Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Questões de família

Questões de família

31/12/2018 Oscar D'Ambrosio

Relacionamentos familiares costumam dar ótimos filmes, ainda mais quando a discussão recai sobre o reestabelecimento de elos perdidos pelos mais variados motivos.

O afastamento entre pai e filha é um dos motes de "Limites", dirigido por Shana Feste, com Vera Farmiga e Christopher Plummer nos papeis centrais.

A narrativa gira em torno da viagem de carro da protagonista com dois personagens: o seu pai, que é um idoso traficante de drogas, e o filho dela, um adolescente sem rumo na vida. As confusões que se seguem alternam momentos de humor com cenas de intensa agonia existencial. A variação de tons ilustra bem o que é viver em família.

Por um lado, existe o amor incondicional, mas há também conflitos – e não são poucos. A mãe sentiu a ausência do pai na infância e teve um casamento infeliz. Precisa de dinheiro para pagar os estudos do filho e não tem a quem recorrer. O que poderia ser dramático, no entanto, ganha um contexto irônico pelos diálogos afiados.

O grande acerto do filme está em não levar totalmente a sério as questões que discute. Ao permear momentos de descontração, evidencia-se que a vida não é tragédia ou comedia, mas uma jornada tragicômica de acontecimentos em que vitórias e derrotas são constantes.

Sobreviver aos imprevistos é o grande segredo. E, nesse sentido, o filme traz uma visão diferenciada e contemporânea, sem mocinhos ou bandidos, mas com heróis do cotidiano, categoria em que todos nos enquadramos, pois, de uma maneira ou de outra, sempre sobrevivemos às peças que o destino nos prega.

Oscar D"Ambrosio é jornalista pela USP, mestre em Artes Visuais pela Unesp, graduado em Letras (Português e Inglês) e doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e Gerente de Comunicação e Marketing da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. 



A inclusão educacional e o mês das crianças

O tema da inclusão está na ordem do dia, dominando as agendas no mês das crianças.


A velha forma de fazer política não tem fim

Ser político no Brasil é um grande negócio, uma dádiva caída do céu, visto as grandes recompensas de toda a ordem obtidas pelos políticos.


Procedimento de segurança

“Havendo despressurização…”, anuncia a comissária, em tom calmo, aos ouvidos dos senhores passageiros daquele voo atrasado, sob a umidade e a monocromia do céu de quase inverno.


Envelhecimento: o tempo passa para todos

Todos nós, em algum momento de nossas vidas, já ouvimos a frase: “o tempo passa para todos”.


Os passos para encontrar a si mesmo e a Deus

Mar da Galileia, Mar de Tiberíades ou Lago de Genesaré, um lugar significativo de tantos milagres e narrativas do Evangelho.


A babá e o beijo

Se eu tinha dúvidas, agora não tenho mais.


A despolitização do Supremo Tribunal Federal

Não pode funcionar bem e com total isenção uma corte ou tribunal de indicação e nomeação política.


E o cartão caminhoneiro?

O objetivo é proteger os caminhoneiros da oscilação diária no preço do diesel, durante um serviço de frete.


Raciocínio lógico

Uma das mais reconhecidas competências socioemocionais.


A justiça e a injustiça são antagônicas, não se misturam?

“Há mais coragem em ser justo, parecendo ser injusto, do que injusto para salvaguardar as aparências da Justiça”.


Resiliência humana: saiba como desenvolver

Resiliência humana é uma habilidade que permite responder, de forma intuitiva, à extrema adversidade ou estresse agudo observado ao longo da vida.


Trabalho em tempos de novas tecnologias

O diferencial do profissional está naquilo que é essencialmente humano.