Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Gestão humanizada como diferencial de atendimento

Gestão humanizada como diferencial de atendimento

08/09/2016 Raquel Lima

O exercício da gestão humanizada reflete na prática do atendimento humanizado dos colaboradores para com os clientes.

Dentre os diversos recursos existentes em uma organização, o Recurso Humano tem sido trabalhado e desenvolvido dentro dos princípios da Gestão Humanizada, em que o indivíduo é compreendido em seus aspectos biológicos, psicológicos e sociais.

Ou seja, é percebido e respeitado na sua totalidade e singularidade. Em um mercado cada dia mais competitivo, as organizações precisam desenvolver estratégias que atendam às necessidades da empresa, bem como às necessidades e expectativas dos indivíduos que compõem seu capital humano.

O desafio dos gestores é conseguir conciliar os objetivos pessoais e profissionais dos colaboradores, e manter a produtividade saudável da organização. As práticas adotadas para se atingir esses objetivos, são:

Respeitar a história e o momento de vida de cada colaborador, exercitando e estimulando a empatia na organização;

Desenvolver relações cordiais na equipe, possibilitando um ambiente agradável e saudável, no qual todos possam se sentir pertencentes ao grupo, acarretando em maior satisfação e retenção dos profissionais;

Promover espaços de escuta e de voz, em que os profissionais se sintam acolhidos e seguros para exporem suas percepções, sejam elas positivas ou negativas, em relação aos processos, líderes, diretrizes, entre outros;

Ajudar os colaboradores a melhorarem suas performances, por meio de feedbacks contínuos;

Oferecer treinamentos técnicos e comportamentais para uma atuação mais segura dos profissionais.

Os resultados alcançados têm se mostrado satisfatórios com as práticas da gestão humanizada: diminuição no índice de rotatividade, queda no número de absenteísmo e afastamentos, maior envolvimento e motivação dos colaboradores.

Na TOP PEOPLE, empresa especializada em trade marketing e recrutamento e seleção, em um quadro de aproximadamente 600 colaboradores, chegamos a passar 2 anos sem causas trabalhistas e, por consequência, temos clientes cada dia mais satisfeitos com os serviços oferecidos por nossa empresa.

Acreditamos que o exercício da gestão humanizada reflete na prática do atendimento humanizado de nossos colaboradores para com nossos clientes, promovendo, assim, um círculo virtuoso.

* Raquel Lima é administradora e psicóloga, com especializações em Psicologia Cognitiva e Comportamental e em Neuropsicologia.



Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.


Desmoralização do SFT

A moralidade e a segurança jurídica justificam a continuidade da prisão em segunda instância. A mudança desta postura favorece a impunidade dos poderosos e endinheirados.