Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Retrofit político

Retrofit político

22/05/2012 Helder Caldeira

Já é impossível conviver com o universo político brasileiro que nos cerca. Ele está ultrapassado, detonado e merece ser deletado.

Nossos indigníssimos representantes são limitados. Ignorantes à enésima potência. Pior: eleitos e eleitores parecem satisfeitos com essa circunscrição apequenada e rasteira. Já dizia Goethe: “Satisfazer-se com as limitações é miserável”.

Basta questionar: nas últimas 24 horas, quantos quasímodos políticos estamparam os veículos de comunicação? São tantos! Sobram bigodes indecorosos, panças descuidadas, ridículos cabelos avermelhados e toda sorte (ou seria azar?!) de discursos falseados. Ninguém aguenta mais essas aberrações nacionais, sedimentadas em costumes e tradições tão seculares quanto vagabundas.

Em pleno século 21, a corrupção hedionda promovida pela famigerada indústria da seca no Nordeste rende matérias de capa em grandes jornais, mostrando que o coronelismo ainda vige em boa parte do país, convencendo milhares de ignorantes que até a água que lhes é fornecida à conta-gotas não passa de uma benesse, um favor, um ato de solidariedade de prefeitos, vereadores, deputados e governadores sensíveis à tragédia climática.

Ninguém faz questão de dizer que aquela água é um direito dos cidadãos e um dever do Estado, previsto de forma inalienável na Constituição Federal. Ninguém os esclarece que a falta d’água não é apenas um desígnio do tempo e da geografia, mas um reflexo patente de reiterada roubalheira e ausência de investimentos sérios na região.

Nesse mesmo século 21, a maravilha da interatividade também serve à pilantragem política. Um sagaz cinegrafista do SBT conseguiu flagrar o deputado petista Cândido Vaccarezza (ex-líder do governo Dilma Rousseff na Câmara) atentando contra o decoro, a democracia e até contra a gramática, em mal traçadas linhas trocadas por SMS com governador peemedebista Sérgio Cabral, garantindo que o PT irá blindá-lo no lamaçal da CPMI do Cachoeira.

“Você é nosso e nós é teu [sic]”, afiançou Vaccarezza ao mandatário do Rio de Janeiro, atolado até os lenços da cabeça nas cataratas de corrupção do bicheiro e da empreiteira Delta. Não há nação que se sustente com dignidade com tanta bandalheira, hipocrisia e ladroagem. Nossos pilares estão rachados, prestes a desabar. Com urgência, precisamos de um retrofit.

Em engenharia e arquitetura, esse termo define a modernização em larga escala de imóveis antigos, renovando por completo suas estruturas e preservando apenas suas qualidades. Em amplo aspecto é premente um retrofit político no Brasil, para o bem da democracia e da profilaxia.

*Helder Caldeira é escritor, jornalista e apresentador de TV.



A hora de enfrentar a quebradeira

Certo ou errado, interesseiro, politiqueiro ou, até, corrupto, o combate à Covid 19 ocorre em todo o território nacional.


O que o Brasil vai ter após a pandemia do Covid-19

As nações mais adiantadas em tecnologia do mundo, estão superconcentradas em encontrar a cura desta pandemia.


Homem, sonhos e o trabalho: reflexões sobre um futuro próximo

O homem, seja pela perspectiva do criacionismo ou do evolucionismo, sempre teve um relacionamento necessário e direto com o trabalho.


Os sonhos norteiam a vida

Final dos anos 80. Rô tinha acabado de chegar de Londres. Morávamos no mesmo pensionato em São Paulo.


Não ao “novo” normal, sim a um normal de verdade

Escrevi um artigo no mês passado, em um dos maiores jornais do país, questionando este “novo” normal e recebi muitas mensagens de pessoas concordando e poucos discordando.


Liberdade de pensamento

Tem sentido que nos ocupemos hoje da Liberdade de Pensamento? Este não é um tema ultrapassado?


As redes sociais como patrimônio do povo

A novidade dos últimos dias é o banimento de páginas de políticos e ativistas - tanto de situação quanto de oposição - nas redes sociais, por determinação dos controladores destas.


O desafio da exigência de êxito

O famoso “Poema em Linha Reta” nos diz que todos os conhecidos do poeta eram verdadeiros campeões em tudo, sem derrotas ou fracassos.


Mudança nas relações humanas faz parte de realidade pós-pandemia nas empresas

“Nada é permanente, exceto a mudança”. “Só sei que nada sei”. “A única constância é a inconstância”.


Dia do Panificador, o pão e a fome

Oito de julho é o Dia do Panificador. Profissão humilde, raramente é lembrada.


O valor de uma obra

Naquela fria e sombria manhã de Inverno, do ano de 1967, estava à porta da “Livraria Silva”, na Praça de Sé, quando passa, de reluzentes divisas doiradas, o sargento Mário.


A pandemia, as perdas e o novo mundo

Apesar de, infelizmente, ter antecipado o fim da vida de 64,9 mil brasileiros e ainda estar por levar milhares de outros e prejudicar muitos na saúde ou na economia (ou em ambos), o coronavírus pode ser considerado um novo divisor de águas na sociedade.