Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O segredo das empresas com vida longa e próspera?

O segredo das empresas com vida longa e próspera?

01/07/2014 Orlando Oda

Se habilidade técnica, comercial e força de vontade fossem os fatores determinantes para criar uma empresa com vida longa e próspera, a taxa de mortalidade empresarial deveria ser bem menor.

Qual é a raiz que sustenta a vida longa? Será que não estão plantando uma empresa sem a raiz? Esta abordagem não é para tratar da longevidade empresarial, como no livro “Feitas para Durar”, de Jim Collins. Também não estamos falando apenas de durar enquanto o fundador for vivo. A longevidade empresarial é outra questão: depende da sucessão empresarial, mercado que atua, evolução tecnológica, e muitos outros fatores. Perguntar quanto tempo uma empresa vai durar é como perguntar quantos anos alguém vai viver.

O objetivo deste artigo também não é tratar disso. Somente uma coisa é certa: não vai durar para sempre. É como a nossa vida. Uma empresa, para ter uma vida longa e próspera, precisa de autorização. Ela se credencia à medida que se torna necessária, útil à sociedade, ou seja, quando os clientes reconhecem a sua utilidade. Milhares de empresas nascem e morrem porque não se credenciam, baseiam-se unicamente em obter resultados financeiros. Não é que o lucro não seja importante.

O objetivo do palestrante não é receber aplausos. Se os aplausos forem poucos, significa que não está agradando ao público. Se o lucro da empresa for pouco, significa que o cliente não está aprovando a empresa. A empresa não está sendo administrada direito. O lucro não deve ser o objetivo principal da empresa. Lucro é o principal parâmetro de análise. A lei da causalidade diz que para receber algo é preciso dar alguma coisa. O resultado depende da causa.

A causa para lucrar é ser útil a um grande número de pessoas, isto é, produzir bens e serviços úteis às pessoas. Para produzir bens e serviços úteis a preços que sejam acessíveis e competitivos é preciso desenvolver várias habilidades: técnicas, humanas, inovação, percepção e diagnóstico para ver e solucionar problemas complexos. Todas são importantes para o sucesso, porém, não são as verdadeiras causas da mortalidade precoce. Um engenheiro civil estuda cinco anos na faculdade de engenharia para que? Para construir a sua casa? Não! Seu trabalho é construir a casa para outras pessoas.

O fundamento do trabalho é sempre trabalhar para os outros. O fundamento da empresa e do seu fundador é trabalhar para outras pessoas e nunca para si. A raiz que alimenta e sustenta a edificação empresarial é igual a raiz da árvore. A raiz é invisível, fixa e sustenta o tronco, galhos e folhas. O que mantém a planta em pé na tempestade não é a estrutura física do tronco. Da mesma forma, não é a estrutura física da empresa, como prédios e máquinas, que mantém a empresa viva no dia do vendaval.

O que sustenta a existência de qualquer coisa neste mundo é a ideia que é a causa. Existe enquanto a ideia que sustenta existir. Um edifício que fica abandonado sem serventia se desmorana. Toda empresa surge da ideia do fundador de suprir uma demanda, uma necessidade real ou potencial de clientes. O que faz a empresa ter vida longa e próspera é manter viva a ideia de origem da criação por meio de inovação. Não é o produto, o serviço ou a qualidade. Estes são apenas resultados da ideia inicial. O segredo está na ideia de origem, a raiz da essência do negócio, do início da empresa.

*Orlando Oda é administrador de empresas, mestrado em administração financeira pela FGV e presidente do Grupo AfixCode.



Onde está a boa educação?

Outrora, o idoso, era respeitado no local de trabalho e na sociedade.


Saneamento básico no Brasil

A infraestrutura que não chega ao esgoto.


Em novos tempos deve-se ter novas práticas

Na Capital fala-se muito em Menos Brasília, Mais Brasil.


Espiritualidade e alegria junina

Junho traz festas de três santos católicos: Antônio, casamenteiro. São João, profeta precursor de Jesus e São Pedro, único apóstolo que caminhou sobre as águas.


Missão do avô

Na família os avós são conselheiros dos pais e dos netos.


A importância das relações governamentais e institucionais

As relações governamentais e institucionais têm sido um instrumento de alta relevância para qualquer organização no atual momento político brasileiro.


Namoro na adolescência: fato ou fake?

O início da adolescência coincide com o final do Ensino Fundamental, fase em que desabrocham as paixões e, com elas, o convite: “quer namorar comigo?”.


Autobiografias: revelações das experiências em família

A curiosidade de muitas pessoas sobre a (auto) biografia de personalidades tem se tornado cada vez mais crescente, nos últimos anos.


What a wonderful world

Louis Daniel Armstrong foi um cantor e instrumentista nascido na aurora do século 20, e foi considerado “a personificação do jazz”.


A violência doméstica

Em Portugal, desde o início do ano, apesar de se combater, por todos os meios, a violência na família, contam-se já mais de uma dezena de mulheres, assassinadas.


O desrespeito ao teto constitucional e o ativismo judicial

O ativismo do Executivo e do Judiciário está “apequenando” o Legislativo.


Indicadores e painéis urbanos aliados à administração pública

A cidade com fatos visualizados está remodelando a forma como os cidadãos e gestores vêm a conhecê-la e governá-la.