Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O Brasil e a crise das patentes

O Brasil e a crise das patentes

30/05/2015 Dirceu Cardoso Gonçalves

O que é moderno hoje, pode ser sucata amannã dado o avanço da pesquisa e dos meios.

Dentro de um mundo globalizado, onde a cada instante são lançadas no mercado produtos tecnologicamente avançados, responsáveis pelo desenvolvimento, a demora de 11 anos para a emissão de uma patente de propriedade industrial ou intelectual é, por si, prova de atraso ao nosso país.

Principalmente considerando-se que boa parte dos inventos e aperfeiçoamentos tecnológicos passíveis de certificação não têm tanto tempo de vida útil. A maioria dos produtos cumpre sua missão de mercado antes de seu proprietário obter o reconhecimento do anacrônico órgão controlador estatal. O que é moderno hoje, pode ser sucata amannã dado o avanço da pesquisa e dos meios.

Espantosamente, ainda existem programas de computador de 1997 à espera da patente do Instituto Nacional de Propriedade Industrial, entre ouros. O Brasil é a sétima ou oitava (já chegou a ser a sexta) economia do mundo e a maior da América Latina. Mas no tocante às patentes e proteção da propriedade industrial, é o 19º colocado. Possui hoje 184 mil pedidos de patentes para serem analisados por apenas 192 examinadores.

Isto é, cada um deles tem 980 processos para trabalhar, o que leva os postulantes aos 11 anos de espera pelo certificado. Em 2003 a espera era de seis anos e em 2008 eram nove. Esses números atestam o sucateamento do INPI que hoje sofre cortes de verbas, não tem autonomia financeira e muitas vezes tem dificuldade até para adquirir papel e outros materiais de expediente. Seu quadro de examinadores vem diminuindo sem que novos profissionais já concursados sejam chamados ao trabalho.

Ao mesmo tempo em que o órgão licenceador de inventos e produtos padece, o país convive com a pirataria e o contrabando que produzem ou trazem ao território nacional milhares de produtos inconformes – brinquedos, roupas, eletrônicos, cigarros e até medicamentos – vendidos clandestinamente em feiras, camelódromos, de porta em porta e por outros meios.

A indústria, o comércio e pesquisadores de novos produtos vivem sem a necessária proteção ao seu produto e são atacados diariamente pela concorrência desleal, sem terem como reagir. Colômbia e Peru, nossos vizinhos sulamericanos levam apenas de dois a três anos para reconhecer a propriedade de um produto, embora tenham economias pequenas e pouco diversificadas. O Brasil, gigante da região, com indústria desenvolvida, não poderia ser tão mal administrado. É preciso fazer algo muito urgente para reativar o INPI e, finalmente, se expedir as patentes num prazo razoável...

*Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves é dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo).




Por que falar de empreendedorismo na periferia?

No mundo contemporâneo, o empreendedorismo tem se destacado como uma possibilidade relevante de superação das condições de trabalho, especialmente em momentos de agravamento das condições sociais.


Esquema Ponzi e a centenária sofisticação dos golpes financeiros

Os golpes financeiros estão crescendo em todo mundo. As chamadas pirâmides financeira e o Esquema Ponzi são os esquemas mais comuns e populares.


O Brasil, os poderes e os incendiários

“Impeachment” é o processo que se monta no Congresso Nacional para afastamento do presidente da República, ministros do Supremo Tribunal Federal ou outros altos servidores acusados de cometer grave delito ou má conduta no exercício de suas funções.


Os critérios ESG e a administração pública municipal

Os desastres ambientais de Mariana e de Brumadinho revelaram para o mundo a negligência de empresas brasileiras quanto a gestão socioambiental, e, além das perdas irreparáveis para o meio ambiente e para a sociedade impactada, outra consequência foi a crescente perda de investimentos externos.


Quando quero saber novidades leio S. Paulo

D. Francisco Manuel e Melo, além de expendido escritor e sensato conselheiro, foi igualmente, excelente observador da sociedade do seu tempo.


Movimento “Responsabilidade de Peso”

Transportar cargas acima dos limites estabelecidos pode causar vários prejuízos não só aos motoristas envolvidos neste tipo de prática, mas também para as empresas que os empregam e ao Estado.


O antagonismo da tecnologia no mercado financeiro

A tecnologia não é mais o privilégio de alguns, mas a necessidade de todos.


Filhos ansiosos e o mundo real

Não importa se o seu filho tem quatro anos, sete, dez ou 15, as crianças são uma fonte inesgotável de pedidos e exigências.


Como investir em ações europeias

A bolsa de valores brasileira possui várias opções de fundos passivos negociados em bolsa, os chamados ETFs/fundos internacionais, entre eles o mais famoso é o IVVB1, que replica o S&P 500, o índice que mede as 500 maiores empresas da bolsa americana.


TJMG – O exemplo vem de cima

Não é novidade para nenhum jurisdicionado e operadores do direito a sobrecarga de processos no Poder Judiciário.


Inadimplência: um problema contornável em condomínios?

Inadimplência é sempre um assunto delicado e recorrente. Na maioria das vezes, o atraso das taxas condominiais acontece devido a um problema financeiro inesperado, como a perda do emprego.


A Covid-19 e a falácia do ônibus lotado

Em 1969, o economista Harold Demsetz escreveu um artigo denominado “Informação e eficiência: um outro ponto de vista” (tradução livre), no qual acusava seu colega Kenneth Arrow de adotar, em outro estudo, o que chamou de a “abordagem do Nirvana”.