Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Quando a propaganda não é a alma do negócio

Quando a propaganda não é a alma do negócio

19/03/2012 Odilon Medeiros

Nem sempre a propaganda é a alma do negócio. Muitas vezes a sobrevivência das empresas e dos projetos depende do sigilo.

Estranha afirmação, não? Mas, é a pura verdade. Atualmente as empresas investem valores altíssimos em tecnologia para proteger as informações dos seus clientes. Este é um exemplo onde o sigilo deve prevalecer. Na história da humanidade nunca o ser humano obteve tantas informações. Lidar com elas nem sempre é uma tarefa fácil. Sabemos que a manutenção do sigilo, é uma responsabilidade da empresa. Mas como os gestores estão lidando com esta situação?

É importante destacar que a maior parte das falhas na segurança é gerada pelas pessoas. Entretanto não é só através destas falhas que as informações podem vazar. Muitas vezes um simples comentário entre um colaborador com uma pessoa de sua confiança, pode despertar o interesse de alguém, que pode sequer nem estar participando do diálogo e mesmo assim, se tornar uma ameaça. Para evitar que essas situações aconteçam, é importante elaborar um programa de gerenciamento seguro das informações que tenha foco nos aspectos comportamentais dos colaboradores.

Diferente? Talvez. Difícil? Nem tanto. Uma opção seria iniciar todo o processo de forma proativa, elaborando um programa de conscientização do seu pessoal. Esse programa poderia ser elaborado mostrando a importância de manter sigilo com o trabalho. Nele, o gestor deve reforçar os benefícios e não as punições. Os aspectos éticos também devem estar presentes. O conteúdo poderia ser obtido tomando como base os casos vividos na empresa ou fora dela.

Sempre apresentando o ato e as consequências. Uma boa dica é pedir que os colaboradores apresentem a maneira como a situação poderia ter sido evitada através de ações prévias. É interessante usar a empatia. Perguntar ao colaborador: como você se sentiria se tivesse os seus dados sigilosos divulgados? Mostrar que essa é a mesma sensação que o cliente apresenta e registra. Para reforçar, é importante discutir com o colaborador o contrato estabelecido entre a empresa e o cliente. É recomendado que sejam elaboradas políticas e normas que visem, principalmente, a educação dos colaboradores.

Reforçando que, quando os colaboradores participam do processo, se sentem responsáveis e se esforçam para que funcione bem. Mesmo assim, é importante informar a divulgação de informações sigilosas é crime. E que, para ser considerado como tal, é necessário, muitas vezes, apenas um simples comentário com pessoas que não estejam envolvidas no processo. O leitor deve observar que em nenhum momento se buscou encontrar culpados. Buscou-se encontrar soluções. Afinal, isso é que é importante e deve ser divulgado.

*Odilon Medeiros – Consultor em gestão de pessoas, Mestre em Administração, Especialista em Psicologia Organizacional, Pós-graduado em Gestão de Equipes, MBA em Vendas e palestrante.



Insetos na dieta

Aproximadamente dois bilhões de pessoas em 130 países já comem insetos regularmente.


Habilidades socioemocionais podem ser aprendidas

Desde o início da infância, as pessoas aprendem um conjunto de comportamentos que são utilizados nas diferentes interações sociais.


Entenda porque amor é diferente de paixão

Você sabe diferenciar o amor da paixão?


A finalidade e controle das ONGs

O mais adequado não é combatê-las, mas manter sob controle as suas ações como forma de evitar desvio de finalidade, corrupção e outras distorções.


A reforma da máquina pública

A aprovação da reforma da Previdência, pela Câmara dos Deputados, é um avanço do governo.


Os desafios da maternidade e do mercado de trabalho

Ter filhos não é fator de impedimento para uma mulher trabalhar.


Todos querem ser ricos…

Mais vale pobreza, com paz e consciência limpa, que riqueza, sem sossego, alma escurecida, e pesados de remorsos.


A importância de empoderar nossas meninas

Fatores culturais de valorização do masculino, enraizados desde sempre na nossa sociedade, afetam a autoestima e a confiança feminina.


Advogados e Cursos jurídicos

Onze de Agosto é o Dia da Fundação dos Cursos de Direito e é também o Dia do Advogado.


Empresas e paternidade: uma mudança a ser nutrida

Daqui a cinco ou dez anos, nem você nem ninguém se lembrará com precisão da tarefa que está fazendo no trabalho neste minuto.


Ética de advogados e juízes

A advocacia e a magistratura têm códigos de ética diferentes.


Quem se beneficia da coisa pública é corrupto

Coisa pública não pode ser confundida com coisa privada.