Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O uso da tecnologia a serviço da aprendizagem

O uso da tecnologia a serviço da aprendizagem

24/10/2016 Marcus Garcia

Como preparar a escola para o futuro?

O uso da tecnologia a serviço da aprendizagem

Qual a melhor forma de lidar com os desafios trazidos pela tecnologia, utilizando-a para potencializar o aprendizado? Debate cada vez mais presente no ambiente educacional, o uso de aparelhos conectados à internet já é uma realidade nas escolas e universidades e desafia o método tradicional de ensino.

A escola tende a caminhar cada vez mais com o foco no desenvolvimento humano, deixando de lado os conteúdos compartimentados. Em evidência estarão aspectos culturais, sociais, familiares e políticos, que ganharão reforço com o uso especializado da informação e dos mecanismos técnicos que as processam e disponibilizam.

Em minhas aulas e palestras, procuro direcionar a temática da tecnologia para a área da educação, onde relaciono o estágio atual do desenvolvimento tecnológico com a tendência do desenvolvimento dos gadgets, redes, aplicativos (apps) e dispositivos sempre considerando como a imersão das pessoas nesta realidade, muitas vezes ampliada, torna-se natural, causando mudanças drásticas no comportamento e nas relações sociais e de consumo.

Educação, bens, informação, cultura, arte, lazer, notícias, televisão, cinema, teatro, literatura, música e as mais variadas formas de interação com o conhecimento ganham destaque, numa revolução em que as habilidades sociais ganham cada vez mais importância.

O foco não mais está em decorar conceitos, mas em debatê-los em salas de aula, agora também virtuais, que transpassam fronteiras geográficas, em grupos de estudo envolvendo diferentes comunidades. A prática educativa tende a ser pautada sob a perspectiva de um mundo de novas formas e maior velocidade de construir relações e no qual a tecnologia deve estar a serviço da pedagogia.

Neste contexto, a escola no futuro será mais interpretativa, comunicacional e voltada a projetos colaborativos, transdisciplinares, menos focada em avaliação de conteúdo com trabalhos isolados, porém imersa numa compreensão dos contextos do aprendizado para a sociedade.

Um exemplo disso está no uso das redes sociais – hoje temido por muitos educadores. Essas redes propiciam uma forma ágil para troca de informações e a comunicação. Cabe a cada escola, dentro de suas possibilidades de infraestrutura e de pessoal docente, aproveitar esta oportunidade e orientar para a melhor forma de se utilizar os meios.

Com eles é possível inclusive proporcionar desafios aos estudantes, como olimpíadas de conhecimentos e fóruns de discussão de problemas políticos contemporâneos locais, nacionais e internacionais. Para se preparar para a escola do futuro, não se deve vetar o uso das novas tecnologias, mas sim entender o potencial delas e como utilizá-las para transformar o processo de aprendizagem.

* Marcus Garcia é pedagogo e especialista em inteligência motivacional e gestão de pessoas, e atua como professor do Instituto Superior de Administração e Economia (ISAE), de Curitiba (PR).



A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa