Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Intercâmbio para menores de idade: será que é seguro?

Intercâmbio para menores de idade: será que é seguro?

24/06/2015 Maurício Marques

Viver uma experiência no exterior fazendo um intercâmbio cultural traz grandes benefícios.

Além do aprendizado do idioma, a vivência em um novo país proporciona grande enriquecimento cultural e pessoal para o aluno.

Contudo, será que existe uma idade mínima para o intercâmbio? A resposta é: sim! Mas ao contrário do que muitos pensam, não é preciso ser maior de 16 anos para embarcar nessa.

Existem escolas que oferecem programas específicos para crianças a partir de oito anos, como os conhecidos Summer/Winter Camps, acampamentos de inverno ou verão.

No entanto, será que dá pra confiar e enviar uma criança para o exterior sozinha? Para tranquilizar os pais, afirmo que sim.

As escolas que recebem esses alunos são totalmente preparadas para este tipo de programa. A segurança é total desde o momento em que o aluno entra no avião até estar de volta ao Brasil.

O intercâmbio de férias pode ser de uma a oito semanas, dependendo da instituição e da época do ano. A escola organiza toda a programação.

Além das aulas de inglês, as crianças e adolescentes tem atividades à tarde, festas, passeios, pequenas excursões, etc. Ou seja, uma experiência completa.

Existem dois tipos de acomodação disponível: casa de família e residência estudantil. Na casa de família, as crianças são recebidas por moradores locais, e após o período de aulas e atividades voltam para casa “dos pais adotivos” e para o convívio com a cultura do país. Já na residência estudantil, as crianças ficam juntas em instalações controladas pelo colégio, sempre supervisionadas por monitores treinados.

Além de toda a segurança que as escolas dão aos alunos, é importante uma agência de intercâmbio para dar todo o suporte necessário aqui no Brasil.

Desta forma, a viagem pode acontecer com mais tranquilidade. Os preços variam conforme o destino, período do curso, escola escolhida. Os pacotes são sempre completos, incluindo curso, refeições, acomodação e atividades. Os detalhes variam conforme a instituição escolhida.

Esses programas podem ser para a língua inglesa ou espanhola. Os países mais procurados são Canadá, Estados Unidos, Inglaterra e Espanha. Esse tipo de programa tem sido cada vez mais procurado.

Os pais estão apostando nestes formatos, pois é uma excelente forma para que os filhos aprendam e conheçam uma nova cultura. Mesmo com pouca idade, um acampamento de verão ou inverno é muito bem aproveitado pelas crianças e adolescentes.

Essa experiência vai auxiliar no amadurecimento pessoal e profissional e, com certeza, trará lembranças especiais para toda a vida. Para os mais preocupados, há ainda a possibilidade do intercâmbio em família.

Durante o período de férias, as crianças passam o dia nas aulas e atividades, enquanto os pais podem fazer cursos de idiomas. À noite, pais e filhos podem dividir a mesma acomodação. Ainda há a vantagem de poder passear durante os finais de semana. Uma excelente opção para férias.

* Maurício Marques é diretor comercial da Global Study, franquia de intercâmbios.



O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa


O futuro da indústria 5.0 na sociedade

O conceito de Indústria 5.0 é definido como uma visão humanizada das transformações tecnológicas no setor, equilibrando as necessidades atuais e futuras dos trabalhadores e da sociedade com a otimização sustentável do consumo de energia, processamento de materiais e ciclos de vida dos produtos.

Autor: Pedro Okuhara


Em defesa do SUS: um chamado à ação coletiva

A escassez de recursos na saúde pública brasileira é um problema crônico.

Autor: Juliano Gasparetto


Impactos da proibição do fenol pela Anvisa no mercado de cosméticos e manipulação

Recentemente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tomou a decisão de proibir a venda e o uso de produtos à base de fenol em procedimentos de saúde e estéticos.

Autor: Claudia de Lucca Mano


A fantasia em torno da descriminalização da maconha

"As drogas pisoteiam a dignidade humana. A redução da dependência de drogas não é alcançada pela legalização do uso de drogas, como algumas pessoas têm proposto ou alguns países já implementaram. Isso é uma fantasia".

Autor: Wilson Pedroso


Ativismo judicial: o risco de um estado judicialesco

Um Estado policialesco pode ser definido como sendo um estado que utiliza da força, da vigilância e da coerção exacerbada contra a população, principalmente com seus opositores.

Autor: Bady Curi Neto


Abortada a importação do arroz

O governo desistiu de importar arroz para fazer frente à suposta escassez do produto e alta de preços decorrentes das cheias do Rio Grande do Sul, responsável por 70% do cereal consumido pelos brasileiros.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


2024, um ano de frustração anunciada

O povo brasileiro é otimista por natureza.

Autor: Samuel Hanan