Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Nossos professores estão sofrendo

Nossos professores estão sofrendo

03/03/2019 Genoveva Ribas Claro

Houve um crescimento significativo dos casos de transtorno afetivo bipolar e de transtorno de ansiedade.

A violência, a injustiça e a corrupção que permeiam nossa sociedade exigem, cada dia mais, um novo perfil de profissional da educação. Ele deve ser um agente de formação humana e preparar os estudantes para a cidadania, para a inclusão, para respeitar as diversidades. Porém, se isso é benéfico para a sociedade, tem gerado uma sobrecarga de atividades nos professores.

As instituições de ensino têm sido constantemente transformadas por políticas públicas, que ampliaram sua atuação devido ao avanço das condições democráticas. Essas transformações impactam diretamente a rotina de trabalho dos professores, que precisam se adequar às novas metodologias de ensino e às necessidades da sociedade moderna.

Entre as novas exigências, estão a eficiência e eficácia do ensino, a formação de cidadãos para o mundo globalizado e para o mercado de trabalho. São habilidades que vão além do âmbito da transmissão de conhecimento, das técnicas e das didáticas – envolvem também a capacidade de formar valores.

Isso pode ser constatado nas declarações da Organização Internacional do Trabalho, que ressaltam o “papel central” do professor na sociedade, uma vez que são responsáveis pelo preparo do cidadão para a vida.

Essas mudanças no sistema educacional, principalmente as que se referem à busca de resultados rápidos, influenciam a saúde mental do professor. A psicologia investiga os principais transtornos mentais que levam professores do ensino fundamental a serem afastados do trabalho. As pesquisas já concluem que as condições de trabalho e a atividade docente têm grande influência nos afastamentos.

O mal-estar do professor é caracterizado por sentimento de impotência e de inutilidade, desespero e baixa autoestima. Esse sofrimento mental leva os professores à depressão, patologia que mais afeta os trabalhadores docentes nos últimos anos. Além disso, houve um crescimento significativo dos casos de transtorno afetivo bipolar e de transtorno de ansiedade.

Ensinar por si só já é uma atividade estressante e, dependendo do grau de estresse a que a pessoa é submetida, há consequências diretas na saúde mental e física. Frente a isso, a dimensão crítica da pesquisa na área da educação reconhece um contexto histórico que exige retomar algumas fases importantes da relação do professor, trabalho e saúde.

Os profissionais de educação são apontados como os mais afetados em maior ou menor grau pelo estresse, prejudicando as relações profissionais e interpessoais, levando deterioração crescente da qualidade de vida nos diversos âmbitos do trabalho humano e na vida pessoal.

É importante ressaltar que pesquisas são importantes para estabelecer políticas públicas eficazes na contemplação da prevenção, do diagnóstico e tratamento para os professores.

* Genoveva Ribas Claro é coordenadora do curso de Psicopedagogia do Centro Universitário Internacional Uninter.

Fonte: Página 1 Comunicação



A violência e o exemplo dos parlamentos

O péssimo exemplo que os políticos, em geral, dão nos parlamentos, insultando, ridicularizando os antagonistas, leva, por certo, a população a comportar-se de modo semelhante.


Brasileiro residente no exterior, por que fazer um planejamento previdenciário?

É muito comum no processo emigratório para o exterior ter empolgação e expectativas sobre tudo o que virá nessa nova fase da vida.


LGPD: é fundamental tratar do sincronismo de dados entre todas as aplicações

Se um cliente solicita alteração nos dados cadastrais ou pede a sua exclusão da base de dados que a empresa possui, o que fazer para garantir que isso ocorra em todos os sistemas e banco de dados que possuem os dados deste cliente ao mesmo tempo e com total segurança?


As gavetas que distorcem a vida política do país

Finalmente, está marcada para terça-feira (30/11), na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, a sabatina do jurista André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar a vaga decorrente da aposentadoria do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal.


O novo normal e a justiça!

Não restam dúvidas que o avanço tecnológico veio para melhorar e facilitar a vida das pessoas.


Repousar de fadigas, livrar-se de preocupações

O dicionário diz que descansar é repousar de fadigas, livrar-se de preocupações.


O fim da violência contra a mulher é causa de direitos humanos

O dia 25 de novembro marca a data internacional da não-violência contra as mulheres.


A primeira romaria do ano em Portugal

A 10 de Janeiro – ou domingo mais próximo dessa data, dia do falecimento de S. Gonçalo, realiza-se festa rija em Vila Nova de Gaia.


Medicina Preventiva x Medicina Curativa

A medicina curativa domina o setor de saúde e farmacêutico. Mas existe outro tipo de cuidado em crescimento, chamado de Medicina Personalizada.


A importância da inovação em programas de treinamento e desenvolvimento

O desenvolvimento de pessoas em um ambiente corporativo é um grande desafio para gestores de recursos humanos, principalmente para os que buscam o melhor aproveitamento das habilidades de um time através do autoconhecimento.


Por que o 13º salário gera “confiança” nos brasileiros?

O fim do ano está chegando, mas antes de pensar no Natal as pessoas já estão de olho no 13º salário.


O gênero “neutro” ou a “neutralização” de gênero

Tenho visto algumas matérias sobre a “neutralização” do gênero na língua portuguesa, no Brasil, algumas contra e algumas a favor. Digo no Brasil, porque em Portugal não vejo isto.