Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Infraestrutura precária

Infraestrutura precária

24/02/2007 Floriano de Lima Nascimento

O Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (Sinaenco) presta importante serviço de utilidade pública ao tomar a iniciativa de realizar estudos sobre o estado em que se encontra a infraestrutura das cidades, a exemplo do que se fez recentemente em capitais como São Paulo, Recife, Salvador e Rio de Janeiro.

O mérito maior deste trabalho tem sido o de alertar povo e autoridades para a ameaça representada pela falta da conservação de construções erguidas nas décadas de 50, 60, 70 e, até, em data mais recente, que se ressentem da falta de manutenção. No Rio de Janeiro, por exemplo, descobriu-se que várias obras concluídas nas últimas décadas, têm apresentado problemas capazes de colocar em risco a segurança dos cidadãos. O complexo de viadutos da Mangueira exibe ferragens expostas, vegetação infiltrada entre as juntas de dilatação, erosão da base e construções irregulares em sua área. Uma ponte importante para a ligação entre duas ilhas apresenta a calçada esburacada, ferros expostos e o guarda-corpo quebrado em vários trechos.

Belo Horizonte não se destaca por grandes complexos de pontes e viadutos, até porque a nossa fisionomia urbana, de grande regularidade, não dependeu de obras desse tipo no passado, mas este cenário vem mudando, nos últimos anos, principalmente por causa do trânsito, que se tornou caótico na ausência de artérias capazes de lhe dar vazão. Para isso tem contribuído sensivelmente, por um lado, a precariedade do transporte público, agravada pela não conclusão do metrô, e, por outro, o aumento do trânsito de veículos particulares, em razão deste quadro. Mas este tema, embora relevante, não nos interessa no momento. O fato é que as grandes obras viárias, reclamadas há muitos anos pela população, não mais podem ser retardadas, sob pena de se agravarem os problemas urbanos.

Qual é o estado atual do complexo de pontes e viadutos que servem a Belo Horizonte? Só uma minuciosa análise feita por engenheiros e arquitetos poderia responder objetivamente a essa pergunta, mas dois fatos nos autorizam a especular sobre a questão. O primeiro deles é a notícia, divulgada por órgãos da imprensa mineira, há alguns meses, de que a situação desses equipamentos urbanos não é das melhores. O outro é que a simples observação dessas construções, mesmo feita por leigos, é suficiente para detectar ferragens expostas, goteiras e infiltração de vegetação, o que, somado, lhes dá aspecto nada tranqüilizador. Para não ficar em generalidades, vamos mencionar alguns pontos que observamos de perto: o Anel Rodoviário, que deveria ser rebatizado de Anel Mortuário, pelo elevado número de acidentes com vítimas fatais que ali ocorrem freqüentemente, é uma via que depõe contra os padrões da terceira capital do país. Nenhuma das grandes capitais do Brasil ostenta um monstrengo de tais dimensões. Felizmente para os que o utilizam no dia-a-dia, o Anel está em obras, que devem melhorá-lo. Espera-se que tenha sido elaborado um projeto capaz de adequar aquele entroncamento rodoviário às demandas dos numerosos motoristas que o utilizam diariamente. Outro equipamento, o chamado "Complexo da Lagoinha" está a exigir urgente inspeção, pois apresenta aspecto deplorável. O túnel ali existente necessita, não apenas de reparo, como de melhor iluminação, pois, como está, não transmite qualquer sensação de segurança ou conforto aos seus usuários. O mesmo se pode dizer a respeito do viaduto sobre a Avenida Amazonas, na região de Contagem, e dos que ligam o centro da cidade a alguns bairros da Capital. Julgamos também oportuno mencionar o famigerado viaduto Vila Rica, o "Viaduto das Almas", responsável por tantas catástrofes em nosso Estado, mas, nesse caso, estamos diante de problema de outra natureza, não se entendendo como obra tão precária pôde ser projetada, construída e mantida em funcionamento por décadas, ceifando tantas vidas humanas. Poderíamos buscar, aqui e ali, outros exemplos, mas o propósito deste artigo é fazer um alerta sobre o estado da infraestrutura da cidade e de seus arredores.

Fonte: Floriano de Lima Nascimento, Professor de Direito e membro do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais



A violência e o exemplo dos parlamentos

O péssimo exemplo que os políticos, em geral, dão nos parlamentos, insultando, ridicularizando os antagonistas, leva, por certo, a população a comportar-se de modo semelhante.


Brasileiro residente no exterior, por que fazer um planejamento previdenciário?

É muito comum no processo emigratório para o exterior ter empolgação e expectativas sobre tudo o que virá nessa nova fase da vida.


LGPD: é fundamental tratar do sincronismo de dados entre todas as aplicações

Se um cliente solicita alteração nos dados cadastrais ou pede a sua exclusão da base de dados que a empresa possui, o que fazer para garantir que isso ocorra em todos os sistemas e banco de dados que possuem os dados deste cliente ao mesmo tempo e com total segurança?


As gavetas que distorcem a vida política do país

Finalmente, está marcada para terça-feira (30/11), na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, a sabatina do jurista André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar a vaga decorrente da aposentadoria do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal.


O novo normal e a justiça!

Não restam dúvidas que o avanço tecnológico veio para melhorar e facilitar a vida das pessoas.


Repousar de fadigas, livrar-se de preocupações

O dicionário diz que descansar é repousar de fadigas, livrar-se de preocupações.


O fim da violência contra a mulher é causa de direitos humanos

O dia 25 de novembro marca a data internacional da não-violência contra as mulheres.


A primeira romaria do ano em Portugal

A 10 de Janeiro – ou domingo mais próximo dessa data, dia do falecimento de S. Gonçalo, realiza-se festa rija em Vila Nova de Gaia.


Medicina Preventiva x Medicina Curativa

A medicina curativa domina o setor de saúde e farmacêutico. Mas existe outro tipo de cuidado em crescimento, chamado de Medicina Personalizada.


A importância da inovação em programas de treinamento e desenvolvimento

O desenvolvimento de pessoas em um ambiente corporativo é um grande desafio para gestores de recursos humanos, principalmente para os que buscam o melhor aproveitamento das habilidades de um time através do autoconhecimento.


Por que o 13º salário gera “confiança” nos brasileiros?

O fim do ano está chegando, mas antes de pensar no Natal as pessoas já estão de olho no 13º salário.


O gênero “neutro” ou a “neutralização” de gênero

Tenho visto algumas matérias sobre a “neutralização” do gênero na língua portuguesa, no Brasil, algumas contra e algumas a favor. Digo no Brasil, porque em Portugal não vejo isto.