Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Evolução do futebol carioca

Evolução do futebol carioca

19/01/2008 Divulgação

Nos últimos 2 ou 3 anos, o futebol carioca vem apresentando um fato inusitado. Algumas equipes do interior e de baixo poder para montar uma estrutura que atenda com conforto aos atletas de futebol, estão participando das fases finais e causando altos incômodos aos quatro times de maior tradição da região.

Para tentar evitar que tal fato se consolide em 2008, os principais clubes estão apoiando uma medida gerada dentro das emissoras de tv que levam ao ar os jogos de futebol. Estas empresas de comunicação estão tendo dificuldades para encontrar patrocinadores para espetáculos onde existe um alto risco de equipes modestas roubarem a cena.

Então fizeram uma mudança imoral no regulamento, que dá ao RJ o título de ser o único a praticar tal medida nojenta. A partir deste ano, as equipes principais não jogam nos campos das equipes modestas. Elas apenas jogarão no Maracanã, Engenhão e São Januário, para aumentar as chances de que nas finais estejam duas das 4 principais equipes do RJ.

Se mesmo assim estas equipes beneficiadas não tiverem competência para chegar ao ponto que os patrocinadores desejam, talvez no ano seguinte os “gênios” que elaboram regulamentos deverão incluir algum parágrafo onde gol de equipe modesta só poderá ser consignado se o chute for efetuado antes do meio do campo. Algo em torno de 45 metros.

Enquanto isto as instalações destinadas ao público continuarão em precárias condições, sem manutenção e aumentando o risco de desabamento de arquibancadas, como aconteceu no final de 2007 no Estádio da Fonte Nova na Bahia.

Haroldo P. Barboza – RJ – jan/2008
Professor de Matemática e recreador pedagógico.
Autor do livro: Brinque e cresça feliz.



Defensoria Pública da União x Conselho Federal de Medicina

A Defensoria Pública da União (DPU) ajuizou Ação Civil Pública contra o Conselho Federal de Medicina (CFM), objetivando a condenação por danos morais coletivos no importe, pasmem senhores leitores, não inferior a R$ 60.000.000.00 (sessenta milhões de reais).


Diálogo em vez de justiça

Viver felizes para sempre parece ser um privilégio exclusivo dos casais formados nos contos de fadas.


Salvar a dignidade também é salvar a vida

Quando recebemos o diagnóstico de uma doença grave, crônica ou que ameace a vida, muita coisa muda.


Imunização pode garantir o retorno das gestantes ao trabalho

Recentemente, a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 2.058/21, que visa autorizar o retorno de gestantes ao trabalho presencial após imunização completa contra a Covid-19.


Selic mais alta não intimida mercado imobiliário

O setor imobiliário brasileiro surpreendeu os especialistas mais experientes e, durante a pandemia, foi um dos agentes responsáveis por manter a economia brasileira aquecida.


Vai sair do papel? Reforma Tributária deve ter votação rápida

Estamos a um ano das eleições nacionais. Isso pode soar como pouco tempo, mas, considerando o panorama político, é sensato dizer que ainda não aconteceu nada em termos de definições partidárias.


Que ingratidão…

Durante o tempo que fui redactor de jornal local, realizei numerosas entrevistas a figuras públicas: industriais, grandes proprietários, políticos, artistas…


Empresa Cooperativa x Empresa Capitalista

A economia solidária movimenta 12 bilhões e a empresa cooperativa gera emprego e riqueza para o país.


O fundo de reserva nos condomínios: como funciona e a forma correta de usar

O fundo de reserva é a mais famosa e tradicional forma de arrecadação extra. Normalmente, consta na convenção o percentual da taxa condominial que deve ser destinado ao fundo.


E se as pedras falassem?

Viver na Terra Santa é tentar diariamente “ouvir” as pedras! Elas “contemplaram” a história e os acontecimentos, são “testemunhas” fiéis, milenares porém silenciosas!


Smart streets: é possível viver a cidade de forma mais inteligente em cada esquina

De acordo com previsões da Organização das Nações Unidas (ONU), mais de 70% da população mundial viverá em áreas urbanas até 2050.


Quem se lembra dos velhos?

Meu pai, quando se aposentou, os amigos disseram: - " Entrastes, hoje, no grupo da fome…"