Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Frustração: um empecilho para a vida plena e realizada

Frustração: um empecilho para a vida plena e realizada

21/07/2016 Hilda Medeiros

Como adultos não podemos mais expressar nossas angústias da vida com birras de criança. É preciso encarar de frente.

Frustração: um empecilho para a vida plena e realizada

Pesquisas dizem que um profissional passa em média por 23 adversidades por dia: trânsito, economia, subordinados, chefe, colegas de trabalho, família, empresa, etc. O problema não são as adversidades em si, considerando que muitas delas são inevitáveis, mas sim, a falta de preparo individual para lidar com as mesmas.

Desde bem pequenos aprendemos a nos aproximarmos das sensações prazerosas e a nos afastarmos daquelas que nos causam dor. As crianças não toleram que seus desejos sejam frustrados e respondem a isso com irritação e raiva. Muitas vezes se jogam nos chão para demonstrar a medida de sua contrariedade. Ninguém ensina uma criança a fazer birra - ela age assim porque tem poucos recursos de comunicação e essa é uma das maneiras de conseguir o que querem. Testam a tolerância dos pais e se conseguirem o objetivo desejado ao se jogar no chão pela primeira vez, tenderão a repetir o que deu certo. À medida que nos tornamos adultos nos vemos obrigados a encarar a dura verdade, nossos desejos não são realizados na hora que queremos. No entanto, internamente continuamos com o mesmo querer: Quero agora! Quando as coisas não acontecem como gostariam muitas pessoas se sentem imensamente frustradas.

Não é possível eliminarmos as frustrações de nossas vidas pelo simples fato de que vivemos em sociedade. Convivemos com pessoas, queiramos ou não. Elas possuem distintas combinações de comportamentos e esses nem sempre nos agradam. Assim como a natureza não dá à mínima se preferirmos dias ensolarados em oposição às tempestades com suas consequências. Por mais que queiramos, a tentativa de nos afastarmos das sensações desprazerosas são vãs.

A vida muitas vezes se apresenta de forma árdua demais. A dificuldade de lidar com o outro, a falta de tempo, projetos que não evoluem, falta de clareza sobre o que se responsabilizar no trabalho, não ter o comprometimento dos liderados, não ser ouvido pelo chefe, vitimização, culpa, tarefas sem fim - o resultado de tantas faltas é o sentimento de fracasso, frustação.

A questão principal não está em querer evitar o que não pode, e sim, procurar compreender as causas e encontrar meios de lidar com o que é possível. Em primeiro lugar, encontre a origem da frustação: Ela está ligada a sensações internas ou a eventos externos? É algo que pode ser controlado? Se a resposta for sim, como? Existem algumas frustações crônicas e muito profundas que precisam de ajuda profissional para resolver. Mas a maioria delas pode amenizar consideravelmente se tirarmos o foco do problema e direcioná-lo para as soluções.

Comece abandonando o papel de vítima, responsabilize-se por cada situação sem se culpar. A culpa não serve pra nada, ela não gera aprendizado. Descubra meios de otimizar o tempo - diminua os cafezinhos - e que tal aproveitar para aprender uma nova língua enquanto está parado no trânsito? Se faltar clareza na comunicação, essa é a hora de aprender a ouvir. Saber ouvir é fazer escuta ativa, prestar atenção no que está sendo dito ao invés de ficar procurando a resposta automática para o que vai responder. Trate com carinho a criança interior, mas diga a ela que no mundo adulto é preciso semear e esperar para colher. Escolha controlar o que pode ser controlado. Parece fácil, mas não é simples. E lembre-se: “Não importa o que você pensa que é, você é muito mais do que isso”.

* Hilda Medeiros atua há quinze anos em consultório particular como Coach Generativo e Psicoterapeuta de profissionais liberais, empresários e executivos de empresas de diferentes portes.



A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa