Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O outro nunca sozinho

O outro nunca sozinho

26/05/2016 Flávio Melo Ribeiro

Hoje pela manhã li a seguinte frase “muitos aprendem a beijar a pele, mas poucos são os que sabem beijar a alma”.

Não é por acaso o quanto escuto que as pessoas estão cada vez menos se comprometendo nos relacionamentos, reclamam da solidão, mas não se preocupam em construir, querem o outro da forma como idealizam.

O simples contato de sonhos individuais, por mais atração e satisfação física que exista, não produz um casal. É necessário enxergar com os olhos do outro, entender suas necessidades, seus desejos, para com sinceridade compartilhar e satisfazer.

Um estudo feito pelo Psicólogo John T. Cacioppo da Universidade de Chicago, aponta que um em cada três pessoas sente-se na solidão, também cita “uma pessoa que se sente sozinha geralmente está mais angustiada, deprimida e hostil, e tem menos probabilidades de realizar atividades físicas. Como as pessoas solitárias tendem a ter mais relações negativas com os outros, o sentimento pode ser contagioso.”

Não é de estranhar que o solitário coloque a perder pela ansiedade e por estar acostumado a decidir levando em consideração apenas o seu ponto de vista.

Portanto, relaxe, procure com calma conhecer a outra pessoa. A solidão induz a produção sonhos individuais, quando relacionamento são sonhos em comum.

Mesmo que o relacionamento seja breve, não fique triste, nem lamente. Procure aprender com os acertos e erros cometidos e o mais importante mude para melhor.

É saudável manter os sonhos e a buscar da realização, mas se dê conta que não está sozinho. Toda relação é comporta de no mínimo três elementos: você o outro e o contexto em que estão inseridos e esse último interfere muito.

Quanto mais adulto se é, maior é o contexto, por mais que se goste do outro e do seu modo de ser, quando começa a namorar você percebe que o outro não está sozinho, tem pai, mãe, irmãos, filhos, amigos, trabalho, bens, etc e tudo de alguma forma contribuiu para sua personalidade e além disso “tem vida própria”, opiniões, gostos, necessidades e cobram também a presença.

Se não souber administrar o entorno, mais cedo ou mais tarde vai se deparar com conflito e é bem provável que ficará novamente sozinho. E não adianta reclamar, a vida em sociedade é assim mesmo.

Se você tem dificuldade em lidar com a complexidade que é uma pessoa no mundo, aprenda. Procure observar, leia, escute, pense, assista filmes, faça o que for necessário. Invista em si, invista no outro. O próximo artigo será sobre esse aprendizado.

* Flávio Melo Ribeiro é Psicólogo.



O que a pandemia nos ensinou sobre fortalecer nossas parcerias

A pandemia da COVID-19 forçou mudanças significativas na operação de muitas empresas.


O barulho em torno do criado-mudo

Se você entrar agora no site da Amazon e escrever (ou digitar) “criado-mudo”, vai aparecer uma resposta automática dizendo que você não deve usar essa expressão porque ela é racista.


Reputação digital: é possível se proteger contra conteúdos negativos

O ano é 2022 e há quem pense que a internet ainda é uma terra sem lei. A verdade é que a sociedade avançou e o mundo virtual também.


Questão de saúde pública, hanseníase ainda é causa de preconceito e discriminação

Desde 2016, o Ministério da Saúde realiza a campanha Janeiro Roxo, de conscientização sobre a hanseníase.


Desafios para o Brasil retomar o rumo

A tragédia brasileira está em cartaz há décadas.


Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.


Geração millenials, distintas facetas

A crise mundial – econômica, social e política – produzida pela transformação sem precedentes da Economia 4.0 coloca, de forma dramática, a questão do emprego para os jovens que ascendem ao mercado de trabalho.


Por que ESG e LGPD são tão importantes para as empresas?

ESG e LGPD ganham cada vez mais espaço no mundo corporativo por definirem novos valores apresentados pelas empresas, que procuram melhor colocação no mercado, mais investimentos e consumidores satisfeitos.


O Paradoxo de Fermi e as pandemias

Em uma descontraída conversa entre amigos, o físico italiano Enrico Fermi (1901-1954) perguntou “Onde está todo mundo?” ao analisarem uma caricatura de revista que retratava alienígenas, em seus discos voadores, roubando o lixo de Nova Iorque.


Novo salário mínimo em 2022 e o impacto para os trabalhadores autônomos

O valor do salário mínimo em 2022 será de R$ 1.212,00.