Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Se eu fosse você!

Se eu fosse você!

25/05/2016 Hilton Euzébio

É chegada a hora de provocarmos vômito...

Lembro-me de quando minha avó dizia: "A comida não lhe caiu bem meu filho, faça vômito agora". Aí, relutante, tomava a dura iniciativa.... pronto, em vinte minutos eu estava bom como um côco.

Agora, meus compatriotas, acho que todos já viram que ainda estamos sofrendo do mesmo mau de antes. Eu digo todos mesmo, seja você “mortadela ou coxinhas”, e acho que temos que apelar para o radical, algo que verdadeiramente comece a expulsar o mau de nossas entranhas, algo que não dependa de remédios externos ou iniciativas de alguns medicamentos como PF, MPF, AGU, TCU, STF, INTERPOL ou sabe-se lá o quê mais.

Devemos começar a preparar nossas mentes e corpos, é hora da ação, aquela que só nos podemos fazer, intransferível, mais que própria. Teremos alguns meses para prepararmos até a alma, mais temos que fazê-lo.

Proponho, como minha avó, enfiarmos o dedo na garganta, digo nas urnas eletrônicas de outubro/2016, e fazermos algo que talvez deixe nossas vísceras "doídas", ardentes e até tenhamos um pouco de arrependimento depois, mas temos que tentar.

Devemos tentar mostrar a todos esses MAUS ELEMENTOS - que mudam de nomes e partidos, mas sempre são os mesmos, que mantêm-se vivos lá dentro de nosso país, governando nossos ministérios, órgãos, estatais, secretarias, congresso e poderes - nossa força, decisão, coragem e determinação. Temos que ser radicais.

Vamos todos, sem exceção, todos mesmo, aproveitarmos a próxima eleição e fazermos o primeiro ato, a primeira iniciativa para provar que não queremos mais passar mal. Simplesmente trocar todos os políticos, um novo pacto nacional, a completa substituição, elegendo somente pessoas que nunca foram nada antes, "virgens" de tudo.

Vamos eleger somente candidatos a vereadores e prefeitos que nunca foram políticos. Em 2018, façamos o mesmo, presidente, governadores e deputados, elegendo somente quem nunca foi eleito antes. Assim devemos ir repetindo até a eleição em que tenhamos nos livrado de todos.

Pronto, como dizia minha avô, podemos até passar mal novamente, mas não será pelo mesmo "nó nas tripa".

Hilton Euzébio / Belo Horizonte - MG



O que a pandemia nos ensinou sobre fortalecer nossas parcerias

A pandemia da COVID-19 forçou mudanças significativas na operação de muitas empresas.


O barulho em torno do criado-mudo

Se você entrar agora no site da Amazon e escrever (ou digitar) “criado-mudo”, vai aparecer uma resposta automática dizendo que você não deve usar essa expressão porque ela é racista.


Reputação digital: é possível se proteger contra conteúdos negativos

O ano é 2022 e há quem pense que a internet ainda é uma terra sem lei. A verdade é que a sociedade avançou e o mundo virtual também.


Questão de saúde pública, hanseníase ainda é causa de preconceito e discriminação

Desde 2016, o Ministério da Saúde realiza a campanha Janeiro Roxo, de conscientização sobre a hanseníase.


Desafios para o Brasil retomar o rumo

A tragédia brasileira está em cartaz há décadas.


Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.


Geração millenials, distintas facetas

A crise mundial – econômica, social e política – produzida pela transformação sem precedentes da Economia 4.0 coloca, de forma dramática, a questão do emprego para os jovens que ascendem ao mercado de trabalho.


Por que ESG e LGPD são tão importantes para as empresas?

ESG e LGPD ganham cada vez mais espaço no mundo corporativo por definirem novos valores apresentados pelas empresas, que procuram melhor colocação no mercado, mais investimentos e consumidores satisfeitos.


O Paradoxo de Fermi e as pandemias

Em uma descontraída conversa entre amigos, o físico italiano Enrico Fermi (1901-1954) perguntou “Onde está todo mundo?” ao analisarem uma caricatura de revista que retratava alienígenas, em seus discos voadores, roubando o lixo de Nova Iorque.


Novo salário mínimo em 2022 e o impacto para os trabalhadores autônomos

O valor do salário mínimo em 2022 será de R$ 1.212,00.