Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O homem é sempre o mesmo…

O homem é sempre o mesmo…

12/12/2018 Humberto Pinho da Silva

A sociedade pouco evoluiu.

Dizia em alta voz, Senhora, no salão de chá, de famosa confeitaria: “ - No meu tempo não havia tanta desvergonha!” Como ela, todos somos tentados a dizer o mesmo. Parece-nos – talvez porque presenciávamos com olhos inocentes de criança, – que a colectividade de outror, era bem melhor.

Tirante a violência, que recrudesceu na via pública – que uns afirmam ser devido à miséria; e outros, à perda de fé e valores cívicos, – a sociedade pouco evoluiu. No meu tempo de menino, dizia-se: A falta de civismo era resultado da fraca escolaridade da população.

Asseverava-se, com ênfase, que a educação – queriam dizer: ensino, – resolveria todos ou quase todos, os males que afligiam a humanidade. Estavam redondamente enganados!...

Agora, todos ou quase todos, estudam. Muitos cursam o ensino superior, e saem das Universidades, licenciados, como cerejas de um cesto. E nem por isso os povos ficaram mais evoluídos…

Além de desvarios inclassificáveis, e insegurança constante: as guerras, são cada vez mais refinadas; a corrupção campeia por toda a parte, assim como a falta de escrúpulos e bandalheira…

Salvo raro e honrosas excepções, a classe politica, olha apenas para seus interesses, e não pelos interesses dos que os elegeram. Apesar do povo estar realmente mais culto, continua a não diferenciar: políticos honestos e desonestos. Qualquer papagaio palrador, o engana.

É verdade que a ciência evoluiu. Não tanto como se diz. A medicina ainda não resolve doenças que afligem a humanidade, e a sapiência de muitos clínicos, não passam de palavras… e mais palavras… apenas palavras…

O Homem, continua o mesmo. Pouco difere do das cavernas. Basta criar-se ambiente favorável, para emergirem sentimentos animalescos. Só há um meio, infalível, de melhorar o Homem: inculcar-lhe os ensinamentos de Jesus.

Se o Novo Testamento, fosse lido e relido; ensinado nas escolas; seguido como manual de conduta e educação; o mundo seria bem melhor. Infelizmente, expulsaram Cristo de Escola…Apenas O deixam entrar nas prisões…Se fizessem o contrário, não haveria, certamente, tantos criminosos…

* Humberto Pinho da Silva

Fonte: Humberto Pinho da Silva



O que a pandemia nos ensinou sobre fortalecer nossas parcerias

A pandemia da COVID-19 forçou mudanças significativas na operação de muitas empresas.


O barulho em torno do criado-mudo

Se você entrar agora no site da Amazon e escrever (ou digitar) “criado-mudo”, vai aparecer uma resposta automática dizendo que você não deve usar essa expressão porque ela é racista.


Reputação digital: é possível se proteger contra conteúdos negativos

O ano é 2022 e há quem pense que a internet ainda é uma terra sem lei. A verdade é que a sociedade avançou e o mundo virtual também.


Questão de saúde pública, hanseníase ainda é causa de preconceito e discriminação

Desde 2016, o Ministério da Saúde realiza a campanha Janeiro Roxo, de conscientização sobre a hanseníase.


Desafios para o Brasil retomar o rumo

A tragédia brasileira está em cartaz há décadas.


Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.


Geração millenials, distintas facetas

A crise mundial – econômica, social e política – produzida pela transformação sem precedentes da Economia 4.0 coloca, de forma dramática, a questão do emprego para os jovens que ascendem ao mercado de trabalho.


Por que ESG e LGPD são tão importantes para as empresas?

ESG e LGPD ganham cada vez mais espaço no mundo corporativo por definirem novos valores apresentados pelas empresas, que procuram melhor colocação no mercado, mais investimentos e consumidores satisfeitos.


O Paradoxo de Fermi e as pandemias

Em uma descontraída conversa entre amigos, o físico italiano Enrico Fermi (1901-1954) perguntou “Onde está todo mundo?” ao analisarem uma caricatura de revista que retratava alienígenas, em seus discos voadores, roubando o lixo de Nova Iorque.


Novo salário mínimo em 2022 e o impacto para os trabalhadores autônomos

O valor do salário mínimo em 2022 será de R$ 1.212,00.