Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Gestão Made In Brazil

Gestão Made In Brazil

14/11/2008 Divulgação

É hoje sabido e divulgado em meios acadêmicos e empresariais que as organizações multinacionais no Brasil são uma excelente fonte de talentos executivos para suas operações globais.

Nas últimas décadas, inúmeros executivos brasileiros foram transferidos e promovidos para importantes posições em suas matrizes ou para unidades espalhadas por todos os cantos do mundo. O grande contingente de executivos brasileiros que têm deixado o País nos anos recentes para assumir papéis de maior relevância em suas empresas, em todos os setores econômicos e continentes, constitui uma clara evidência de que o nosso management é hoje parte significativa da alta direção e liderança global de conhecidas corporações internacionais. Igualmente, esta também parece ser a realidade das multinacionais brasileiras. Estas companhias relatam o curioso fato de contratarem, com alguma freqüência, brasileiros no exterior que, muitas vezes, acabam por retornar para o Brasil pelas mesmas empresas.

São cerca de 20 multinacionais brasileiras que, como sabemos, têm uma presença global cada vez mais importante e que, apenas em 2007, efetuaram investimentos diretos no exterior de US$ 35 bilhões. A verdade é que o Brasil e suas companhias têm obtido algumas conquistas indiscutíveis no novo milênio. A maior estabilidade econômica, o fluxo positivo de capitais para investimento de longo prazo, a valorização internacional de produtos onde somos campeões, o grau de investimento, o crescimento expressivo dos níveis de consumo interno, o surgimento de novos hábitos de consumo têm nos colocado em evidência como uma economia com excelentes perspectivas no futuro previsível. As multinacionais que operam no Brasil e suas congêneres brasileiras no País e no exterior têm crescido para atender à crescente demanda local e global por produtos e serviços.

A conseqüência direta tem sido um extraordinário salto nos níveis de demanda por talento executivo, que envolve praticamente todos os segmentos econômicos. Estas empresas relatam sérias dificuldades para encontrar os profissionais que necessitam e, ao mesmo tempo, sérios problemas para reter os seus melhores e não perdê-los para a concorrência. O resultado final é um déficit de executivos onde, há bem pouco tempo, existia abundância. Neste contexto, os executivos têm se beneficiado duplamente em suas carreiras, pois além da escassez, em uma economia mais dinâmica e globalizada são maiores e mais freqüentes as oportunidades para a ampliação de conhecimentos e habilidades técnicas e gerenciais.

Assim, a combinação do fenômeno da falta destes profissionais associado à expansão econômica do País, à internacionalização de suas empresas e a uma cultura executiva brasileira forjada inicialmente em multinacionais estrangeiras no Brasil, está permitindo ao executivo brasileiro expor seu talento e competência como profissional preparado para liderar operações com competência em qualquer parte do mundo, inclusive, no Brasil.

*Francisco I. R. Ramirez é sócio da Arc Executive Talent Recruiting, consultoria de gestão e recrutamento de executivos, e Professor dos Programas Executivos, CBA e MBA, do IBMEC São Paulo.



Diálogo em vez de justiça

Viver felizes para sempre parece ser um privilégio exclusivo dos casais formados nos contos de fadas.


Salvar a dignidade também é salvar a vida

Quando recebemos o diagnóstico de uma doença grave, crônica ou que ameace a vida, muita coisa muda.


Imunização pode garantir o retorno das gestantes ao trabalho

Recentemente, a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 2.058/21, que visa autorizar o retorno de gestantes ao trabalho presencial após imunização completa contra a Covid-19.


Selic mais alta não intimida mercado imobiliário

O setor imobiliário brasileiro surpreendeu os especialistas mais experientes e, durante a pandemia, foi um dos agentes responsáveis por manter a economia brasileira aquecida.


Vai sair do papel? Reforma Tributária deve ter votação rápida

Estamos a um ano das eleições nacionais. Isso pode soar como pouco tempo, mas, considerando o panorama político, é sensato dizer que ainda não aconteceu nada em termos de definições partidárias.


Que ingratidão…

Durante o tempo que fui redactor de jornal local, realizei numerosas entrevistas a figuras públicas: industriais, grandes proprietários, políticos, artistas…


Empresa Cooperativa x Empresa Capitalista

A economia solidária movimenta 12 bilhões e a empresa cooperativa gera emprego e riqueza para o país.


O fundo de reserva nos condomínios: como funciona e a forma correta de usar

O fundo de reserva é a mais famosa e tradicional forma de arrecadação extra. Normalmente, consta na convenção o percentual da taxa condominial que deve ser destinado ao fundo.


E se as pedras falassem?

Viver na Terra Santa é tentar diariamente “ouvir” as pedras! Elas “contemplaram” a história e os acontecimentos, são “testemunhas” fiéis, milenares porém silenciosas!


Smart streets: é possível viver a cidade de forma mais inteligente em cada esquina

De acordo com previsões da Organização das Nações Unidas (ONU), mais de 70% da população mundial viverá em áreas urbanas até 2050.


Quem se lembra dos velhos?

Meu pai, quando se aposentou, os amigos disseram: - " Entrastes, hoje, no grupo da fome…"


Greve dos caminhoneiros: os direitos nem sempre são iguais

No decorrer da sua história como república, o Brasil foi marcado por diversas manifestações a favor da democracia, que buscavam uma realidade mais justa e igualitária.