Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Metas Saudáveis para o Ano Novo

Metas Saudáveis para o Ano Novo

15/01/2015 Leide Lessa

Muitas pessoas escrevem suas metas para o Ano Novo! Eu sou uma delas!

Há muitos anos, na véspera do Natal, um grupo de amigos e eu estávamos sentados ao redor de linda fogueira, no interior de São Paulo. Alguns desses amigos contaram como a vida deles se transformou, após haverem dado um passo importante.

Quando voltei para casa no dia 2 de janeiro, pensei que deveria também dar um passo importante na minha vida. Decidi, então, escrever minhas metas para o Ano Novo. Ao invés de pensar em impossibilidades, pensei em puros e sinceros desejos. Como estava de férias da faculdade, nas horas livres eu lia artigos inspirativos, a Bíblia e o livro Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, de Mary Baker Eddy.

No terceiro dia, comecei a receber ligações com ofertas de trabalho. Aceitei as ofertas e em 6 meses comprei uma passagem para fazer um curso no exterior e me mudei para um lugar maior. Paguei tudo sozinha! Essa experiência sempre me inspira na escolha de metas para o Ano Novo. Acho que minha lista este ano pode ajudar não só a mim, mas a qualquer pessoa que queria ter um ano melhor e mais saudável:

- Filtrar as opiniões alheias e me basear na fonte divina de ideias.

- Olhar para o mundo com uma lente espiritual, enfocando no bem para ajudar a eliminar o mal.

- Encontrar sempre uma palavra gentil.

- Amar mais: a Deus, a mim e todos como Seus filhos.

- Ver só o bem nas pessoas, com a esperança de que sejam amáveis e honestas.

- Prestar atenção ao que “como”! É difícil e pouco saudável nutrir-se de ressentimento, raiva ou tristeza… é mais fácil e saudável preparar, consumir, digerir e compartilhar o perdão, a paciência e a alegria.

- Exercitar-me muito, não só o corpo, mas principalmente o pensamento, procurando formas criativas de partilhar o amor com a humanidade.

Tenho certeza de que esses são elementos-chave para alcançar e ter êxito em qualquer meta que se acrescente à lista para o Ano Novo.

*Leide Lessa é professora e conferencista da Ciência Cristã e escreve sobre saúde sob uma perspectiva espiritual.



Os candidatos avulsos e os partidos

Por iniciativa do ministro Luiz Roberto Barroso, o STF (Supremo Tribunal Federal) abre a discussão sobre a as candidaturas avulsas, onde os pretendentes a cargo eletivo não têm filiação partidária.


Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.