Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Infertilidade: de quem é a culpa?

Infertilidade: de quem é a culpa?

04/06/2017 Dr. Luiz Fernando Carvalho

A infertilidade atinge um em cada 10 casais no Brasil, segundo dados da Organização Mundial da Saúde

Infertilidade: de quem é a culpa?

Ela é diagnosticada a partir de uma consulta do casal, por isso é tão importante que a mulher informe ao ginecologista quando deseja engravidar e também que o parceiro participe dessa primeira consulta para que o profissional possa ter as informações necessárias relacionadas à fertilidade do casal.

Normalmente, as principais questões a serem levantadas pelo médico quando o tema é fertilidade são: o histórico de saúde da mãe da paciente (se ela parou de menstruar cedo, por exemplo), se a paciente já passou por algum tipo de cirurgia ou se já teve alguma doença ginecológica grave, se ela menstrua regularmente, se tem dor no período menstrual ou dor para ter relações sexuais e também qual o nível de ejaculação do parceiro (se visivelmente ele expele pouco sêmen).

As suspeitas do profissional devem ser certificadas por exames e, se diagnosticada a infertilidade, ele deve indicar o melhor tratamento de reprodução assistida. Quando o bebê não vem, a primeira possibilidade que vem à mente é que o problema está na mulher, mas isso não é um fato.

Estatisticamente, 40% da dificuldade é fator feminino, 40% masculino e 20% é fator do casal, isto é, não existe um “culpado” pela infertilidade, mas sim fatores que podem estar presentes no homem e mulher e que levam à dificuldade para engravidar.

Como saber se tenho algum problema?

Na medicina reprodutiva, utilizamos uma métrica muito importante que serve de alerta para o casal. Se a mulher tem até 35 anos de idade a tentativa de engravidar deve ser de até um ano.

Passado esse período é necessário buscar ajuda de um especialista em reprodução humana para investigar o problema. Caso a mulher tenha mais de 35, ela deve tentar até seis meses. Se o bebê não vier, é sinal de que algo está pode estar errado (com a mulher ou com o homem).

Um check-up da fertilidade permite descobrir precocemente se existe algum problema com a fertilidade do casal.

* Dr. Luiz Fernando Carvalho é ginecologista especializado em reprodução humana e endometriose e diretor do Baby Center Medicina Reprodutiva.



Luto e perdas na pandemia: o que estamos vivendo?

Temos presenciado uma batalha dolorosa em todo o mundo com o novo coronavírus (COVID-19).


Encare a realidade da forma correta

Em algum momento todos nós vamos precisar dessa mensagem.


Contraponto a manifestação do Jornalista Lucas Lanna

Inicialmente gostaria de parabenizar o jovem e competente jornalista Lucas Lanna Resende, agradecendo a forma respeitosa que diverge da matéria por mim assinada e intitulada “O Brasil deve um almoço a Roberto Jefferson”.


O Brasil deve um almoço a Roberto Jefferson?

Nos últimos dias, um artigo intitulado O Brasil deve um almoço a Roberto Jefferson, do advogado e ex-juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), Bady Curi, foi publicado neste espaço


O Brasil deve um almoço a Roberto Jefferson

A esquerda diz temer pela Democracia em razão de alguns pronunciamentos do Presidente Bolsonaro.


O Brasil, a logística e os “voos de galinha”

Parcerias público-privadas, com base no tripé da sustentabilidade podem proporcionar excelentes projetos para a logística no Brasil.


Eça e a famosa estatueta

Nos derradeiros anos do século transacto, tive a oportunidade de conhecer e entrevistar, D. Emília Eça de Queiroz.


Roda de histórias

Meu avô paterno, Seu Dito, era um bom contador de histórias. Contava com a mesma ênfase, fatos e ficções.


Infodemia: a pandemia de desinformação

Todos os dias em nossos smartphones, computadores e TVs, temos uma verdadeira chuva de informações, e nem sempre é possível conferir a veracidade delas.


O problema não é a Cloroquina

Estamos diante de uma doença ameaçadora, nunca antes vivida por nossa geração.


Liderança: Arte e Ciência

O que faz uma pessoa aceitar e reconhecer a liderança de outra?


Reflexões éticas em tempos de Coronavírus

Atualmente, vivemos num cenário de turbulências e preocupações com os impactos sociais e econômicos atuais que virão em decorrência da pandemia do vírus Covid-19.