Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O horário de verão acaba, mas a economia continua

O horário de verão acaba, mas a economia continua

08/02/2013 Cláudia Capello Antonelli

Com o fim do horário de verão, 17 de fevereiro, os dias tornam-se mais curtos e as noites mais longas, forçando a utilização de lâmpadas com mais frequência e por períodos mais longos.

Consequentemente, essa prática amplia o gasto energético e aumenta o peso da conta de luz no bolso do consumidor. A medida, adotada de forma anual desde 1985, é importante para conscientizar a todos, mas há métodos simples que devem ser executados para gerar economia durante todo o ano, mesmo após o Governo anunciar corte de 18% na tarifa de energia das residências.

Uma boa opção para seguir economizando é a utilização de fontes de luz mais eficientes. Com o banimento das incandescentes, lâmpadas como as de LED e as fluorescentes compactas ganharam destaque, fazendo com que o mercado se adapte à nova realidade do setor. Um exemplo prático é fazer a troca de incandescentes de 60W por fluorescentes compactas equivalentes, de 15W.

Realizar esta mudança em uma residência de dois quartos gera, em um ano, uma economia de aproximadamente R$230,00, de acordo com estatísticas do Inmetro. Além disso, pintar o teto e as paredes internas com cores claras, que refletem melhor a luz, também diminui a necessidade de utilizar diversos pontos de luz nos cômodos.

Há ainda outras atitudes simples que podemos adotar em casa, como, por exemplo, evitar o uso de aparelhos elétricos durante o horário de pico (das 18h às 21h), bem como desligar equipamentos da tomada quando não utilizados. Isso porque, o famoso modo “stand by” é responsável pelo desperdício de energia que, apesar de parecer baixo, é significativo e pode representar 12% do consumo doméstico.

Por estar conectado na tomada, significa que há corrente elétrica passando pelo circuito do aparelho e alimentando a iluminação do mostrador ou relógio digital. Portanto, a dica é fácil: somente deixem ligados aqueles eletroeletrônicos que são utilizados com mais frequência e, se for viajar, desligue a chave-geral.

Atenção na hora da compra

Também é importante saber quais produtos possuem melhores níveis de eficiência energética. Por isso, o Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE), aplicado pelo Inmetro, que tem como carro-chefe a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE), é o responsável por classificar a eficiência dos equipamentos em sete categorias, de A (mais eficiente) a G (menos eficiente).

Ter atenção a essa medida pode beneficiar o consumidor na hora da compra de qualquer eletroeletrônico, colaborando com a economia durante o ano inteiro. Portanto, adotar algumas atitudes, como utilizar lâmpadas econômicas, verificar selos de qualidade e atentar-se ao consumo desnecessário de energia farão com que no fim do mês a conta de luz seja mais baixa. Mas o principal é que, no próximo ano, o horário de verão seja apenas mais uma ferramenta, dentre tantas, a auxiliar na economia energética, seja em que época for. Pense nisso.

*Cláudia Capello Antonelli é gerente de Produto da OSRAM.



Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.


Sociedade civil e a defesa da democracia

As últimas aparições e discursos do presidente da República vêm provocando uma nova onda de empresários, instituições e figuras públicas em defesa da democracia e do sistema eleitoral no Brasil.


Para além do juramento de Hipócrates: a ética na prática médica

“Passarei a minha vida e praticarei a minha arte pura e santamente. Em quantas casas entrar, fá-lo-ei só para a utilidade dos doentes, abstendo-me de todo o mal voluntário e de toda voluntária maleficência e de qualquer outra ação corruptora, tanto em relação a mulheres quanto a jovens.” (Juramento de Hipócrates).


O sentido da educação

A educação requer uma formação pessoal, capaz de fazer cada ser humano estar aberto à vida, procurando compreender o seu significado, especialmente na relação com o próximo.