Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Quem se beneficia da coisa pública é corrupto

Quem se beneficia da coisa pública é corrupto

09/08/2019 Julio César Cardoso

Coisa pública não pode ser confundida com coisa privada.

O pastor e deputado Marco Feliciano (PODE), um pregador religioso, que, certamente recomenda humildade e justiça aos fiéis de sua Igreja, deveria lembrar as palavras de Cristo:  “Quem me segue não anda nas trevas”, diz o Senhor (Jo, 8, 12). 

São estas as palavras de Cristo pelas quais somos advertidos que imitemos sua vida e seus costumes se verdadeiramente queremos ser iluminados e livres de toda cegueira de coração.

Pois bem, Cristo foi um homem humilde, que deixou na Terra um exemplo a ser seguido. Mas o pastor e deputado Feliciano não segue a vida de Cristo.

Sem humildade e escrúpulo teve a pachorra de pedir ressarcimento ao Erário, no valor de 157 mil reais, por despesas pessoais com tratamento estético dentário.

Coisa pública não pode ser confundida com coisa privada. É uma vergonha, uma imoralidade e denigre a imagem parlamentar usar a política para se beneficiar da coisa pública.

Não pode o dinheiro público, do contribuinte, servir para bancar os gastos estéticos dentários de indecorosos parlamentares, pois isso fere o princípio da igualdade de tratamento dos cidadãos – Art. 5º da CF -, bem como os princípios da impessoalidade e moralidade - Art. 37 da CF. Portanto, trata-se aqui de uma ilegalidade constitucional.

Por outro lado, o deputado incide em corrupção passiva, prevista no Art. 317 do Código Penal, ao receber vantagem indevida (ressarcimento de despesas odontológicas não previstas em lei).

É impossível não se revoltar com os indecentes políticos, que abraçam a vida parlamentar apenas para tirar proveito da coisa pública.

Um país com mais de 13 milhões de pessoas desempregadas, endividas, passando fome, sem lares e ainda existe político safo e mequetrefe pilhando a nação?

Se o que se gasta para manter o inchado e inoperante Congresso Nacional e os demais legislativos fosse destinado para resgatar a dignidade de brasileiros em todas as plagas, o país teria um bom sistema de educação, saúde e segurança.

A política esvazia os cofres da nação sem se preocupar com os graves problemas sociais. Jorra dinheiro para sustentar os gastos com políticos, mas a ausência de saneamento básico de cidades onde o esgoto ainda corre a céu aberto é uma grande vergonha.

Ser político, no Brasil, é um grande negócio para os oportunistas, como o deputado Feliciano, que revela só desejar tirar vantagem da coisa pública.

Sem esquecer que muitos exercem a política como cabide de emprego porque não têm competência para atuar no mercado de trabalho.

Enquanto miríades de desassistidos vivem em extremo estado de pobreza, o inescrupuloso deputado Marco Feliciano gasta sem piedade o dinheiro da nação, do contribuinte, com o aval lamentável da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados.

* Júlio César Cardoso é servidor federal aposentado.

Fonte: Júlio César Cardoso



Entre a Pressa e a Preguiça

Quem já passou dos quarenta anos e viveu em algum canto do Brasil, experimentou, certamente, exercícios sistemáticos de paciência.



O “Golpe do WhatsApp” e o roubo da conta no aplicativo

Caso você seja vítima desse golpe, deve imediatamente entrar em contato com o WhatsApp para informar que alguém está utilizando a sua conta.


Reflexão sobre a democracia

Deambulava numa manhã de domingo, na Praça da Batalha, no Porto, quando perpassei por sujeito, elegantemente trajado: calça e casaco azul-marinho, camisa branca, gravata cinza.


Como não errar ao investir?

Muitas pessoas têm receio em falar sobre os seus investimentos, pois ainda é um grande tabu falar sobre dinheiro.


Para uma sociedade melhor

No tempo da minha juventude, conheci mocinha, de origem modesta, mas rica de inteligência, esperteza e perspicácia.


Fake (old) News

Tanto a existência das fake news quanto a expressão em si, já existem há muito tempo.


Por que os professores de Humanas são de “esquerda”?

Quero começar essa reflexão com uma resposta simples: não!


Como revestir a casa de forma prática e com menor custo

Nos últimos anos, uma das novidades de maior destaque se traduz no surgimento dos revestimentos inteligentes.


O livro e a cultura

29 de outubro é o Dia do Livro. 5 de novembro é o Dia da Cultura.


Os controversos e suas controvérsias

O ano de 2019 tem sido, sem dúvidas, muito fértil para os noticiários políticos internacionais.


A demora do Poder Legislativo em não regular a prisão em segunda instância

Os parlamentares federais são exclusivamente culpados por ter o STF procedido à revisão da prisão em segunda instância.