Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Não é pelos R$ 4.377,73

Não é pelos R$ 4.377,73

21/03/2018 Valdemir Pires

A oposição a este gasto público também é por conta da avaliação negativa do desempenho de juízes.

Não é contra o pagamento de R$ 4.377,73, a título de auxílio-moradia, aos juízes que a indignação da opinião pública se levanta, ainda que de certo modo amordaçada por meios de comunicação de massas que não lhe dão a devida atenção.

É contra o fato de que a nenhum brasileiro, que paga os tributos de onde serão retiradas as tais “bolsas”, é dado acesso a benesse dessa natureza (muito menos em tal magnitude), devendo cada um se virar com habitação (prestação do crédito imobiliário ou aluguel) fazendo uso do salário que consegue (em média R$ 2.500,00, puxada para cima por conta de altíssimas remunerações, inclusive a dos juízes, pois o piso é muito menor, salário mínimo não chegando a mil reais).

A oposição a este gasto público acontece, também, por conta da avaliação negativa do desempenho de juízes e do Judiciário que a população tem feito. Esse desempenho não tem sido dos melhores. Quem necessita acionar os serviços do Judiciário ou é por alguém nele acionado, sabe o calvário que isso implica, em termos de morosidade e tratamento que não raro beira o desrespeito ao cidadão.

Além disso, a percepção (correta ou não), em anos recentes, de um componente de parcialidade político-ideológica e partidária em julgamentos, e na acolhida ou não de certas denúncias, fere a imagem de conjunto dos que atuam com poder decisório no Poder Judiciário do país.

As condições de trabalho de juízes, cercada de aspectos que podem ser considerados mordomias, quando não assemelhados a tratamentos concedidos somente à realeza, também não contribui para que a opinião pública, formada a partir da percepção de gente comum, que rala todo dia sob condições muito distintas, sejam em fábricas, fazendas ou escritórios, seja favorável aos de toga.

Não é possível acreditar que de indivíduos que se beneficiam de injustiça distributiva tão notável e execrável, em termos de renda, com facilidades para determinar as próprias remunerações que nenhum agente econômico (nem ator político) tem, possam, de fato, portar grandes preocupações com justiça, em outros âmbitos da vida.

Ademais, vivendo num mundo completamente à parte daqueles a quem julgarão, é evidente que desenvolvem um tipo de sensibilidade que tende a se distanciar dos pobres e comuns mortais. Tendo em vista que no Judiciário o controle e o saneamento oportunizados pelo voto, de tempos em tempos, não funcionam, para reaproximar o povo dos governantes, neste poder a consciência e a atitude republicanas dos agentes requer muito mais cuidado no tocante a princípios e ao zelo com a imagem.

E as punições para os desvios não podem, jamais, ser, um prêmio: a aposentadoria, com percepção total dos rendimentos. É por esses valores e princípios, republicanos, que a opinião pública se bate, hoje, indignada.

Não é pelos R$ 4.377,73, embora eles aumentem, ainda mais, um padrão remuneratório que está acima do internacional, frente a uma capacidade tributária muito abaixo da verificada em muitos países, e frente a uma carência de políticas sociais que atualmente está sendo afrontada por cortes nos orçamentos públicos, atuais e futuros.

* Valdemir Pires é Economista, professor e pesquisador do Departamento de Administração Pública da Unesp.



O metaverso vem aí e está mais próximo do que você imagina

Você, assim como eu, já deve ter ouvido falar no Metaverso.


Indulto x Interferência de Poderes

As leis, como de corriqueira sabença, obedecem a uma ordem hierárquica, assim escalonadas: – Norma fundamental; – Constituição Federal; – Lei; (Lei Complementar, Lei Ordinária, Lei Delegada, Medida Provisória, Decreto Legislativo e Resolução).


Você e seu time estão progredindo?

Em qualquer empreitada, pessoal, profissional ou de times, medir resultados é crucial.


Propaganda eleitoral antecipada

A propaganda para as eleições neste ano só é permitida a partir do dia 16 de agosto.


Amar a si mesmo como próximo

No documentário “Heal” (em Português, “Cura”), disponível no Amazon Prime, há um depoimento lancinante de Anita Moorjani, que, em Fevereiro de 2006 chegou ao final de uma luta de quatro anos contra o câncer.


O peso da improbidade no destino das pessoas

O homem já em tempos pré-históricos se reunia em volta das fogueiras onde foi aperfeiçoada a linguagem humana.


Mercado imobiliário: muito ainda para crescer

Em muitos países, a participação do mercado imobiliário no Produto Interno Bruto (PIB) está acima de 50%, enquanto no Brasil estamos com algo em torno de 10%.


Entender os números será requisito do mercado de trabalho

Trabalhar numa empresa e conhecer os seus setores faz parte da rotina de qualquer colaborador. Mas num futuro breve esse conhecimento será apenas parte dos requisitos.


Quais os sintomas da candidíase?

A candidíase é uma infecção causada por uma levedura (um tipo de fungo) chamada Candida albicans.


Entenda o visto humanitário para ucranianos

A invasão da Ucrânia pela Rússia, iniciada em 24 de fevereiro, já levou mais de 4 milhões de ucranianos a deixarem seu país em busca de um lugar seguro.


Exigência de vacina não é motivo para rescisão indireta por motivo ideológico

Não se discute mais que cabe ao empregador, no exercício de seu poder diretivo e disciplinar, zelar pelo meio ambiente de trabalho saudável.


A governança de riscos e gestão em fintechs

Em complemento às soluções e instituições financeiras já existentes, o mercado de crédito ficou muito mais democrático com a expansão das fintechs.