Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Fotografia: fragmento do passado que ajuda a construir a história

Fotografia: fragmento do passado que ajuda a construir a história

09/09/2016 João Rangel Marcelo

O realismo e o valor documental da imagem fotográfica é uma discussão acentuada desde sua invenção até nossos dias.

Em meados da década de 1950, século XIX, a fotografia já havia se beneficiado dos avanços técnicos, químicos e óticos que lhe permitiram abandonar os estúdios e avançar para a documentação imagética do mundo, com o "realismo" que a pintura não conseguia.

A fotografia beneficiava-se também das noções de "prova", "testemunho" e "verdade", que à época lhe estavam profundamente associadas e que a credibilizavam como “espelho do real”. A partir da década de 1920, há uma evolução significativa das câmeras fotográficas e dos métodos de impressão.

Em 1936, surge nos Estados Unidos, a revista Life, que seria, durante muitos anos, a grande vitrine do fotojornalismo no mundo. Com a expansão do fotojornalismo, começam a surgir as agências fotográficas. Entre as pioneiras estão as agências UPI, Associated Press, France Presse, Reuters.

A primeira fotografia jornalística impressa numa revista, no Brasil, apareceu no dia 20 de maio de 1900, na “Revista da Semana”. A imagem mostrava um flagrante das comemorações do Quarto Centenário do Descobrimento do Brasil.

Atualmente, o caminho e o futuro da profissão de fotojornalista nos veículos impressos diários sofrem com a concorrência da internet e da tecnologia, que permitem com muito mais facilidade o desempenho de tarefas múltiplas (fotografar, filmar e gravar áudio).

Porém, é possível constatar que o espaço para trabalhos autorais, de cunho marcadamente documental e abrangente tem aumentado sobremaneira nos veículos alternativos, nos livros fotojornalísticos e na própria internet. O realismo e o valor documental da imagem fotográfica é uma discussão acentuada desde sua invenção, em 1839, até nossos dias.

Cabe ao fotojornalista estabelecer sua forma de atuação e conduzir seu trabalho com objetividade, respeitando o momento histórico, as pessoas retratadas e, principalmente, os preceitos éticos inerentes, como no caso deste autor, à profissão de jornalista.

Criador de uma segunda realidade, mas nem por isso manipulador dos fatos, o fotojornalista tem a obrigação de registrar os acontecimentos cotidianos, desde os mais corriqueiros, que interessam a uma pequena comunidade, até os mais espetaculares, possibilitando às futuras gerações o conhecimento de um fragmento do passado que ajudou a construir a história do homem e as consequências de sua passagem pela terra naquele determinado momento.

É nesse sentido que o fotojornalista procura estabelecer uma forma de registro que contemple vários momentos presentes nas manifestações populares, na arquitetura dos grandes centros ou pequenas comunidades, nos conflitos mundiais ou mesmo locais, nas tragédias naturais ou provocadas pelo homem, nos estádios, autódromos e centros esportivos, no mar, na terra e no ar.

Nessa percepção de importância da imagem fotográfica atrelada à função documental e informativa, o fotojornalista caminha no decorrer dos tempos perseguindo não só sua capacidade de síntese no registro dos momentos como testemunha ocular, mas também como um fio condutor de informações que podem interferir diretamente na interpretação daquele que vê e reage perante os fragmentos da realidade.

* João Rangel Marcelo é fotojornalista e professor universitário.



Eleições para vereadores merecem mais atenção

Em anos de eleições municipais, como é o caso de 2024, os cidadãos brasileiros vão às urnas para escolher prefeito, vice-prefeito e vereadores.

Autor: Wilson Pedroso


Para escolher o melhor

Tomar boas decisões em um mundo veloz e competitivo como o de hoje é uma necessidade inegável.

Autor: Janguiê Diniz


A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso