Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O “AutoconheCINEMA” online como escapatória para o confinamento

O “AutoconheCINEMA” online como escapatória para o confinamento

29/07/2020 Rafael Monteiro de Castro

A quarentena imposta pela pandemia forçou diferentes grupos sociais a reinventarem suas atividades de lazer.

Da mesma forma, empresários buscaram adaptar seus serviços, que já existiam previamente, assim como as pessoas de modo geral tiveram que encontrar novos métodos de interagir e se sentirem menos solitárias por conta do isolamento social. A “boia salva-vidas” veio por meio da internet e atividades virtuais.

A partir dessa necessidade, as ações online, de diversos tipos, tornam-se mais frequentes, especialmente as famosas ‘lives’.

Mas alguns serviços, bastante inovadores em sua forma e propósito, mostram-se mais inclusivos, abrangentes e proveitosos durante o confinamento.

É o caso do “Autoconhecinema”, serviço que visa promover reflexão e troca de experiências por meio de uma discussão sobre filmes.

Idealizado pelo roteirista e palestrante Luciano Luna, a ideia foi concebida para ser presencial e consiste em uma discussão de grupos a respeito dos conflitos e personagens de determinada produção cinematográfica, sempre visando instigar os participantes a trazer suas próprias experiências e pontos de vista para a discussão.

Ainda é comum que o “Autoconhecinema” seja pouco conhecido. Contudo, é possível explicá-lo a partir da definição de autoconhecimento que, de modo breve, explica o que determinado indivíduo sabe sobre si, como ele se enxerga e como se desenvolve nas áreas de sua vida.

Dessa forma, o conceito foi aplicado com o objetivo de incentivar o olhar para dentro de si, levando em consideração a análise de histórias fictícias, assim como ocorre no cinema.

Com a pandemia, o serviço teve que ser adaptado para o formato online, e isso foi extremamente benéfico para sua disseminação, pois, além de tornar mais prática a participação e mais abrangente o público, os encontros puderam ocorrer em maior amplitude e não sofrer restrição geográfica.

Dessa forma, foi possível conectar pessoas de inúmeras regiões, promover o contato em um momento tão solitário e discutir a respeito de cinema.

O “Autoconhecinema” é bastante usado em empresas que precisam resolver algum conflito ou promover a discussão de algum tema entre equipes e por isso, a atividade era regularmente aplicada pessoalmente, até por conta da proximidade que agrega valor à prática.

Porém, assim como a maioria das ações, foi obrigatória e imediata uma mudança dos hábitos nesse período em que as pessoas não estão saindo de casa. Tornou-se mais popular o entretenimento com conteúdo relevante, na maior parte em conjunto da informação.

É importante ressaltar que cada módulo do “Autoconhecinema” traz um filme diferente, e isso faz com que as discussões também sejam diversas, abordando temas como liderança, competitividade e ética, obviamente relacionando à história assistida, com a perspectiva da vida real.

Com isso, é possível trocar experiências e compreender o universo de outras pessoas, por meio de perguntas embasadas por psicólogos.

Contudo, é muito importante enfatizar que o “Autoconhecinema” resulta em algo bastante interessante, que é a criação de narrativa.

Muitos homens e mulheres ainda têm dificuldade de se expressar, de expor seus sentimentos da forma correta, justamente por essa falta de familiaridade com o universo de “storytelling” e, a partir da análise dos filmes e conversão para o mundo palpável, é possível imergir nas estruturas de roteiro e sair dos encontros online muito mais críticos e criativos.

* Rafael Monteiro de Castro é publicitário e redator, roteirista especializado em storytelling na Autoconhecinema.

Fonte: Vervi Assessoria



Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.


Geração millenials, distintas facetas

A crise mundial – econômica, social e política – produzida pela transformação sem precedentes da Economia 4.0 coloca, de forma dramática, a questão do emprego para os jovens que ascendem ao mercado de trabalho.


Por que ESG e LGPD são tão importantes para as empresas?

ESG e LGPD ganham cada vez mais espaço no mundo corporativo por definirem novos valores apresentados pelas empresas, que procuram melhor colocação no mercado, mais investimentos e consumidores satisfeitos.


O Paradoxo de Fermi e as pandemias

Em uma descontraída conversa entre amigos, o físico italiano Enrico Fermi (1901-1954) perguntou “Onde está todo mundo?” ao analisarem uma caricatura de revista que retratava alienígenas, em seus discos voadores, roubando o lixo de Nova Iorque.


Novo salário mínimo em 2022 e o impacto para os trabalhadores autônomos

O valor do salário mínimo em 2022 será de R$ 1.212,00.


2021 – A ironia de mais um ano que ficará marcado na história

Existe um elemento no ano de 2021 que imputou e promoveu uma verdadeira aposta de cancelamentos e desejos para que ele seja mais um ano apagado da memória de milhares de pessoas: A pandemia, que promoveu o desaparecimento definitivo de milhares de pessoas.


Negócios do futuro: por que investir em empreendedorismo no setor financeiro

Você sabia que 60% dos jovens de até 30 anos sonham em empreender?


A importância de formar talentos

Um dos maiores desafios das empresas tem sido encontrar talentos com habilidades desenvolvidas e preparados para contribuir com a estratégia da empresa.


Sustentabilidade em ‘data center’: setor se molda para atender a novas necessidades

Mesmo que a sustentabilidade ainda seja um tema relativamente novo no segmento de data center, ele tem se tornado cada vez mais necessário para as empresas que querem agregar valor ao seu negócio.


Tendência de restruturações financeiras e recuperações judiciais para o próximo ano

A expectativa para o próximo ano é de aumento grande no número de recuperações judiciais e restruturações financeiras, comparativamente, aos anos de 2021 e 2020.