Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Infertilidade: de quem é a culpa?

Infertilidade: de quem é a culpa?

04/06/2017 Dr. Luiz Fernando Carvalho

A infertilidade atinge um em cada 10 casais no Brasil, segundo dados da Organização Mundial da Saúde

Infertilidade: de quem é a culpa?

Ela é diagnosticada a partir de uma consulta do casal, por isso é tão importante que a mulher informe ao ginecologista quando deseja engravidar e também que o parceiro participe dessa primeira consulta para que o profissional possa ter as informações necessárias relacionadas à fertilidade do casal.

Normalmente, as principais questões a serem levantadas pelo médico quando o tema é fertilidade são: o histórico de saúde da mãe da paciente (se ela parou de menstruar cedo, por exemplo), se a paciente já passou por algum tipo de cirurgia ou se já teve alguma doença ginecológica grave, se ela menstrua regularmente, se tem dor no período menstrual ou dor para ter relações sexuais e também qual o nível de ejaculação do parceiro (se visivelmente ele expele pouco sêmen).

As suspeitas do profissional devem ser certificadas por exames e, se diagnosticada a infertilidade, ele deve indicar o melhor tratamento de reprodução assistida. Quando o bebê não vem, a primeira possibilidade que vem à mente é que o problema está na mulher, mas isso não é um fato.

Estatisticamente, 40% da dificuldade é fator feminino, 40% masculino e 20% é fator do casal, isto é, não existe um “culpado” pela infertilidade, mas sim fatores que podem estar presentes no homem e mulher e que levam à dificuldade para engravidar.

Como saber se tenho algum problema?

Na medicina reprodutiva, utilizamos uma métrica muito importante que serve de alerta para o casal. Se a mulher tem até 35 anos de idade a tentativa de engravidar deve ser de até um ano.

Passado esse período é necessário buscar ajuda de um especialista em reprodução humana para investigar o problema. Caso a mulher tenha mais de 35, ela deve tentar até seis meses. Se o bebê não vier, é sinal de que algo está pode estar errado (com a mulher ou com o homem).

Um check-up da fertilidade permite descobrir precocemente se existe algum problema com a fertilidade do casal.

* Dr. Luiz Fernando Carvalho é ginecologista especializado em reprodução humana e endometriose e diretor do Baby Center Medicina Reprodutiva.



Quando a desinformação é menos tecnológica e mais cultural

Cenário é propício para o descrédito de pesquisas, dados, documentos e uma série de evidências de veracidade.


Igualdade como requisito de existência

Na última cerimônia de entrega do EMMY, o prêmio da TV Norte Americana, um ator negro foi premiado, fruto de reconhecimento praticamente unânime de seu trabalho.


Liderança é comunicação, conexão e confiança

Cada dia que passa, percebo que uma boa comunicação e liderança têm total relação com conexão.


“A educação é a arma mais poderosa…” mas para quem?

Tudo o que se cria ou se ensina no mundo tem dois lados. Geralmente as intenções são boas e as pessoas as tornam ruins.


“Golpe do Delivery”

Entregadores usam máquina de cartão para enganar consumidor.


A inclusão educacional e o mês das crianças

O tema da inclusão está na ordem do dia, dominando as agendas no mês das crianças.


A velha forma de fazer política não tem fim

Ser político no Brasil é um grande negócio, uma dádiva caída do céu, visto as grandes recompensas de toda a ordem obtidas pelos políticos.


Procedimento de segurança

“Havendo despressurização…”, anuncia a comissária, em tom calmo, aos ouvidos dos senhores passageiros daquele voo atrasado, sob a umidade e a monocromia do céu de quase inverno.


Envelhecimento: o tempo passa para todos

Todos nós, em algum momento de nossas vidas, já ouvimos a frase: “o tempo passa para todos”.


Os passos para encontrar a si mesmo e a Deus

Mar da Galileia, Mar de Tiberíades ou Lago de Genesaré, um lugar significativo de tantos milagres e narrativas do Evangelho.


A babá e o beijo

Se eu tinha dúvidas, agora não tenho mais.


A despolitização do Supremo Tribunal Federal

Não pode funcionar bem e com total isenção uma corte ou tribunal de indicação e nomeação política.