Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Extrativismo sustentável estimula o equilíbrio natural

Extrativismo sustentável estimula o equilíbrio natural

21/08/2017 Érica Pereira

Existem muitas possibilidades de transformar o planeta e de contribuir com a sua conservação.

Extrativismo sustentável estimula o equilíbrio natural

Quando pensamos em maneiras de preservar o meio ambiente e ainda contribuir com o desenvolvimento social do Brasil, diversas iniciativas são discutidas. No entanto, uma atividade que merece atenção especial é o extrativismo sustentável, cujo objetivo é trazer renda para as famílias que vivem em áreas com poucas oportunidades de mercado - como a região amazônica - que não é necessário depender apenas da agricultura familiar e da pesca.

A proposta principal é estimular atividades que contribuam com o equilíbrio dos ecossistemas, principalmente a coleta sustentável de sementes oleaginosas, que reduz a pressão sobre os recursos naturais. Dessa maneira, é possível respeitar as sazonalidades e também beneficiar as comunidades extrativistas com uma fonte de renda extra no período de entressafra ou de defeso, por exemplo.

Para se ter uma ideia da efetividade desse modelo de negócio, um estudo realizado pela parceria entre a Beraca, a Universidade de São Paulo (USP) e a Columbia University, de Nova York, concluiu que, em um município com histórico de atividade madeireira ilegal, a cada R$ 1,5 investido no extrativismo sustentável, são retirados R$ 3,6 da mão de obra de serrarias ilegais.

No entanto, além de estimular a coleta de frutos e sementes de forma consciente, é necessário criar mecanismos capazes de proporcionar uma melhora na condição de vida. Do contrário, se houver apenas a preocupação com o meio ambiente e deixar a questão socioeconômica de lado, a necessidade pela sobrevivência, mais cedo ou mais tarde, fará com que a pessoa volte a atuar de maneira ilegal.

A alternativa, então, é promover parcerias entre diferentes instituições, como empresas, comunidades, cooperativas, governos, ONGs e órgãos de pesquisas. Apenas por meio de um trabalho conjunto, é possível obter uma cadeia de valor da biodiversidade capaz de garantir a perenidade e o aperfeiçoamento da atuação da Beraca em linha com a sustentabilidade: o valor agregado do próprio negócio; a melhoria do bem-estar de populações localizadas em áreas remotas; e a conservação do meio ambiente.

O mais relevante disso tudo é enxergar que existem inúmeras possibilidades de transformar a realidade do planeta e contribuir de maneira efetiva com a sua conservação – ou seja, o engajamento da sociedade é apenas uma delas.

Ao acreditar que o importante é sempre fazer algo que tenha um verdadeiro sentido, é possível contribuir para que o desenvolvimento econômico e a conservação de biomas naturais caminhem na mesma direção.

* Érica Pereira atua na área de Sustentabilidade da Beraca, líder global no fornecimento de ingredientes naturais provenientes da biodiversidade brasileira para as indústrias de cosméticos, produtos farmacêuticos e cuidados pessoais.



Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.


Desmoralização do SFT

A moralidade e a segurança jurídica justificam a continuidade da prisão em segunda instância. A mudança desta postura favorece a impunidade dos poderosos e endinheirados.