Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O fechamento dos bingos

O fechamento dos bingos

22/05/2007 Nicolau Amaral

O jogo foi proibido no Brasil a pedido de Dona Santinha, esposa do presidente Dutra, há mais de 60 anos. Desde então, instituiu-se a contravenção na exploração das jogatinas, que assim como o jogo do bicho e as rinhas de galo, vêm sendo combatidas pela polícia.

Paralelamente, o Estado através de suas loterias, mega-senas e outras formas de jogos de azar, está ai explorando a ingenuidade da maioria, dando margem para o “esquentamento” do dinheiro frio. Há um certo tempo, um parlamentar chegou a declarar que havia ganhado não apenas uma, mas inúmeras vezes, tentando nos convencer de que seria apenas um grande sortudo. Mas, por outro lado, o lucro dessas loterias — que é imenso —, ainda é revertido para a sociedade e, de certa forma, permite ao povo sonhar.

Há uns 15 anos, a questão dos jogos voltou à tona e, por meio de uma daquelas brechas da nossa Constituição, foi admitido o estabelecimento dos bingos, desde que uma ínfima parcela fosse voltada ao esporte, graças à chamada “Lei Pelé”. Com a norma, o bingo se instalou de vez no Brasil e, ao mesmo tempo em que empregou muita gente, levou uma multidão à desgraça e enriqueceu seus poucos proprietários de forma inimaginável. O pior de tudo foi que a corrupção veio junto, pois estas organizações criminosas, visando manter o seu “statu quo”” e garantir para sempre o seu funcionamento, começou a corromper todos os níveis das instituições jurídicas, políticas e policiais do País.

E quem ganhou com a “Lei Pelé” ? O esporte não levou praticamente nenhuma vantagem. Uma associação de turfe emprestou seu registro para mais de 15 bingos e, segundo o presidente da entidade, nunca foi visto um níquel sequer. Enquanto isso, o jogador viu o seu dinheiro sumir a cada partida e ficou cada vez mais pobre, bem como idosas entediadas acabaram viciadas e perdendo o pouco que tinham — lembro do caso de uma que chegou até a ser assassinada para que uma outra continuasse jogando...

Excluindo-se os proprietários dos bingos, todos acabaram perdendo. O jogador sempre perde, o esporte nada ganhou, várias autoridades acabaram se corrompendo e encerraram suas carreiras de forma desonrosa. O País então, nem se fala, que vergonha, acabou não ganhando nada! 

A única coisa louvável em relação a todos esses acontecimentos é a atual postura das nossas autoridades de ordenar o fechamento de alguns dos famigerados bingos, o que acho que deveria ser estendido a todos. A liberdade é um dos maiores bens do ser humano, mas desde que exercida com responsabilidade. Se o jogo vicia, deve ser proibido sim ou, então, vamos liberar todas as drogas, pois que eu saiba estas também viciam e por isto é que são proibidas. 

Não costumo elogiar os nossos mandatários, sou mais da crítica, mas neste caso tenho de dar os parabéns!

*Sylvia Romano é advogada trabalhista, responsável pelo Sylvia Romano Consultores Associados, em São Paulo. 

Fonte: Nicolau Amaral Comunicação



Cada um no seu quadrado e todos produzindo…

Muito oportunas as observações do Prof. Ary Oswaldo Mattos Filho, de que em vez dos simples projetos que visam reforçar o caixa da União – como a alteração no Imposto de Renda ora em tramitação pelo Congresso – o país carece de uma verdadeira reforma tributária onde fiquem bem definidos os direitos e obrigações da União, Estados e Municípios.


Você já respirou hoje?

Diagnóstico e tratamento corretos salvam vidas na fibrose cística.


Jogos para enfrentar a crise

O mundo do trabalho nunca mais será o mesmo.


O trabalho de alta performance no Hipismo

O que os atletas precisam para o desempenho perfeito em uma competição? Além do treinamento e esforços diários, eles precisam estar em perfeita sintonia com o corpo e a mente.


Bons médicos vêm do berço

Faz décadas assistimos a abertura desenfreada de novas escolas médicas, sem condição de oferecer formação minimamente digna e honesta.


Wellness tech e a importância da saúde mental dentro das organizações

A pandemia de covid-19 impactou a vida de todos nós, pessoal e profissionalmente.


Manifestações do TDAH

Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade em adultos e crianças.


Cuidar da saúde mental do colaborador é fator de destaque e lucratividade para empresa

O Setembro Amarelo é uma campanha nacional de prevenção ao suicídio, mas que coloca em evidência toda a temática da saúde mental.


Setembro Amarelo: a diferença entre ouvir e escutar

Acender um alerta na sociedade para salvar vidas quando se fala em prevenção ao suicídio é tão complexo quanto o comportamento de uma pessoa com a intenção de tirar a própria vida.


Desafios para a Retomada Econômica

A divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre mostrou uma leve retração da atividade produtiva de 0,1% em relação ao trimestre imediatamente anterior.


Setembro Amarelo: é preciso praticar o amor ao próximo

Um domingo ensolarado é um dia perfeito para exercitar a felicidade, passear no parque, levar as crianças na piscina ou encontrar os amigos com seus sorrisos largos e escancarados.


Setembro Amarelo: é preciso ter ferramentas para lidar com o mundo

No semáforo, a cor amarela é frequentemente associada com desaceleração. O motorista precisa reduzir a velocidade ou até mesmo parar.