Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Promessas do ano: 184 dias para cumpri-las

Promessas do ano: 184 dias para cumpri-las

13/06/2016 Eduardo Shinyashiki

Em todo fim e início de ano fazemos listas e mais listas com promessas, metas, ações e realizações para o novo ano.

Frases otimistas preenchem a mente e o coração e assim começamos o ano: determinados a irmos fundo em busca dos objetivos traçados.

Porém, voltamos das férias e sentimos a rotina tomar conta dos nossos dias e percebemos que, novamente, entramos no velho e conhecido piloto automático, deixando tudo aquilo que planejamos bem longe da realidade.

Quando a pessoa identifica que não cumpriu os prazos do seu planejamento ou que está muito distante do que desenhou, é importante não entrar em pânico e aceitar o cenário. Isso porque os sentimentos de medo e ansiedade diminuem a capacidade de encontrar as melhores alternativas para contornar a situação.

Ou seja, o primeiro passo deve ser a redefinição das prioridades, já que temos apenas meio ano pela frente. Há também alguns fatores que podem contribuir para a execução do planejamento pessoal, entre eles estão:

Metas têm que ser possíveis e motivadoras

Tenha atenção para saber se suas metas não são quase impossíveis, pois parte do êxito é ser realista, o que evita um círculo vicioso de propósitos e fracassos, esforços e decepções e tentativas e desistências. Vale lembrar que a motivação é o combustível para conduzir as ações à realização dos objetivos. Se a motivação, o “por que” de estar criando as metas é algo suficientemente forte, o “como” – a ação – nunca será um problema.

Visão de longo prazo

Muitas vezes nos deixamos levar por certo imediatismo e encontramos dificuldades em estabelecermos uma visão de longo prazo, gerando até uma falta de perseverança caso algo saia errado. Porém, é necessário compreendermos que muitos objetivos não são construídos de uma hora para outra, pelo contrário, exigem dedicação diária para que se concretizem.

Realizar avaliações periódicas

Para saber se algo está ou não indo bem é preciso fazer comparações. Por isso, é importante dividir os objetivos em partes, bem como definir datas para avaliar o desempenho de cada etapa. Dessa forma, ao sinal de que algo está fora do esperado, já é possível entrar em ação.

Ter ação
Por mais perfeito que seja o planejamento, ele não trará resultado algum caso falte atitude. Afinal, as ideias que colocamos no papel só se transformam em realidade quando investimos energia em uma ação concreta. Atingir metas é de primordial importância na vida do ser humano, pois está intimamente ligado a sua autoestima, confiança e ao sentimento de autoeficácia.

Portanto, esse é o momento de parar e refletir sobre tudo o que já aconteceu nesta metade de ano e se planejar para o segundo semestre. São mais 184 dias para conquistar tudo o que sonhou para 2016.

Por isso, desenhe e priorize seus objetivos com comprometimento e dedicação. Você merece ser o líder da sua própria vida e alcançar grandes sonhos em toda a sua trajetória!

* Eduardo Shinyashiki é palestrante, consultor organizacional, conferencista nacional e internacional e especialista em Desenvolvimento das Competências de Liderança aplicadas à Administração e Educação.



Como resolver problemas que parecem impossíveis?

Existe um ditado polinésio que diz o seguinte: você pode estar em cima de uma baleia, mas pescando carpas miúdas.


A queda de 93% no uso do cheque

Na infância e juventude - anos 50 e 60 do século passado - ouvi muitos comentários de que comerciantes, fazendeiros e endinheirados da época lucravam pagando seus compromissos com cheque de outras praças, que demoravam dias para ser liquidados.


Supervisionar ou treinar seu time?

Supervisionar atividades e resultados da equipe é um dos maiores desafios para inúmeros líderes.


Gestão empresarial e perspectivas para 2022

Após mais um ano de pandemia, a alta administração das empresas priorizou a sobrevivência enquanto teve de lidar com expectativas frustradas.


O que a pandemia nos ensinou sobre fortalecer nossas parcerias

A pandemia da COVID-19 forçou mudanças significativas na operação de muitas empresas.


O barulho em torno do criado-mudo

Se você entrar agora no site da Amazon e escrever (ou digitar) “criado-mudo”, vai aparecer uma resposta automática dizendo que você não deve usar essa expressão porque ela é racista.


Reputação digital: é possível se proteger contra conteúdos negativos

O ano é 2022 e há quem pense que a internet ainda é uma terra sem lei. A verdade é que a sociedade avançou e o mundo virtual também.


Questão de saúde pública, hanseníase ainda é causa de preconceito e discriminação

Desde 2016, o Ministério da Saúde realiza a campanha Janeiro Roxo, de conscientização sobre a hanseníase.


Desafios para o Brasil retomar o rumo

A tragédia brasileira está em cartaz há décadas.


Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.