Portal O Debate
Grupo WhatsApp


O governo faz mal à economia

O governo faz mal à economia

04/10/2014 Fábio Ostermann

Causou grande polêmica recentemente um informe do Banco Santander enviado a seus clientes.

O governo, o PT e a presidente-candidata não gostaram nenhum pouco da análise nele veiculada, mas o fato é que ele trouxe uma versão resumida de fatos concretos e objetivos da realidade brasileira que hoje influenciam as flutuações do mercado. Não se trata de uma questão de mera opinião, e nem muito menos de “terrorismo econômico”: a valorização de ativos está diretamente relacionada a suas expectativas de valor futuro.

O atual governo tem posto em prática uma política econômica comprovadamente equivocada, que parece movida por um pensamento mágico de que se pode convencer o mercado na marra – por meio de propaganda e pressão política. Ledo engano. Warren Buffet, guru do mercado financeiro internacional, tem uma máxima que parece se adequar perfeitamente à recente trajetória da economia brasileira: “somente quando a maré baixa é que sabemos quem estava nadando nu”.

Após um breve período de crescimento econômico, catapultado pela ascensão chinesa e pelo “concurso de feiura” que se tornou o mercado internacional no cenário logo após a Crise de 2008, as perspectivas de estagnação econômica são uma realidade. Estamos presos a uma perigosa dinâmica de inflação crescente somada a um crescimento econômico pífio.

O analista do Santander (demitido após pressão do governo) apenas fez o que se espera de um profissional encarregado de aconselhar clientes sobre as melhores formas de investir seu dinheiro, eximindo-se de tecer críticas aos rumos da economia brasileira. Estaria sendo negligente e irresponsável se ignorasse o atoleiro econômico em que se encontra o Brasil. A visão apresentada pelo informe pode até desagradar ao governo e suas pretensões eleitorais, mas é praticamente unânime entre analistas de mercado, investidores e imprensa especializada: a gestão Rousseff/Mantega faz mal à economia brasileira.

* Fábio Ostermann é Diretor do Instituto Liberal.



Entre a pandemia e o desemprego

A crise de saúde mundial provocada pelo novo coronavírus, agora assentada no Brasil, com um quadro de evolução severo, tem trazido pânico desmedido a toda população.


Enquanto uns choram, outros vendem lenços. Acima do preço.

“Vendedor acumula 17 mil garrafas de álcool em gel, mas não pode mais vendê-las”, diz a manchete do jornal.


O que podemos aprender com Tom Brady?

Qual o principal atributo de um verdadeiro líder?


Não façam o coronavírus de bandeira eleitoreira

A infestação de coronavírus e, principalmente, as mortes que dela poderão decorrer são os mais graves problemas hoje enfrentados pelo país e pelo mundo.


Coronavírus motiva famílias a buscarem imóveis fora das grandes cidades

O cenário atual tem feito com que a população mude drasticamente a sua maneira de viver.


Como se faz um corrupto

Vou-vos contar uma história. História verídica, segundo a senhora que me contou, ocorrida com familiar, que esteve preso.


China, responsável pelo coronavírus

O presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ), equivoca-se redondamente ao tentar amenizar as críticas ao governo chinês, responsável direto pela calamidade do coronavírus no mundo.


A economia e a filosofia

Vários dos maiores economistas eram também filósofos.


Passo o ponto

Entusiasmo e motivação ajudam a se reerguer e conseguir uma nova oportunidade profissional.


A opinião pública

A cada passo ouço dizer: “A opinião pública sobre determinado acontecimento ou figura, é esta ou aquela.”


Fake News e o incêndio no Reichstag alemão

Vivemos uma enxurrada de notícias e informações que, em alguns casos, são mentiras ou fake news, como se diz modernamente.


Tratar do coronavírus sem pânico

Uma coisa o coronavírus já provou. O mundo globalizado, não está preparado para enfrentar problemas decorrentes da própria globalização.