Portal O Debate
Grupo WhatsApp


O bom do futebol

O bom do futebol

11/04/2016 Henrique Ulhoa

A magia que envolve o futebol e o ato de ir a campo se divertir

Durante toda a semana o assunto era um só na cidade. Carros de som percorriam ruas e becos anunciando o grande jogo. Inserções nas rádios e na TV local convocavam a população. Torcedores e amantes do futebol não escondiam a ansiedade e a expectativa de um bom resultado do time da casa.

No dia do jogo, a resenha começou logo cedo. Na lanchonete dos ‘boleiros’ da cidade, as prosas se alternavam entre qual seria o placar do jogo, se o estádio ia ficar cheio e, se o juiz ia roubar muito ou pouco.

Com um sol daqueles de rachar mamona, o povo começou a chegar ao estádio no meio da tarde de sábado. Dia bom para pegar uma cachoeira e ficar debaixo de uma árvore qualquer. Mas, no entanto, a causa era nobre. Apoiar o time da cidade virou quase obrigação.

Disposto a fazer história, o Paracatu Futebol Clube, representante mineiro no Candangão 2016, o Campeonato Brasiliense da 1ª divisão, estava prestes a disputar o primeiro jogo das quarta-de-finais do torneio. Pela frente o Brasiliense.

O foguetório de dez minutos anunciava que a tarde seria quente. Quente pra caralho! Um copão de cerveja tomado desesperadamente ajudava a refrescar, no entanto, torrar a cara com o forte sol do noroeste mineiro fazia parte do pacote.

O acesso foi tranquilo, sem problemas para estacionar e risco zero de aparecer um flanelinha folgado. Vendedores facilitavam a compra dos ingressos ali mesmo entre os carros e a rua. Entrada com baculejo, e aos poucos o Estádio Frei Norberto, o campo do União, foi se enchendo. Camisas de muitos clubes estampavam a paixão de cada um, mas o uniforme branco do ‘Águia do Noroeste’ era o favorito entre os torcedores. No alto da arquibancada um tarol e um surdo, tocados freneticamente, ditavam o ritmo da peleja.

Em campo, jogo equilibrado, com bola rolada no chão e boas chances para cada lado. Formados por jogadores jovens e de razoável qualidade, os times contam com figuras rodadas, como o zagueiro André Luiz e o lateral-direito Luizinho. O Brasiliense abriu o placar no finalzinho do 1º tempo. No 2º, o Paracatu jogou melhor, pressionou muito e acabou empatando o jogo para o delírio do estádio. “Uh! Uh! Paracatu!” “Uh! Uh! Paracatu!” O time da casa ainda teve um gol anulado. Fim de jogo e os sonoros aplausos à equipe e satíricos insultos ao trio de arbitragem.

Que tarde! Ai sim. Um jogo de futebol de verdade, na sua essência, como nas antigas. Nada de regrinhas e imposições dos novos estádios, ‘convertidos’ em arenas. Nada de fanatismo ou confusão. Jogo jogado, torcida vibrante, cerveja gelada, sol na cara, batuque empolgante e claro, gols.

Nos últimos anos, a magia que envolve o futebol e o ato de ir a campo se divertir, vem perdendo a graça. Acompanhar os grandes clubes atualmente tem sido muito custoso. Claro que o futebol profissional de alto nível necessitava e necessita de mudanças, no entanto, o esporte patrimônio nacional, vem se distanciando muito de suas origens, tanto dentro quanto fora de campo.

Voltar ao interior, após duas décadas na capital, vivendo intensamente o Mineirão em suas várias fases, fez com que o programa de sábado, no pequeno estádio da cidade, numa partida importante, mas sem holofotes e estrelas, resgatasse a alegria de acompanhar o bom e velho jogo de futebol. Apenas o bom do futebol.



Uso consciente do crédito pode ajudar a girar o motor da economia

Muita gente torce o nariz quando o assunto é tomar empréstimo, pois quem precisa de crédito pode acabar não conseguindo honrar essa dívida, tornando esse saldo devedor uma bola de neve.


Voltar primeiro com os mais velhos: mais autonomia e continência

Nunca pensei que chegaria esse dia, mas chegou! Um consenso global sobre o valor da escola para as sociedades, independentemente do seu PIB.


Adolescentes, autoestima, família: como agir, o que pensar?

A adolescência é um tempo intenso, tanto pelo desenvolvimento físico, quanto neurológico, hormonal, social, afetivo e profissional.


Digital: um tema para o amanhã que se tornou uma demanda para ontem

Durante muito tempo, a Transformação Digital foi considerada uma prioridade para o futuro dos negócios.


Compliance como aliado na estratégia ESG das organizações

A temática que atende aos princípios ambientais, sociais e de governança, ou seja, o ESG (Environmental, Social and Governance), está em forte evidência.


A humanização da tecnologia no secretariado remoto

A tecnologia deu vida a inúmeras oportunidades de negócios, como o trabalho à distância.


Bolsa vs Startups. Porque não os dois?

Vivemos um momento de grandes inovações e com os investimentos não é diferente.


Os pecados capitais da liderança

“Manda quem pode, obedece quem tem juízo.”


“Pensar Global, Agir local”: O poder do consumo consciente

A expressão “Pensar Global e Agir local” já é lema em muitas esferas de discussões políticas, econômicas, sobre sustentabilidade e solidariedade.


Vencido o primeiro desafio da LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) regulamenta o tratamento de dados de pessoas físicas nas suas mais variadas aplicações e ambientes.


Telemedicina, fortalecimento do SUS e um primeiro balanço da pandemia

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, alertou Camões. Todo o mundo é feito de mudanças.


Médico: uma profissão de risco

Estudar medicina é o sonho de muito estudantes, desde o cursinho o futuro médico se dedica a estudar para conseguir entrar no super concorrido curso de medicina.