Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Saiba como se portar nas festas de fim de ano da empresa

Saiba como se portar nas festas de fim de ano da empresa

15/12/2014 Ricardo M. Barbosa

As festas de fim de ano das empresas são ótimas oportunidades de fortalecer as relações com companheiros de trabalho e até mesmo amenizar o clima no dia a dia no futuro.

Contudo, frequentemente vejo profissionais reclamando de excessos cometidos por outros ou mesmo o sentimento de culpa por besteiras feitas durante os eventos. Normalmente, os companheiros de trabalho, depois desses casos, falam que não tem motivos para preocupação, já que isso se deu em um evento isolado e não terá reflexo no futuro do profissional, contudo, lamento informar que isso não é verdade.

Comportamentos errados nessas ocasiões podem (e serão) usados contra que os praticou no futuro, seja por meio de fofocas ou até mesmo na avaliação dos resultados dos profissionais. Isso se dá pelo fato de ser muito difícil ocorrer uma total desassociação da vida pessoal com a vida profissional, assim, muito cuidado com a postura e os limites em ambientes de confraternizações. Pensando nisso elaborei algumas orientações:

Beba com moderação – esse é o maior arrependimento dos profissionais nas festas de fim de ano, bebem além do limite e fazem besteira, depois na volta ao trabalho ficam morrendo de vergonha. Assim, muita parcimônia nessa hora, pode beber, mas, não exagere, mostre limites. Não fique com a fama do bêbado da empresa!

Com que roupa? – a roupa também é um grande problema, as pessoas acham que podem se vestir como em suas casas ou em uma balada, mas isso não é verdade, roupas muito curtas, roupas com mensagens agressivas e excessos podem pegar mal, fazendo com que se torne alvo das conversas. Busque usar roupas discretas e confortáveis, sem excessos e vulgaridades.

Cuidado com a gula – lembra-se da frase ‘olha o morto de fome’? Você pode ser alvo da mesma, assim, coma bem, mas evite excesso. Também não é de bom tom a piadinha: ‘se o chefe está pagando, vou aproveitar e comer tudo que posso!’.

Fala muito! – cuidado com o que se fala durante a festa, está certo que o ambiente é de descontração, mas não é por causa disso que você pode se expor desnecessariamente, falando mal do trabalho de colegas ou mesmo falando palavrões e outras besteiras. As pessoas vão lembrar-se do que foi dito e podem repercutir muito mal profissionalmente.

Hora da paquera? – ‘dar encima de alguém’ na festa de fim de ano pode não pegar bem e pode gerar confusão, não aproveite a oportunidade para paquerar, não é o local apropriado. Pior ainda é ‘ficar’ com um colega de trabalho, pois isso pode gerar um grande desconforto e com certeza será alvo de fofoca.

Presenteie corretamente – na hora de presentear alguém ou em um amigo secreto, muito cuidado com o que vai comprar. Presentes de muito abaixo valor ou muito caro podem pegar mal. Também evite brincadeiras desnecessárias. No caso dos inimigos secretos, mais cuidados ainda!

É confraternização, não carnaval – na hora de dançar cuidado com a postura, danças muito sensual podem pegar mal, bem como ficar gritando exageradamente, alegria não é histeria!

*Ricardo M. Barbosa é diretor executivo da Innovia Training & Consulting.



Análise de dados e a saúde dos colaboradores nas empresas

Como a análise de dados está ajudando empresas a melhorar a saúde dos colaboradores.


16 senadores suplentes, sem votos, gozam das benesses no Senado

Quando o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pretende colocar em votação Emenda Constitucional para acabar com a figura de SENADOR SUPLENTE?


Há tempos são os jovens que adoecem

Há alguns anos o Netflix lançou uma série chamada “Thirteen Reasons Why”, ou, em tradução livre, “As Treze Razões”.


Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.