Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Males do Brasil

Males do Brasil

03/12/2005 Floriano de Lima Nascimento

Os racistas, em sua ignorância sólida, antiga e inexpugnável, atribuíam à miscigenação a origem de nossas desditas.

Nos anos 60, políticos, intelectuais e pessoas razoavelmente informadas sobre as grandes questões nacionais costumavam polemizar sobre as verdadeiras causas do atraso econômico e social do Brasil. E isso numa época em que nosso povo, como assegurava Nélson Rodrigues em suas crônicas esportivas, havia perdido boa parte dos seus complexos, e se preparava para conquistar um lugar honroso no concerto das nações, graças aos avanços obtidos nos governos de Juscelino Kubitschek e Getúlio Vargas.

As respostas variavam. Alguns diziam que a origem do problema estava no clima tropical, que tornava as pessoas preguiçosas. Outros lançavam a culpa na colonização portuguesa, que nos teria contaminado com vícios seculares. Os racistas, em sua ignorância sólida, antiga e inexpugnável, atribuíam à miscigenação a origem de nossas desditas. E não faltava quem visse no despreparo dos governantes brasileiros a causa dos males que nos assolavam.

O tempo encarregou-se de tornar ultrapassada a maioria desses argumentos, obviamente destituídos de qualquer consistência.

Afinal de contas, depois que os candangos mostraram sua fibra, disciplina e criatividade na construção de Brasília, e gerações de atletas negros e mulatos destacaram-se na conquista de três Copas do Mundo, tornou-se fora de moda atribuir nosso atraso ao clima ou a fatores raciais. Quanto aos portugueses, uma leitura mais cuidadosa da história, que testemunha o seu desempenho no desbravamento do Novo Mundo, dissipa quaisquer resquícios de dúvida sobre o talento e valentia da brava gente lusitana.

O último dos argumentos, que coloca a culpa dos nossos problemas sobre as elites dirigentes, bem, este resiste ao tempo. Como diria o jornalista Paulo Francis, “se queres um monumento, olha em torno”. Mais uma vez, a Nação assiste, estarrecida, a um deprimente espetáculo que se repete de tempos em tempos: o do despreparo das chamadas elites dirigentes para conduzir o país com seriedade e competência. Desde os primórdios da República, tem sido acalentado em nossa pátria o ideal de se construir um país independente, soberano, democrático, desenvolvido, justo e socialmente equilibrado, em que a cidadania passe a ser exercida em sua plenitude. Mais uma vez o sonho é adiado.

Todas essas expectativas já poderiam ter sido atendidas, se não tivessem sido obstaculizadas por clamorosos erros políticos, cometidos por grupos e indivíduos que nem sempre estão à altura das suas responsabilidades históricas.

 * Floriano de Lima Nascimento é Ocupante da Cadeira nº 25 do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais 



LGPD: é fundamental tratar do sincronismo de dados entre todas as aplicações

Se um cliente solicita alteração nos dados cadastrais ou pede a sua exclusão da base de dados que a empresa possui, o que fazer para garantir que isso ocorra em todos os sistemas e banco de dados que possuem os dados deste cliente ao mesmo tempo e com total segurança?


As gavetas que distorcem a vida política do país

Finalmente, está marcada para terça-feira (30/11), na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, a sabatina do jurista André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar a vaga decorrente da aposentadoria do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal.


O novo normal e a justiça!

Não restam dúvidas que o avanço tecnológico veio para melhorar e facilitar a vida das pessoas.


Repousar de fadigas, livrar-se de preocupações

O dicionário diz que descansar é repousar de fadigas, livrar-se de preocupações.


O fim da violência contra a mulher é causa de direitos humanos

O dia 25 de novembro marca a data internacional da não-violência contra as mulheres.


A primeira romaria do ano em Portugal

A 10 de Janeiro – ou domingo mais próximo dessa data, dia do falecimento de S. Gonçalo, realiza-se festa rija em Vila Nova de Gaia.


Medicina Preventiva x Medicina Curativa

A medicina curativa domina o setor de saúde e farmacêutico. Mas existe outro tipo de cuidado em crescimento, chamado de Medicina Personalizada.


A importância da inovação em programas de treinamento e desenvolvimento

O desenvolvimento de pessoas em um ambiente corporativo é um grande desafio para gestores de recursos humanos, principalmente para os que buscam o melhor aproveitamento das habilidades de um time através do autoconhecimento.


Por que o 13º salário gera “confiança” nos brasileiros?

O fim do ano está chegando, mas antes de pensar no Natal as pessoas já estão de olho no 13º salário.


O gênero “neutro” ou a “neutralização” de gênero

Tenho visto algumas matérias sobre a “neutralização” do gênero na língua portuguesa, no Brasil, algumas contra e algumas a favor. Digo no Brasil, porque em Portugal não vejo isto.


O poder da gentileza

O mês de novembro traz uma comemoração muito especial e essencial para estes tempos pandêmicos e de tanta polarização política: o Dia da Gentileza.


Branco no preto

As pessoas pretas no Brasil vivem pior do que as pessoas brancas, independentemente de qualquer situação.