Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Moi aussi, Catherine Deneuve…eu também!

Moi aussi, Catherine Deneuve…eu também!

19/01/2018 Cida Gonçalves

Não se fortalece a mulher enfraquecendo os homens.

Moi aussi, Catherine Deneuve…eu também!

Fiquei feliz ao ler o manifesto feito pelas francesas, encabeçado por ninguém menos que a mitológica Catherine Deneuve! Discordo dessa onda de protestos que se agiganta diariamente contra os homens, taxando-os, todos, sem excessão, de machistas, primitivos, chauvinistas e por aí afora…

Não se fortalece a mulher enfraquecendo os homens. O que precisamos é de mulheres fortes que sejam capazes de dizer "sim, eu quero" ou "não, eu não quero, caia fora". Como se consegue isso? Educando nossas meninas e mulheres para serem independentes, donas da própria vida, das próprias vontades e desejos! Isso sim é empoderamento feminino.

Hoje vejo homens assustados, amedrontados, porque até olhar uma mulher com desejo é considerado assédio sexual! Caminha-se para o perigoso momento em que o ritual da conquista, da sedução, do olhar, da piscadela marota e do sorriso ousado passam a se metamorfosear em perigo de escândalo, cadeia.

Pura tolice! Não estou falando aqui de violência, coação, agressão sexual, atos libidinoso, estupro. Crime é crime. Estou falando de sedução, pura e simples, elogios que vêm de surpresa (fazem bem para o ego!), convite para um café depois do trabalho ou até mesmo para uma transa casual (se ambos estão dispostos, se os sinais são evidentes, por que não?).

Mas a arte da sedução está virando crime! Está tudo misturado no mesmo balaio de abusos e sedução está virando sinônimo de agressão. Deixar-se seduzir não é fraqueza. Sempre me senti uma mulher empoderada, e desde os tempos que ninguém pronunciava essa palavra, desde que ela sequer era bandeira ou fazia parte dos dicionários.

O que me deu empoderamento? Independência! Ser independente financeiramente e emocionalmente sempre me deu o poder de escolha, de aceitação, de rejeição, de diversão, de me permitir às delícias da sedução! E é pra isso que devemos fazer campanhas, pela igualdade e liberdade, que possamos seduzir e ser seduzidas.

É aí que mora o segredo e a beleza desse mundo já tão combalido de tantas misérias, cada vez mais difícil e sem cor. Deixemos que homens e mulheres sejam livres para viver a sexualidade sem amarras, sem medos e com prazer. Que tenhamos a liberdade de dizer NÃO mas também a oportunidade de poder dizer SIM!

* Cida Gonçalves é diretora executiva da PLAYBOY BRASIL.



Missão do avô

Na família os avós são conselheiros dos pais e dos netos.


A importância das relações governamentais e institucionais

As relações governamentais e institucionais têm sido um instrumento de alta relevância para qualquer organização no atual momento político brasileiro.


Namoro na adolescência: fato ou fake?

O início da adolescência coincide com o final do Ensino Fundamental, fase em que desabrocham as paixões e, com elas, o convite: “quer namorar comigo?”.


Autobiografias: revelações das experiências em família

A curiosidade de muitas pessoas sobre a (auto) biografia de personalidades tem se tornado cada vez mais crescente, nos últimos anos.


What a wonderful world

Louis Daniel Armstrong foi um cantor e instrumentista nascido na aurora do século 20, e foi considerado “a personificação do jazz”.


A violência doméstica

Em Portugal, desde o início do ano, apesar de se combater, por todos os meios, a violência na família, contam-se já mais de uma dezena de mulheres, assassinadas.


O desrespeito ao teto constitucional e o ativismo judicial

O ativismo do Executivo e do Judiciário está “apequenando” o Legislativo.


Indicadores e painéis urbanos aliados à administração pública

A cidade com fatos visualizados está remodelando a forma como os cidadãos e gestores vêm a conhecê-la e governá-la.


Os perigos do Transporte Aéreo Clandestino

Os regulamentos aeronáuticos buscam estabelecer critérios mínimos a serem seguidos pelos integrantes da indústria em questão.


A agenda do dia seguinte

A reforma da Previdência será aprovada no Congresso, salvo fatos graves e imprevistos. A dúvida, hoje, se restringe a quanto será, efetivamente, a economia do governo, em dez anos, já que as estimativas variam entre 500 a 900 bilhões de reais.


Comissão de Justiça e Paz

A CJP de Vitória foi criada em 1978 pelos Bispos Dom João Baptista da Motta e Albuquerque e Dom Luís Gonzaga Fernandes.


A sabedoria dos mineiros em ajudar os menos favorecidos

Há quatro organizações não governamentais de assistência social situadas em Belo Horizonte que estão fazendo um trabalho maravilhoso para ajudar os menos favorecidos.