Portal O Debate
Grupo WhatsApp


O que fazer quando o líder está desmotivado?

O que fazer quando o líder está desmotivado?

29/11/2017 Claudia Regina Araujo dos Santos

O desempenho das lideranças é um fator crucial para o crescimento das empresas.

Afinal, não é segredo que gestores comprometidos e preocupados com o desenvolvimento de seus funcionários conseguem atingir melhores resultados e aumentar o engajamento da equipe.

No entanto, o que acontece em muitas companhias é que os líderes estão mais focados em funções técnicas e nos esforços para impulsionar os negócios, mas não dedicam o mesmo esforço para a área de gestão de pessoas. Em muitos casos, não há nem um setor específico destinado a avaliar o desempenho dos colaboradores, motivar e reconhecer talentos.

Com a chegada de novas tecnologias – somada ao aumento do número de concorrentes, às mudanças no mercado de trabalho e às incertezas da economia -, inspirar as lideranças se tornou um desafio ainda maior.

Oferecer uma boa remuneração e um plano de carreira já não é mais suficiente para o líder do século XXI: ele também precisa trabalhar com propósito e acreditar nos valores da organização. Para isso, é preciso haver uma mudança cultural na empresa.

É necessário investir cada vez mais no desenvolvimento das habilidades dos gestores, principalmente no que se refere às competências comportamentais. Para gerir bem o seu time, o líder precisa ser incentivado a investir em autoconhecimento, tomar decisões estratégicas, delegar tarefas, trabalhar em equipe, administrar conflitos e pensar na organização como um todo.

Além disso, a companhia deve promover a colaboração entre todos os funcionários e promover um diálogo aberto e transparente. Uma comunicação eficiente é fundamental para ganhar a confiança da equipe e, consequentemente, motivar os líderes a trabalhar com comprometimento.

Para que isso funcione, eles precisam confiar que os discursos bonitos serão revertidos em práticas do dia a dia. A valorização da hierarquia e do autoritarismo já não tem espaço em empresas que querem se manter competitivas no mercado.

Para que suas lideranças se sintam de fato motivadas, elas precisam entender que a colaboração e a humanização das relações são pontos fundamentais para construir um ambiente de trabalho saudável e produtivo.

* Claudia Regina Araujo dos Santos é especialista em gestão estratégica de pessoas, palestrante, coach executiva e diretora da Emovere You.



Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.


Desmoralização do SFT

A moralidade e a segurança jurídica justificam a continuidade da prisão em segunda instância. A mudança desta postura favorece a impunidade dos poderosos e endinheirados.