Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O prazer de viver a dois: uma responsabilidade do casal

O prazer de viver a dois: uma responsabilidade do casal

09/05/2016 Tatiana Leite

Um bom exemplo, que serve de termômetro para a paixão, é aquilo que acontece na cama.

O prazer de viver a dois: uma responsabilidade do casal

Você já pensou que compromissos, responsabilidades e as inúmeras obrigações do dia a dia, são fatores capazes de matar um relacionamento estável. Não é fácil manter a leveza e a diversão quando assumimos tantos papéis sociais. Mas, como os casais podem construir uma vida excitante juntos?

Uma vez que você já encontrou seu parceiro e está em um relacionamento duradouro, o desafio é manter a relação interessante para os dois, primeiro para nós mesmos e, em seguida, para nosso parceiro. Temos a tendência de achar que o outro é responsável pelo sucesso ou fracasso do relacionamento, mas se você fizer uma rápida reflexão irá perceber que seu parceiro não pode resolver o que não resolvemos com nós mesmos. É preciso conversar, entender o que está faltando para cada um e qual o motivo da insatisfação.

Muitas vezes, casais em relacionamentos longos acabam caindo na rotina e, por isso, encontram dificuldades para se reconectar com a paixão e acima de tudo, para manter o afeto e o desejo na medida em que os anos passam e o relacionamento amadurece. Para evitar que a paixão enfrie é importante prestar atenção em alguns aspectos.

Um bom exemplo, que serve de termômetro para a paixão, é aquilo que acontece na cama. Com o passar dos anos, o sexo pode ficar rápido e sem envolvimento, alguns dizem que é como se fosse algo mecânico, feito apenas por obrigação ou necessidade. Assim, vamos utilizar o sexo como metáfora no relacionamento. Muitos casais são atenciosos um com o outro, privilegiam o convívio familiar, mas não reservam um tempo para ficarem a sós, talvez até por acreditarem que o desejo vai continuar ao longo dos anos, sem que se faça nada para estimular. Ambos se acomodam e param de conquistar, o sexo acontece de forma previsível. O resultado: diminuição do prazer e da satisfação sexual.

Manter a vida sexual interessante é sim um desafio, ainda mais porque passamos por muitas mudanças a medida dos anos, o corpo muda, assim como as exigências e preocupações. O sexo vai perdendo espaço na intimidade do casal. Contudo, você pode resolver essa questão se reconectando com suas paixões. Volte a fazer algo que deixou de fazer e que te dava muito prazer ou alguma coisa que nunca fez, mas que sempre se imaginou realizando. Você precisa se entusiasmar, se sentir completa. Ao se sentir bem consigo, você estará encorajando seu parceiro a fazer o mesmo. Fica mais fácil amar quando se tem outros objetos de desejo. Esse distanciamento é necessário para a manutenção da relação e irá ajuda-los a se conectarem, sentir vontade de estar juntos.

O tédio e a monotonia são inimigos do casal, os dois juntos na rotina matam o desejo e a paixão. Cada um deve se responsabilizar pela sua parte e, juntos, precisam estimular a vontade de estarem juntos.

* Tatiana Leite é terapeuta de casal e família com especialização em Sexualidade Humana.

Fonte: InformaMídia Comunicação



A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa