Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Os abusos do sistema "S"

Os abusos do sistema "S"

10/01/2017 Reinaldo A. Moura

Já é tempo de criar uma PEC realinhando os objetivos de tais “serviços S”.

Considere aqui o sistema S inicial das siglas: Serviço Nacional de Aprendizagem da Industria (Senai) e Serviço Nacional de aprendizagem do Comércio (Senac) que, como diz o nome aprendizagem, limita a faixa dos 14 aos 17 anos, já que antes não podem ingressar neste tipo de aprendizagem conforme regulamenta a CLT.

A contribuição para manutenção destas atividades são encargos sociais das empresas, que muitas vezes não se beneficiam de seus serviços de aprendizagem, foco principal das instituições. Com o sucesso nos anos 1960 surgiram outros serviços como o Sesi, Sesc, Sebrae, etc., cujos funcionários atuam de forma semelhante aos burocratas do serviço público.

Assim, recebem os recursos mensalmente "caídos do céu", por ser uma contribuição obrigatória das empresas, e elevam o custo Brasil. Mas, não se vê uma completa atualização de seus conteúdos de formação. Se ao menos tivessem salas que comportassem todos os jovens em idade de aprendizado, retirando-os das ruas e de práticas ilícitas, poderíamos dizer que fazem jus ao nome S de serviço, sociedade e social.

Mas as entidades mantenedoras deste “serviço S” também arrecadam outra contribuição – a sindical. E até fazem convocações em jornais de grande circulação, como ocorreu durante os dias 13, 14 e 15 de dezembro, com anúncios de página inteira quando o mesmo poderia ser feito, em tamanho menor, entregando as notificações sob protocolo nos mais de 40 sindicados instalados na sede da Fiesp na avenida Paulista, 1313.

As contribuições compulsórias recolhidas pelas empresas atingiram R$17,2 bilhões em 2015. Até o Tribunal de Contas da União questiona a falta de transparência destas entidades que não divulgam o detalhamento de despesas, demonstrações contábeis etc.

Estamos em época de contenção de qualquer tipo de despesa, com fuga dos empregos da indústria e comércio para os serviços, mas a miopia de muitos dirigentes impede que enxerguem essa realidade, enquanto ainda propagam em canais abertos de televisão uma publicidade de caráter eleitoreiro.

É hora de agregar valor a todos e em tudo e não aproveitar-se dos benefícios de uma retrógada CLT. E ainda oferecem uma concorrência predatória com preços prostituídos, serviços de assessoria e treinamento que tem a intenção de competir com a iniciativa privada onde profissionais investem recursos pesados para manterem-se atualizados. Já é tempo de criar uma PEC realinhando os objetivos de tais “serviços S”.

* Reinaldo A. Moura é engenheiro e mestre em Ciências e Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.



Entre a Pressa e a Preguiça

Quem já passou dos quarenta anos e viveu em algum canto do Brasil, experimentou, certamente, exercícios sistemáticos de paciência.



O “Golpe do WhatsApp” e o roubo da conta no aplicativo

Caso você seja vítima desse golpe, deve imediatamente entrar em contato com o WhatsApp para informar que alguém está utilizando a sua conta.


Reflexão sobre a democracia

Deambulava numa manhã de domingo, na Praça da Batalha, no Porto, quando perpassei por sujeito, elegantemente trajado: calça e casaco azul-marinho, camisa branca, gravata cinza.


Como não errar ao investir?

Muitas pessoas têm receio em falar sobre os seus investimentos, pois ainda é um grande tabu falar sobre dinheiro.


Para uma sociedade melhor

No tempo da minha juventude, conheci mocinha, de origem modesta, mas rica de inteligência, esperteza e perspicácia.


Fake (old) News

Tanto a existência das fake news quanto a expressão em si, já existem há muito tempo.


Por que os professores de Humanas são de “esquerda”?

Quero começar essa reflexão com uma resposta simples: não!


Como revestir a casa de forma prática e com menor custo

Nos últimos anos, uma das novidades de maior destaque se traduz no surgimento dos revestimentos inteligentes.


O livro e a cultura

29 de outubro é o Dia do Livro. 5 de novembro é o Dia da Cultura.


Os controversos e suas controvérsias

O ano de 2019 tem sido, sem dúvidas, muito fértil para os noticiários políticos internacionais.


A demora do Poder Legislativo em não regular a prisão em segunda instância

Os parlamentares federais são exclusivamente culpados por ter o STF procedido à revisão da prisão em segunda instância.