Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Phishing Scam – um perigo real

Phishing Scam – um perigo real

04/06/2013 Flávio Carvalho

O Brasil é hoje o 5º país mais conectado à internet.

Segundo dados do Instituto Ipsos, o percentual de brasileiros conectados subiu de 27% para 48% entre 2007 e 2011, atingindo o impressionante número de 94,2 milhões de internautas tupiniquins em dezembro de 2012. Naturalmente, junto com um aumento assim tão expressivo no número de usuários, vem toda a sorte de perigos: golpes para extorquir dinheiro, roubos de informações confidenciais, dados de cartões de crédito, software malicioso, etc.

E no meio desta infindável lista, ganha destaque uma técnica antiga e que requer baixo conhecimento técnico – o Phishing Scam. O Phishing Scam consiste no envio de e-mails com promessas de dinheiro fácil e ofertas financeiras de todo o tipo – sempre vindas de alguém que você não conhece e não enviadas diretamente para seu e-mail.

Para exemplificar, transcrevo aqui a troca de mensagens entre Dody Lira, gerente sênior do datacenter americano Softlayer e responsável pelo grupo antispam e um scammer recentemente.

———————————————

From: “Freddy Scammer” <scammer@address>
To: “Freddy Scammer” <scammer@address>
Subject: PA URGENTLY NEEDED
Hi, I am looking for a Personal Assistant, Kindly let me know if you are interested, and i can send you more details. Thank you
Freddy Scammer

———————————————

Obviamente, os nomes e e-mails do exemplo acima foram preservados. O interessante é notar que o e-mail do scammer foi enviado ao destinatário em BCC – certamente junto com milhares de outros destinatários. Nosso amigo Dody troca algumas mensagens com o scammer, não se expondo, mas ‘dando corda’ para ver se o scammer revela mais sobre suas intenções.

A proposta do scammer é de pagar 500 dólares por semana para receber encomendas (caixas) e reenviá-las para o(s) endereço(s) indicados a ele. Parece realmente muito fácil. Tudo o que é necessário é fornecer seus dados pessoais completos (nome, endereço completo, telefones, etc) ao fraudador, receber as caixas e reenviá-las. Neste caso específico o que está acontecendo é o seguinte: o fraudador usa números de cartão de crédito roubados para fazer compras e as envia para o endereço da vítima.

Este recebe as caixas e as repassa ao fraudador, de modo que, se alguém for pego, será a vítima, que acha que fez grande negócio ao receber 500 dólares por semana ‘apenas’ para receber caixas e as reenviar. Parece tolo, mas com o número crescente de pessoas começando a usar a internet torna-se muito alto o número de pessoas que não tem discernimento para entender o risco, ou que precisa muito do dinheiro e se deixa levar pela oferta tentadora.

Como sempre, educação é a chave: recebeu e-mail de quem você não conhece e que nem ao menos foi enviada para seu e-mail diretamente? Nem leia. Não existe este tipo de oferta estonteante. Infelizmente, o que existe é um golpe e você provavelmente será a vítima. Atenção!

*Flávio Carvalho, diretor de Serviços da Arcon serviços gerenciados de segurança.



A empatia como chave para gestão de entregas e pessoas

Uma discussão que acredito ser muito pertinente em tempos de pandemia é como ficam, neste cenário quase caótico, as entregas?


Mass-Media “mascarada”

A semana passada, aventurei-me a sair, para um longo passeio, na minha cidade. Passeio a pé, porque ainda não frequentei o transporte público.


A quarentena e as artes

Schopenhauer foi um filósofo que penetrou no âmago do mundo.


O legado da possibilidade

Quando podemos dizer que uma coisa deu certo? O que é, afinal, um sucesso?


O que diabos está acontecendo?

A crise está a todo vapor e acelerando tendências que levariam décadas para se desenrolar.


STF e o inquérito do fim do mundo

Assim que o presidente da Suprema Corte determinou a abertura do inquérito criminal para apurar ameaças, fake news contra aquele sodalício, nomeando um dos ministros da alta corte para instaurá-lo, de ofício, com base no artigo 43 do Regimento Interno, não vi nenhuma ilegalidade.


As décadas de 20

A mais agitada década de vinte de todas foi a do século XX.


Nós acreditamos!

A história ensina lições. Muitas lições.


A saúde do profissional de educação em tempos de pandemia

Muitos profissionais tiveram que se adaptar por causa da pandemia.



“Quem viva?! …”

Contava meu pai, com elevada graça, que tivemos antepassado, muito desenrascado, que sempre encontrava resposta pronta, na ponta da língua.


Super-mãe. Eu?

Lembro-me de um episódio que aconteceu há alguns anos atrás e que fez com que eu refletisse seriamente sobre meu comportamento de mãe.