Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Ser feliz ou obter sucesso? Escolha as duas opções!

Ser feliz ou obter sucesso? Escolha as duas opções!

07/05/2015 Amauri Nóbrega

Você se sente realizado profissionalmente? É feliz no seu trabalho? Quando você acorda cedo, senta na cama e coloca o pé no chão, o que vem em sua mente em primeiro lugar? Você confia, acredita em si?

Se a reposta para a maioria dessas questões for “não”, sugiro que você pare agora o que está fazendo e “fuja” para uma autoanálise de tudo o que está acontecendo em sua vida. Para realizar esse trabalho de se conhecer, você precisará de ajuda psicológica, entretanto, se partimos do princípio que não existe nada internamente te prejudicando, um trabalho de coaching será mais adequado.

Agora, gostaria de dar uma dica que lhe ajudará muito nessa análise: ambição pessoal. Este é o ponto inicial desse processo. Quais são as suas ambições? É de suma importância você ter isso escrito e “tatuado” em sua mente. É a partir dela que você fará uma reflexão sobre tudo que está realizando. A derivação da sua ambição é a sua razão de ser, ou seja, a sua missão de vida. Da mesma forma que um negócio tem que ter uma razão para existir, nós também, creio eu, temos que ter essa razão bem definida, senão, nada valerá a pena.

Bom, alguns acreditam que vieram a esse mundo a passeio, mas deixemos esse grupo fora da discussão. A sua missão deve se concentrar naquilo que você deseja ser (caráter), fazer (contribuições e conquistas) e nos valores/princípios nos quais o ser e o fazer estão enraizados. Não sou aquele tipo de pessoa que separa o lado profissional do pessoal, pois acredito que ambos devem andar juntos e alinhados. Os dois lados e as outras dimensões da existência são afetadas pelo seu conceito de missão de vida.

Mapear ou mesmo construir a missão é a primeira ação de quem deseja buscar a equivalência entre o que se faz e o que se deveria estar fazendo para atingir a realização plena. Acredito ser esse o seu primeiro “dever de casa”, afinal, você não conquistará o sucesso pleno e não será feliz naquilo que faz sem essa etapa. Quando você é feliz, se torna mais criativo, inova muito mais, cria e, assim, produz plenamente. Com isso, você acabará criando um círculo virtuoso de autodesenvolvimento, pois aparecerão diversas oportunidades de aprendizado. Comece agora e não olhe para trás, pois você não tem tempo a perder!

*Amauri Nóbrega é consultor executivo, palestrante, coach, escritor, conselheiro e especialista em estratégia e finanças.



Prisão após condenação em segunda instância

Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 410/18, que deixa clara a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância, avança na CCJ da Câmara Federal.


Sou uma péssima professora!

Sou uma péssima professora! Primeiramente, porque ser professor não foi minha primeira escolha de carreira.


As ferramentas tecnológicas e a educação

Os avanços tecnológicos podem estar a serviço da Educação, na medida em que permitem um maior acesso à informação e mais rapidez nas trocas do conhecimento.


Eu, professor

Comecei a dar aulas aos 18 anos. Meus alunos, em um supletivo de bairro, eram todos mais velhos que eu.


Gestão pública é o caminho contra a corrupção

A corrupção é pré-requisito do desenvolvimento, já dizia Gunnar Myrdall, Prêmio Nobel de Economia, em 1974.


Quando a desinformação é menos tecnológica e mais cultural

Cenário é propício para o descrédito de pesquisas, dados, documentos e uma série de evidências de veracidade.


Igualdade como requisito de existência

Na última cerimônia de entrega do EMMY, o prêmio da TV Norte Americana, um ator negro foi premiado, fruto de reconhecimento praticamente unânime de seu trabalho.


Liderança é comunicação, conexão e confiança

Cada dia que passa, percebo que uma boa comunicação e liderança têm total relação com conexão.


“A educação é a arma mais poderosa…” mas para quem?

Tudo o que se cria ou se ensina no mundo tem dois lados. Geralmente as intenções são boas e as pessoas as tornam ruins.


“Golpe do Delivery”

Entregadores usam máquina de cartão para enganar consumidor.


A inclusão educacional e o mês das crianças

O tema da inclusão está na ordem do dia, dominando as agendas no mês das crianças.


A velha forma de fazer política não tem fim

Ser político no Brasil é um grande negócio, uma dádiva caída do céu, visto as grandes recompensas de toda a ordem obtidas pelos políticos.