Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Os limites e a liberdade na educação

Os limites e a liberdade na educação

26/10/2019 Flavio A. Sandi

Crianças precisam de limites, seja para a sua saúde e segurança, ou para ajudá-las a reconhecer os seus sentimentos.

Estabelecer regras não é uma tarefa fácil, mas integra parte essencial no processo de desenvolvimento infantil.

Quando estão diante de uma circunstância que pede limite, muitas vezes os pais não sabem ao certo como agir e podem se sentir inseguros sobre até onde ir para não agredir a autonomia dos filhos. Afinal, como equilibrar liberdade e limite?

Por um lado, é preciso orientar sobre possíveis perigos, como onde é seguro brincar, o que é bom comer e o que não é.

Por outro, é preciso lembrar que as crianças ainda não estão preparadas gerenciar os seus sentimentos sozinhas, por isso precisam da ajuda e da segurança dos adultos para orientá-las.

Isto é, mesmo que possa parecer que os filhos querem estar no controle, o que eles realmente precisam é de cuidadores com firmeza nas suas atitudes.

Pode ser muito assustador para uma criança não ter limites. Isso pode desencadear sensação de ansiedade e tendência a testar mais ainda os limites quanto mais os pais cedem ou hesitam em dizer não.

Estabelecer limites não significa impedir a autonomia e a liberdade dos filhos, muito menos agir com violência para conseguir o que se quer.

As crianças precisam de adultos confiantes, que ofereçam um ambiente seguro e estável. Elas precisam confiar que a família vai ajudá-la a compreender os seus sentimentos e auxiliá-la a encontrar maneiras construtivas de se expressar.

Encontrar o equilíbrio é o segredo para não ser muito autoritário ou permissivo demais com os filhos. Para conseguir encontrar a constância no cotidiano com as crianças, é preciso tomar cuidado para não pecar pelos extremos, lembrando que todas as decisões que tomamos têm consequências.

Quando somos rígidos em excesso, a criança poderá ser mais revoltada. Por outro lado, a permissividade em demasia pode gerar filhos ansiosos, já que a falta de regras pode fazer com que a criança se sinta perdida.

É preciso lembrar que dizer não para o filho não é traumático, muito pelo contrário. Ensinar até onde pode ou não pode ir faz parte da criação das crianças e é um ensinamento que deve ser passado pela família.

Com limites claros, ela vai se ajustar e se sentir mais segura para explorar as suas possibilidades, uma parte importante do desenvolvimento infantil.

À primeira vista, conceitos como liberdade e limite podem parecer desiguais, mas quando se trata de educação, são concepções que se assemelham e se apoiam.

Quando trabalhados de forma equilibrada são fundamentais para ensinar o seu filho a conviver em sociedade.

* Flavio A. Sandi é diretor do Colégio Marista Anjo da Guarda.

Fonte: Página 1 Comunicação



O “Golpe do WhatsApp” e o roubo da conta no aplicativo

Caso você seja vítima desse golpe, deve imediatamente entrar em contato com o WhatsApp para informar que alguém está utilizando a sua conta.


Reflexão sobre a democracia

Deambulava numa manhã de domingo, na Praça da Batalha, no Porto, quando perpassei por sujeito, elegantemente trajado: calça e casaco azul-marinho, camisa branca, gravata cinza.


Como não errar ao investir?

Muitas pessoas têm receio em falar sobre os seus investimentos, pois ainda é um grande tabu falar sobre dinheiro.


Para uma sociedade melhor

No tempo da minha juventude, conheci mocinha, de origem modesta, mas rica de inteligência, esperteza e perspicácia.


Fake (old) News

Tanto a existência das fake news quanto a expressão em si, já existem há muito tempo.


Por que os professores de Humanas são de “esquerda”?

Quero começar essa reflexão com uma resposta simples: não!


Como revestir a casa de forma prática e com menor custo

Nos últimos anos, uma das novidades de maior destaque se traduz no surgimento dos revestimentos inteligentes.


O livro e a cultura

29 de outubro é o Dia do Livro. 5 de novembro é o Dia da Cultura.


Os controversos e suas controvérsias

O ano de 2019 tem sido, sem dúvidas, muito fértil para os noticiários políticos internacionais.


A demora do Poder Legislativo em não regular a prisão em segunda instância

Os parlamentares federais são exclusivamente culpados por ter o STF procedido à revisão da prisão em segunda instância.


É impossível devolver a liberdade perdida ao cidadão

O ministro do STF Marco Aurélio, em seu voto contra a prisão em segundo grau, declarou que “é impossível devolver a liberdade perdida ao cidadão”.


Os três problemas principais

No Brasil, não é difícil chegar aos três problemas principais – a pobreza, o desemprego, a violência – e pensar nas soluções possíveis, até porque o país é previsível e contumaz nos seus erros.