Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Seja líder de si mesmo

Seja líder de si mesmo

05/12/2014 Eduardo Shinyashiki

O crescente aumento da competitividade faz com que as empresas demandem um nível sempre mais alto de aprimoramento em termos de performance e inovação.

Para isso, a empresa opera por meio de cinco pontos essenciais: produtos e serviços, processos, organização, sistema de informação e especialmente o ser humano. Entre essas cinco dimensões, a do ser humano representa a fonte de maior desenvolvimento e o fator chave na geração do valor agregado, capaz de assegurar o sucesso da empresa. Uma atenta gestão das pessoas é fundamental para determinar o nível de rendimento e resultados, confirmando a ligação entre qualidade das relações interpessoais, o nível de motivação e o rendimento.

O primeiro passo para gerir pessoas com sabedoria é saber liderar a si mesmo de forma eficaz, reconhecendo que, antes de ocupar um determinado cargo, ele é um ser humano em busca de um significado e um sentido naquilo que faz. Ser líder de si mesmo significa se conhecer, saber se motivar e saber definir estratégias necessárias para agir e buscar o equilíbrio entre as exigências da realidade da empresa e a satisfação dos colaboradores. Quem tem autoliderança sabe organizar e conduzir a própria vida de forma eficaz.

Tem um projeto de vida onde o trabalho é incluído e sabe se observar para modificar os condicionamentos ou limitações instaladas. O líder de si mesmo define objetivos, tem uma autocrítica construtiva, assume as próprias responsabilidades e respeita suas próprias ações e também as dos outros. Ele pensa em termos de oportunidades e soluções, sabendo que o dia a dia é como nós o criamos: podemos fechar os olhos para a realidade, ou mantê-los abertos, mudando assim completamente a relação com o mundo.

Quem sabe liderar a si mesmo tem modelos de pensamentos positivos que são transmitidos também aos colaboradores, dando as condições para que eles adquiram competências e possam se tornar líderes de si mesmo, descobrindo cada vez mais suas potencialidades. O líder se relaciona diretamente com as pessoas da empresa e para isso são necessárias competências específicas, entre elas:

- Comunicar-se de forma apropriada em conteúdo, contexto e tempo, sabendo explicar, não somente o “que” se está fazendo e o “como” precisamos fazer, mas especialmente o “por que” se faz, o propósito de tudo aquilo. É Isso que o torna um líder inspirador.

- Ter uma visão geral do ser humano, como indivíduo que pensa, sente e vive de forma única, complexa e mutável. Saber lidar com as emoções próprias e do outro, para compreender melhor os colaboradores, influenciar os comportamentos, e poder guiá-los para equilibrar os interesses individuais com os da empresa.

O líder de si mesmo reconhece que independente de onde ele se encontra, é apenas de passagem, assim como somos de passagem na vida. O importante é transmitir algo valioso às pessoas que encontramos nessa passagem, influenciá-las e envolvê-las emotivamente, para contribuir em deixá-las melhores, tocando a sua alma e para que elas se tornem também lideres de si mesmo.

*Eduardo Shinyashiki é palestrante, consultor organizacional, especialista em desenvolvimento das Competências de Liderança e Preparação de Equipes.



Há tempos são os jovens que adoecem

Há alguns anos o Netflix lançou uma série chamada “Thirteen Reasons Why”, ou, em tradução livre, “As Treze Razões”.


Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.


Sociedade civil e a defesa da democracia

As últimas aparições e discursos do presidente da República vêm provocando uma nova onda de empresários, instituições e figuras públicas em defesa da democracia e do sistema eleitoral no Brasil.


Para além do juramento de Hipócrates: a ética na prática médica

“Passarei a minha vida e praticarei a minha arte pura e santamente. Em quantas casas entrar, fá-lo-ei só para a utilidade dos doentes, abstendo-me de todo o mal voluntário e de toda voluntária maleficência e de qualquer outra ação corruptora, tanto em relação a mulheres quanto a jovens.” (Juramento de Hipócrates).