Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Se eu fosse você!

Se eu fosse você!

25/05/2016 Hilton Euzébio

É chegada a hora de provocarmos vômito...

Lembro-me de quando minha avó dizia: "A comida não lhe caiu bem meu filho, faça vômito agora". Aí, relutante, tomava a dura iniciativa.... pronto, em vinte minutos eu estava bom como um côco.

Agora, meus compatriotas, acho que todos já viram que ainda estamos sofrendo do mesmo mau de antes. Eu digo todos mesmo, seja você “mortadela ou coxinhas”, e acho que temos que apelar para o radical, algo que verdadeiramente comece a expulsar o mau de nossas entranhas, algo que não dependa de remédios externos ou iniciativas de alguns medicamentos como PF, MPF, AGU, TCU, STF, INTERPOL ou sabe-se lá o quê mais.

Devemos começar a preparar nossas mentes e corpos, é hora da ação, aquela que só nos podemos fazer, intransferível, mais que própria. Teremos alguns meses para prepararmos até a alma, mais temos que fazê-lo.

Proponho, como minha avó, enfiarmos o dedo na garganta, digo nas urnas eletrônicas de outubro/2016, e fazermos algo que talvez deixe nossas vísceras "doídas", ardentes e até tenhamos um pouco de arrependimento depois, mas temos que tentar.

Devemos tentar mostrar a todos esses MAUS ELEMENTOS - que mudam de nomes e partidos, mas sempre são os mesmos, que mantêm-se vivos lá dentro de nosso país, governando nossos ministérios, órgãos, estatais, secretarias, congresso e poderes - nossa força, decisão, coragem e determinação. Temos que ser radicais.

Vamos todos, sem exceção, todos mesmo, aproveitarmos a próxima eleição e fazermos o primeiro ato, a primeira iniciativa para provar que não queremos mais passar mal. Simplesmente trocar todos os políticos, um novo pacto nacional, a completa substituição, elegendo somente pessoas que nunca foram nada antes, "virgens" de tudo.

Vamos eleger somente candidatos a vereadores e prefeitos que nunca foram políticos. Em 2018, façamos o mesmo, presidente, governadores e deputados, elegendo somente quem nunca foi eleito antes. Assim devemos ir repetindo até a eleição em que tenhamos nos livrado de todos.

Pronto, como dizia minha avô, podemos até passar mal novamente, mas não será pelo mesmo "nó nas tripa".

Hilton Euzébio / Belo Horizonte - MG



A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa