhoca da Silva

Ensino interativo definitivamente não é novidade.

Há décadas atrás, esses manuais interativos (hoje esquecidos) ajudavam seus leitores a entender e aprender alguns conteúdos com sua leitura não sequencial, normalmente aplicados a alunos autodidatas.

Tal dinâmica veio a inspirar os livros-jogos, RPGs que não precisam de grupos para serem jogados – somente leitor e livro -, muito populares nas décadas de 80 e 90 por aqui, que retornaram no início da década. Eis quatro manuais inspiradores da série TutorText: Doubleday Series que “emprestaram” sua estrutura para literaturas experimentais posteriores:

1) The Meaning of Modern Poetry (John Clark Pratt, 1962, n° 8 da série): Preparado pela Divisão de Ciências Educacionais das Indústrias dos Estados Unidos para aqueles que desejavam aprender sobre poesia moderna sozinhos. Possui suas deficiências, mas como um exercício para um leitor hábil, é enriquecedor.

Seu autor foi um capitão da Força Aérea. Em suas primeiras páginas, o leitor é rapidamente introduzido para conceitos como metáfora, símbolo, entre outros. Essas distinções terminológicas são então descartadas para o restante do livro, e passam a ser usados de maneira intercambiável.

2) Effective Writing (Jane Staple Ford & Kellog Smith, 1963, n° 16 da série): fornecia as regras teóricas e práticas para serem aplicadas se o leitor buscasse grande eficácia em seu(s) texto(s).

3) Understanding Shakespeare: Macbeth (Ruth Frieman, 1964, n° 24 da série): Um longo texto que fornecia comentários sobre o significado de palavras arcaicas, personagens simbólicos, situações e alusões obscuras, além de explorar o uso da poesia e o significado de várias metrificações empregadas pelo autor. Um apêndice resume a peça em forma de prosa e um posfácio discute a mecânica provável da encenação.

4) Business Letter Writing (James L. Slattery, 1965, n° 26 da série): Encorajava seu leitor a praticar um estilo caracterizado pelo uso de frases curtas e palavras cotidianas, além de desenvolver outras habilidades de escrita de cartas comerciais.

Com o grande advento tecnológico, tais ensinamentos poderiam facilmente serem transpostos para aplicativos ou programas de computador mais rápidos, o que aumentaria ainda mais a interatividade e a atratividade pelos novos “livros-tutores” virtuais.

* Pedro Panhoca da Silva é mestrando em Literatura do programa de Pós-Graduação em Letras da Unesp – câmpus de Assis.



Bandejada especial

Montes Claros é uma cidade de características muito peculiares. Para quem chega de fora para morar lá a primeira surpresa vem com a receptividade do seu povo.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Eleições para vereadores merecem mais atenção

Em anos de eleições municipais, como é o caso de 2024, os cidadãos brasileiros vão às urnas para escolher prefeito, vice-prefeito e vereadores.

Autor: Wilson Pedroso


Para escolher o melhor

Tomar boas decisões em um mundo veloz e competitivo como o de hoje é uma necessidade inegável.

Autor: Janguiê Diniz


A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes