Portal O Debate
Grupo WhatsApp

“Quem viva?! …”

“Quem viva?! …”

24/06/2020 Humberto Pinho da Silva

Contava meu pai, com elevada graça, que tivemos antepassado, muito desenrascado, que sempre encontrava resposta pronta, na ponta da língua.

Era no início do século XX, quando haviam muitas sarrafuscas. Ao passar nas mediações da Serra do Pilar, em Gaia, deparou, atónito, pequeno agrupamento de soldados.

Receoso, avizinhou-se muito devagarinho… Quando se encontrava a escassa distância, surge-lhe roliço sargento, de farta bigodaça, sobrolhos eriçados, que se postou, de mãos nas ilhargas, à sua frente, interrogando-o asperamente:

 – Quem é vossemecê?! - Vociferou.

 – Quero ir para casa… - respondeu temeroso, crispando nervosamente a testa.

– Não pode circular! …

– Mas…meu sargento, preciso de ir para casa…Tenho mulher e filhos. Estou preocupadíssimo…

– Então vá! Mas antes, diga: Quem viva?!

O homem ficou assarapantado. Que havia de dizer? …; desconhecia de que lado estava o militar…

Voltando-se para o sargento, disse-lhe todo empertigado:

– Viva o meu sargento! Viva eu, e mais quem o senhor quiser! …

De sorriso agarotado, nos lábios grossos, o militar, deixou-o passar, sacudindo vagarosamente e complacente, a cabeça, como quem queria dizer: Este sabe-a toda…

Essa historieta, verdadeira, fez-me lembrar a que conta Agostinho de Campos, na: “Língua e Má Língua”:

Perguntaram a Teófilo Braga, durante a Grande Guerra, se era francófilo ou germanófilo. O escritor, não queria revelar a sua simpatia, e respondeu deste jeito:

– Eu cá sou Teófilo…

Nos conturbados tempos que correm, também muitos perguntam: “Quem viva!?”

Se dissermos viva a “Esquerda”, somos pascácios para os da “Direita”; se dermos vivas à “Direita”, somos retrógrados, e anátemas…

Neste tempo democrático, de amplas liberdades, melhor é dizermos como meu antepassado:

– Viva eu! Viva você! E mais quem você quiser! …

* Humberto Pinho da Silva

Fonte: Humberto Pinho da Silva



Análise de dados e a saúde dos colaboradores nas empresas

Como a análise de dados está ajudando empresas a melhorar a saúde dos colaboradores.


16 senadores suplentes, sem votos, gozam das benesses no Senado

Quando o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pretende colocar em votação Emenda Constitucional para acabar com a figura de SENADOR SUPLENTE?


Há tempos são os jovens que adoecem

Há alguns anos o Netflix lançou uma série chamada “Thirteen Reasons Why”, ou, em tradução livre, “As Treze Razões”.


Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.