Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O uso do Crowdfunding para o desenvolvimento de M.V.Ps de startups

O uso do Crowdfunding para o desenvolvimento de M.V.Ps de startups

03/07/2019 Marcelo Bárcia

O processo de consolidação do chamado Capital de Risco (Venture Capital) é uma realidade cada vez mais evidente no ecossistema empreendedor brasileiro.

Meios de aporte nesta modalidade, como investimento-anjo, seed-money, editais de órgãos públicos de fomento, aportes de aceleradoras, vem sendo cada vez mais utilizados por fundadores de startups.

Embora não possam ser incluídas na categoria de Capital de Risco, acredito que as Plataformas de Crowdfunding podem ter um papel importante para o desenvolvimento das startups brasileiras, especialmente para aquelas que se encontram no estágio inicial de suas atividades (early stage).

De forma objetiva o Crowdfunding pode ser definido como um financiamento coletivo, onde potencialmente, milhares de pessoas poderão podem doar quantias variadas, geralmente por meio de plataformas na internet, para apoiar causas, projetos sociais, produtos e outros empreendimentos.

Prática muito conhecida internacionalmente, o Crowdfunding ganhou seu espaço nos últimos anos, especialmente pelo trabalho muito bem desenvolvidos por plataformas como Benfeitoria, Catarse-me, Abacashi, entre outras.

O ponto de conexão, que acredito ser oportuno entre as Plataformas de Crowdfunding e as startups, é o M.V.P (Minimum Viable Product), ou Produto Mínimo Viável, instrumento adotado por startups para validar conceito de produtos, com uma entrega de resultados para potenciais clientes.

O MVP segue a lógica dos modelos propostos pela  lógica de startups enxuta, adotadas por autores renomados como Eric Ries e Ash Maurya, que defendem esta metodologia que prioriza o baixo investimento nesta fase, experimentação rápida, avaliação, correção e formatação.

A importância desta ferramenta é praticamente consensual entre os diversos protagonistas do ambiente das startups (fundadores, mentores, aceleradoras e investidores), tendo em vista à possibilidade de diluição de riscos e desperdício de recursos de vários tipos neste momento de prototipagem, que é crítico para sucesso das startups.

Em função de suas principais características, simplicidade e baixo risco, o uso do Crowdfunding pode proporcionar um match adequado com as startups em busca de validação de seu MVP, uma vez que os doadores de campanhas com a apresentação dos produtos, estariam endossando sua crença na solução apresentada, além de feedbacks (positivos ou negativos) espontâneos e com cunho de credibilidade sobre suas experiências com de adotantes iniciais.

A utilização das plataformas de Crowndfunding para validação de Start-Upsainda não traduz uma tendência evidente. Provavelmente, porque muitos empreendedores ainda tem uma perspectiva desta modalidade atrelada à industria criativa, cultural e terceiro setor.

Entretanto, meu envolvimento com mentoria e investimentos em startups sinaliza que o interesse e sinergia entre as duas partes é cada vez maior.

* Marcelo Bárcia é Professor Universitário e Mentor da Aceleradora Bluefields Development e Programa Inovativa Brasil.

Fonte: Mr. Da Vinci



Habilidades socioemocionais podem ser aprendidas

Desde o início da infância, as pessoas aprendem um conjunto de comportamentos que são utilizados nas diferentes interações sociais.


Entenda porque amor é diferente de paixão

Você sabe diferenciar o amor da paixão?


A finalidade e controle das ONGs

O mais adequado não é combatê-las, mas manter sob controle as suas ações como forma de evitar desvio de finalidade, corrupção e outras distorções.


A reforma da máquina pública

A aprovação da reforma da Previdência, pela Câmara dos Deputados, é um avanço do governo.


Os desafios da maternidade e do mercado de trabalho

Ter filhos não é fator de impedimento para uma mulher trabalhar.


Todos querem ser ricos…

Mais vale pobreza, com paz e consciência limpa, que riqueza, sem sossego, alma escurecida, e pesados de remorsos.


A importância de empoderar nossas meninas

Fatores culturais de valorização do masculino, enraizados desde sempre na nossa sociedade, afetam a autoestima e a confiança feminina.


Advogados e Cursos jurídicos

Onze de Agosto é o Dia da Fundação dos Cursos de Direito e é também o Dia do Advogado.


Empresas e paternidade: uma mudança a ser nutrida

Daqui a cinco ou dez anos, nem você nem ninguém se lembrará com precisão da tarefa que está fazendo no trabalho neste minuto.


Ética de advogados e juízes

A advocacia e a magistratura têm códigos de ética diferentes.


Quem se beneficia da coisa pública é corrupto

Coisa pública não pode ser confundida com coisa privada.


Pai é quem ama e cuida

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, pai não é somente quem nos gerou.