Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Os desafios nos fazem crescer

Os desafios nos fazem crescer

12/08/2016 Júlio Correia Neto

O momento em que o Brasil está passando deveria ser usado para se repensar sobre a trajetória usada.

Na verdade, é preciso repensar sobre as escolhas que deveriam ter sido feitas antes e percepções que deveriam ter acontecido com mais antecedência.

Por isso que é preciso refletir sobre novas alternativas para a vida e para a carreira, analisando sempre novos caminhos a serem trilhados. A grande maioria das pessoas tem pavor de mudanças.

Vivem inertes e alienadas em uma profunda zona de conforto. Sinto isso diariamente dentro das corporações, desde a implantação de um sistema de gestão (ERP) a práticas motivacionais que aumentam produtividade.

Porém, falta no país a cultura da organização, do planejamento, do olhar para a frente e do ir a fundo nos fatos. Nos momentos de euforia, as ineficiências e limitações não aparecem tão facilmente.

Todavia, nos momentos de crise, é que vemos ‘quem realmente é bom de bola’. O desemprego e o desespero de muitos refletem escolhas fantasiosas e na entrega do controle da vida a terceiros.

Essas pessoas deixam a sua liberdade de escolha escorregar pelas mãos. Vão-se oportunidades e, consequentemente, sonhos. O pior disso tudo: ficam depois colocando a culpa no outro, no sistema, nas empresas.

A trajetória é árdua em nosso país, pois vejo uma juventude que vem sendo criada para se “acharem os maiorais”. Ganham seu primeiro milhão antes dos 30 anos e se acham o máximo.

Salvo raras exceções, acreditam que tudo sabem e que tudo podem. Porém, as adversidades sempre surgem para questionar nossas habilidades. Mesmo com a experiência, muitos profissionais enfrentam coisas ruins e reveses, imagina sem a boa experiência?

Por esse motivo, em pouco tempo, muitos deles ficam doentes, depressivos, angustiados e desiludidos diante das primeiras barreiras da vida. Eles não repararam que foram usados e agora serão muito cedo descartados. Novos tempos estão chegando.

Precisamos estar abertos, atentos e sem acomodação para abraçar o novo. As pessoas precisam compreender que os desafios nos fazem crescer. Não podemos viver no comodismo. Não é o consumo dos supérfluos que nos faz evoluir.

Não são as viagens para lugares da moda que nos fazem conhecer o mundo. São as experiências. Precisamos sempre possibilitar vivenciar momentos e situações diferentes.

Temos de ter coragem de desafiar o medo e, com pé no chão, abraçando os desafios que a vida nos impõe. O covarde não cresce. O sucesso está disponível para os corajosos e para todos que se dispõe a transformação, a inovação, ao diferente.

* Júlio Correia Neto é coach e gestor de mudanças.



A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa